Editorial: Somos um país de Neymares

Foto: Reprodução
1.189

Recentemente colunistas publicaram que Neymar organizou uma festa de 5 dias para 500 pessoas, em plena pandemia. A assessoria do jogador negou. Mas vizinhos, uma banda (Vou pro Sereno) e até uma produtora de eventos confirmaram. O próprio jogador ainda não se manifestou sobre o assunto até o fechamento deste texto. O silêncio, neste caso, é barulhento.

Se Neymar realmente organizou a festa, merece todas críticas possíveis. Ainda que sejam feitos testes, isso não é um passaporte para aglomeração na pandemia. Primeiro porque os testes não têm 100% de eficácia (leia mais aqui). Basta um falso negativo para centenas de pessoas correrem risco de infecção. E depois, o mais importante: Neymar está dando um péssimo exemplo para milhares de fãs. Com a festa ou com o silêncio, ele já influenciou negativamente muita gente.

Publicidade

Há meses está evidente que os jovens abandonaram o isolamento e, com isso, estão levando os vírus pra casa. São os culpados pelos novos recordes de casos e mortes. E a possível festa do Neymar mostrou como eles são irresponsáveis. Basta navegar na internet rapidamente para ficar assustado. A maioria das pessoas queria estar na “festa”.

Uma piadinha circulou como meme nos comentários de Twitter e Instagram.

“Mesmo sendo fã do Neymar ao saber dessa notícia fiquei num misto de sentimentos: raiva, ódio e principalmente decepção. Uma festa de grandes proporções… 500 pessoas… e o fdp não mandou um convitezinho pra cá”

Não conseguimos rir. Mas muitos conseguiram.

Riem de 200 mil mortes no Brasil por covid-19. Riem de 2 milhões de mortes no mundo todo. E por que alguém é tão cruel? Por que alguém apoia aglomerações na pandemia? É por negar a doença? É falta de informação? É burrice?

Esse caso do Neymar deixa a resposta bem clara: É puro egoísmo de grande parte da sociedade brasileira. A pandemia mostrou que boa parte da população é exatamente igual a qualquer influenciador que faz aglomerações: Irresponsável, imatura, infantil, hipócrita e maldosa.

Qual é a solução pra tudo isso?

Em relação a Neymar, não é um “menino” e não vai aprender. E também não liga para críticas nas redes sociais. Ele só se importaria se alguém mexesse com o dinheiro que recebe. Se Puma, Red Bull e outras marcas patrocinadoras fizessem algo. Mas não acredito que farão.

Em relação aos fãs do Neymar e a quem aprovou a possível festa, não há esperança alguma. Grande parte da nossa sociedade é assim e nunca vai mudar.

Pouco importa se Neymar fez a festa ou não. O problema é que somos um país de Neymares. E isso é terrível.

Comentários