Dez curiosidades sobre o futebol armênio

0 284

Publicidade

O Cáucaso é a região que marca a fronteira entre a Europa e Ásia. Os países que estão nessa localidade são banhados pelo Mar Negro e Cáspio. Além das inúmeras cordilheiras, os territórios caucasianos possuem diversas riquezas naturais como o petróleo. A Turquia é a única nação da região que disputou uma Copa do Mundo e tem certa tradição no esporte. Na Armênia, modalidades como luta livre, levantamento de peso e judô são mais populares que o futebol.

A Armênia não é um país de goleadores. O maior artilheiro da seleção local só marcou onze gols e era meio-campista. O responsável pela proeza é o ex-jogador Arthur Petrosyan. Ele teve certo prestígio quando atuou no futebol suíço. Mas suas passagens por equipes de Israel e Rússia não tiveram brilho.

Mkhitaryan é um dos destaques da nova geração

Henrikh Mkhitaryan pode passar o compatriota. O meia marcou oito gols defendendo o país. Companheiro de diversos brasileiros no Shaktar Donetsk da Ucrânia, o atleta de 22 anos fez 40 jogos pela seleção.

O Ararat é um clube tradicional no Cáucaso. Originalmente, o time foi fundado com o nome de Dínamo. Em 1963, a equipe passou a ter a nomenclatura atual.

Outra agremiação que teve mudança de nome é o Shirak. Antes chamado de Olympia, o atual mascote do clube é o leão que aparece no escudo.

Hovsepyan continua sendo o capitão da seleção armena

Aos 35 anos, o zagueiro Sargis Hovsepyan é o recordista de partidas pela seleção. O defensor vestiu a camisa da Armênia em 125 oportunidades. A melhor fase de sua carreira foi quando ele atuou pelo Zenit San Petersburgo, da Rússia.

Porterfield foi o mais famoso treinador da Armênia

As séries de acesso armênias estão entupidas de times B e C das equipes tradicionais. Dessa maneira, muitas agremiações não podem subir ou descer de divisão. Atualmente, a primeira divisão local tem oito clubes participantes.

O FC Mika é o atual campeão nacional. O clube recebeu este nome em homenagem ao empresário Mikhail Baghadasarov, dono da Armavia Arlines. Principal companhia área da Armênia, a empresa patrocina o clube há treze anos.

A seleção armena possui rivalidade com a vizinha Geórgia. Mas nem sempre consegue resultados expressivos. Em 97, os armênios tomaram a maior goleada do clássico: perderam de 7 a 0 para os georgianos num amistoso.

Existente desde 1991, a seleção da Armênia já foi treinada por sete técnicos estrangeiros. Nenhum conseguiu resultados expressivos.

O mais célebre treinador que passou pela seleção local foi o escocês Ian Porterfield (1946-2007). O ex-meia marcou o gol que deu o título da Copa da Inglaterra ao Sunderland em 73. Além disso, Porterfield dirigiu seleções exóticas como Zâmbia, Zimbábue, Omã e Trindad e Tobago.

Você pode gostar também
Comentários
Carregando...