O futebol de Butão (não, não é futebol de botão) em 10 curiosidades

0 494

O Butão é um país de menos de 40 mil km², com cerca de 700 mil habitantes, à beira da Cordilheira do Himalaia. E mesmo nesta pequena monarquia, encravada entre a Índia e a China, é possível encontrar futebol.

É claro que não dá para esperar bom nível técnico do último colocado do ranking da Fifa, onde o esporte nacional é o tiro com arco. Mesmo assim, como na parábola bíblica do semeador, o futebol resiste às condições agrestes e brota entre os butaneses. Há times, patrocinadores, campeonatos, histórias e personagens, como em tantos outros países.

Leia também:

Você já parou para pensar como é o futebol no lanterna do ranking da Fifa? Já pensou no trocadilho “futebol de butão” que batiza este texto? Se a resposta foi afirmativa para pelo menos uma destas perguntas, o Última Divisão lista aqui 10 fatos que contam como a bola rola nos campos butaneses.

Confira:

1. O futebol em Butão é mais recente do que você imagina

Bhutan_FAOs primeiros registros de futebol no Butão datam de 1974, quando uma equipe do país foi ao Nepal para disputar uma competição amistosa. Em 1983, foi criada a Federação de Futebol do Butão (BFF), que só conseguiu se associar à Confederação Asiática de Futebol em 1993. No ano 2000, a entidade foi aceita na CAF e também na Fifa.

2. Longos jejuns

Entre 1987 e 1999, a seleção do Butão optou por não participar dos Jogos Sul-Asiáticos (principal competição poliesportiva da região) e não entrou em campo. Quando voltou ao torneio, perdeu por 7 a 0 para o Nepal, 3 a 0 para a Índia e 2 a 1 para o Paquistão. Contra os paquistaneses, os butaneses estiveram pela primeira vez à frente do placar na história.

3. Um primeiro campeonato nacional em 1986

O primeiro campeonato nacional entre clubes no Butão foi organizado em 1986. Os 10 times do torneio representavam entidades de serviços no país, como policiais, militares, educadores e médicos. O primeiro título ficou com o Royal Bhutan Army, que venceu os nove jogos que disputou contra os rivais. No entanto, ao que tudo indica, foi a única edição do torneio entre 1986 e 1995.

 Druk_Pol_FC_Logo4. Uma segunda tentativa (agora, pra valer)

A competição voltou a ser disputada em 1996, dando início a uma hegemonia do Druk Pol FC (o time da polícia local, conhecido antes como Royal Bhutan Police). Embora com poucos registros conhecidos, o time foi pentacampeão butanês entre 1996 e 2000. Com o torneio consolidado, a BFF criou a A-Division, com oito equipes – porém, a primeira edição (2001) contou com apenas seis, já que Chhukha e Phuentsholing desistiram de participar. O título ficou com o Druk Star (sem relação com o Druk Pol FC).

5. A Coca-Cola e o futebol nacional

O futebol no país começou a se modernizar com a criação de uma segunda divisão (2002) e de uma posterior terceira (2003). No entanto, foi só em 2012 que os times butaneses passaram a conviver com uma estrutura mais profissional. Naquele ano, além de clubes da capital Thimphu, a National League passou a ser disputada por equipes de outras regiões (Chhukha, Samtse e Punakha). Naquela temporada, o Yeedzin FC foi campeão e embolsou um prêmio de 400 mil ngultrum (equivalente a R$ 15 mil).

O-futebol-de-Butão-cujo-maior-expoente-é-o-atual-campeão-Yeedzin-foto-começa-a-sonhar-com-dias-melhores

6. O atual futebol butanês

Ficou confuso com isso de A-Division e National League? Desde 2012, a Coca-Cola National League assumiu o posto de divisão de elite no futebol butanês, classificando os times para competições continentais. A A-Division funciona como um torneio classificatório, que dá a quatro equipes o direito de disputar a National League. Os dois piores da A-Division são rebaixados para a B-Division, que rebaixa para a C-Division. Ao todo, 38 clubes estão envolvidos nesses quatro níveis.

The_Other_Final_DVD_Cover7. A Outra Final

O momento mais conhecido da história do futebol butanês foi registrado no documentário A Outra Final (2003). No filme, a seleção de Montserrat (então lanterna do ranking da Fifa) foi a Thimphu enfrentar o Butão (vice-lanterna do ranking). A partida foi realizada em 30 de junho de 2002, mesma data do duelo entre Brasil e Alemanha pela final da Copa do Mundo. No jogo simultâneo, os butaneses venceram por 4 a 0, com três gols de Wangay Dorji.

8. O maior campeão

Nenhum time no país tem tantos títulos quanto o Druk Pol FC, dono de oito conquistas nacionais – incluindo o pentacampeonato entre 1995 e 2000. Fundado em 1986 como Royal Bhutan Police FC, o time é um dos mais tradicionais do país. O Transport United, segunda força do país, conquistou quatro vezes seguidas o principal título nacional (2004 a 2007); em compensação, foi responsável pelos principais resultados internacionais do futebol butanês ao conquistar duas vitórias (uma em 2006, outra em 2007) na AFC President’s Cup (torneio extinto, dedicado a times de países com futebol em desenvolvimento no continente).

9. A seleção, hoje

No ranking divulgado em fevereiro de 2015, a seleção do Butão era a pior das 209 nações filiadas à Fifa (Montserrat, para efeito de comparação, era a 170ª colocada). O máximo que a equipe já conquistou foi a 187ª posição da lista. Nada mal para quem já levou 20 a 0 do Kuwait, em 2000.

10. A seleção, amanhã

Sem jamais ter disputado as Eliminatórias para a Copa do Mundo, o Butão está na briga por uma vaga no Mundial de 2018, na Rússia. Para isso, precisa primeiro passar por uma pré-eliminatória, disputada em confronto direto com o Sri Lanka – a Confederação Asiática de Futebol agendou jogos entre os 12 piores ranqueados do continente, para apontar seis seleções que entram nas Eliminatórias Asiáticas. Será que dá para o Butão sonhar?

Informações: Kuensel Online, Trivela, Wikipedia e Fifa.

Você pode gostar também
Comentários
Carregando...