Guia UD da Segundona Paulista 2020

Guiasegundona2020

Seja bem-vindo(a) ao Guia UD da Segundona Paulista 2020! Após uma longa pausa por conta da quarentena provocada pela Covid-19, a competição mais tradicional e alternativa do estado de São Paulo dará as caras mais uma vez. Mas por conta da pandemia, esta edição será diferente: mais curta, com apenas duas fases e sem torcida. Tudo mudou em prol da segurança do futebol nesse período atípico da humanidade.

Mas o que não mudou foi a vontade dos times de conquistar o sonhado acesso à Série A-3. Quer conhecer as novidades, os clubes participantes, as chances de cada um e as análises da charmosa Bezinha? Então, confira nesse guia especial produzido pelo Última Divisão.

ÍNDICE DESTA EDIÇÃO

RAIO-X

Como a Covid-19 mudou a Segundona de 2020?

por Emanuel Colombari
3847815
Pandemia do novo coronavírus provocou diversas mudanças na Segundona 2020 (Freepik)

Não teve para onde correr. Em 2020, a pandemia do novo coronavírus afetou a vida de todo mundo, inclusive a sua e a minha. E a Segunda Divisão do Paulista de 2020 também não escapou.

Em um mundo ideal, sem a Covid-19, a Segundona começaria em 12 de abril e terminaria em 3 de outubro, com quase seis meses de bola rolando. Em janeiro, a FPF anunciou que os times da primeira fase seria divididos em quatro grupos regionalizados. Definiu-se também que o torneio seria dividido em 2021: dos 16 melhores times da primeira fase, campeão e vice subiriam para a Série A-3, enquanto os demais formariam a nova divisão (a priori, a Série B-1) com os rebaixados da A-3 de 2019.

Mas vem conselho técnico, vai conselho técnico, e a coisa mudou. Com a pandemia e a suspensão das Séries A-1, A-2 e A-3, a Segundona acabou adiada. O início ficou para outubro, com finais nos dias 13 e 16 de dezembro. Tiro curtíssimo.

Não foi só isso. Inicialmente, aquela previsão de quatro grupos regionalizados na primeira fase também ficou pelo caminho. Da proposta inicial, a competição passou primeiro a ter seis chaves (com sete times cada), até que o martelo fosse batido: sete grupos, com cinco equipes cada, totalizando 35 clubes.

Como veio a pandemia e mudou o calendário, muitos times desistiram de participar neste ano. Com o adiamento, Santacruzense, Taquaritinga, São Carlos, Jaguariúna, Mogi Mirim, Joseense e Taboão da Serra viraram baixas. O Osasco FC também saiu, mas foi substituído pelo Ska Brasil. E mesmo aquele plano de dividir a Segundona em B-1 e B-2 foi, por enquanto, abortado.

Com tudo isso confirmado, como fica a questão sanitária? Bem, aí houve um acordo firmado entre a FPF e os clubes – mas que deu trabalho para ser definido.

Fpf 2020
Testes da Covid-19 causaram queda de braço entre clubes e FPF (Rodrigo Corsi/FPF)

Após se comprometer a pagar testes de times das divisões principais, a Federação chegou a deixar esse encargo nas mãos dos times do último escalão profissional do estado – e os com menos verbas. Houve revolta dos clubes, que se uniram para pedir ajuda da entidade para cumprir os protocolos de saúde do torneio.

Os termos do campeonato envolvem testes semanais da Covid-19 do PCR (molecular, considerado o mais confiável). No fim das contas, a Federação se prontificou a custear testes a todos os clubes antes do início dos treinamentos, o que foi marcado para 14 de setembro. Os clubes, porém, toparam “cumprir rigorosamente os Protocolos de Saúde e de Operação de Jogo, que preveem, entre outras exigências, a realização semanal de exames PCR em toda delegação”.

Na primeira fase, segundo os protocolos, cada time precisará passar por cinco testes semanais, sendo que a FPF custeará três e cada clube custeará os outros dois. A situação das fases seguintes dependerá de novos conselhos técnicos.

Além disso, a entidade informou que “irá custear o transporte dos clubes mandantes que não puderem atuar em suas sedes (caso das cidades que não estejam na fase amarela ou verde do Plano São Paulo), se assim for solicitado pelas agremiações”.

No entanto, em 11 de setembro, o governo de São Paulo anunciou que todas as regiões do estado estavam na fase amarela do Plano São Paulo, a lista de medidas de saúde para a retomada de atividades sociais e econômicas nas cidades paulistas. Desta forma, é pouco provável que a FPF tenha que custear a viagem de times mandantes na Segundona por causa da pandemia.

Mas se você pretende ir ao estádio, é melhor não se animar. Em maio, o Plano São Paulo previa que a realização de “promover eventos que geram aglomeração, inclusive esportivos” só seria possível com a fase azul. Ou seja: é mais provável que você assista tudo pelo MyCujoo.

Campanha pede doações para ajudar clubes do interior

por Igor Nishikiori

A crise provocada pela pandemia do novo coronavírus agravou uma situação que já era bastante dramática para os times do interior paulista. Com dívidas acumuladas e dificuldade em captar patrocínios, muitos clubes da última divisão estadual sofrem para se manter na ativa.

O pior, infelizmente, está por vir. Como a FPF se prontificou a arcar com três dos cinco testes exigidos e bancar eventuais viagens, como explicamos acima, em contrapartida os clubes não receberão as cotas de participação da Segundona 2020. Ou seja, o dinheiro que costuma ajudar a pagar fornecedores, funcionários e atletas simplesmente não virá este ano.

Por isso, o pessoal do Largados FC firmou uma parceria com a empresa de cartões Elo e criou a campanha Em Campo pelo Interior. Entrando no site elo.com.br/largados é possível fazer uma doação mínima de R$ 10 que irá direto para o cofre do clube escolhido. Os pagamentos podem ser feitos por cartão de crédito, PayPal ou PicPay.

Não deixe para depois, porque a campanha vai só até o dia 27 de outubro.

986x507 7
Plataforma permite fazer doações a clubes do interior de SP (Divulgação)

RAIO-X

O regulamento: não tem rebaixamento (e nem tempo para piscar)

Por Gabriel Francisco Ribeiro

A pandemia do coronavírus não mudou somente datas ou elencos da Segunda Divisão do Campeonato Paulista – que, na prática, é a quarta divisão do futebol estadual. Por causa da doença, o planejamento da criação de uma futura quinta divisão também foi alterado e o campeonato durará menos de dois meses.

Com dificuldades inclusive para conseguir clubes que se mantivessem aptos a disputar o torneio deste ano (embora o número de 36 previsto no início do ano, no fim das contas, tenha se mantido “estável” para 35), a FPF deixou para o futuro sem data o plano de dividir a popular Bezinha em Séries B-1 e B-2.

Sendo assim, vamos lá para o regulamento do Segundona Sub-23 de 2020:

  • Quantos participam e como se dividem?

O regulamento prevê a participação de 35 clubes, divididos em sete grupos com cinco participantes cada desta forma:

Grupos
(Divulgação/FPF)

Os clubes podem inscrever até 26 jogadores, além de outros cinco amadores. Todos eles deverão ter 23 anos ou menos.

  • Como funciona a primeira fase?

Os times se enfrentarão dentro do grupo em turno e returno, classificando-se os dois melhores de cada grupo. Além dos dois primeiros colocados de cada chave, passam também para a fase seguinte os dois melhores terceiros colocados. Classificam-se, portanto, 16 times ao todo da primeira fase.

Como dito anteriormente, não há rebaixamento neste ano. Os critérios de desempate seguem esta ordem:

a) Maior número de vitórias;
b) Maior saldo de gols;
c) Maior número de gols marcados;
d) Menor número de cartões vermelhos recebidos;
e) Menor número de cartões amarelos recebidos;
f) Sorteio público na sede da FPF

A primeira rodada está marcada para o dia 17 de outubro.

  • É mata-mata?

Após a primeira fase, a competição já vai pegar fogo com mata-mata. Em anos anteriores, a Bezinha era disputada ao longo de quase todo ano, em um formato em que os times avançavam e formavam novos grupos – chegando até a três fases com grupos diferentes. Mas as circunstâncias mudaram.

Os 16 classificados da primeira fase se enfrentarão por ordem de campanha, como o exemplo:

1ª melhor campanha x 16ª melhor campanha
2ª melhor campanha x 15ª melhor campanha
3ª melhor campanha x 14ª melhor campanha
E assim por diante.

Serão dois jogos, sendo que o clube com a melhor campanha tem apenas a vantagem de decidir em casa.

  • As fases finais

O critério das campanhas continua valendo para as quartas de final, acumulando os resultados obtidos no mata-mata, com os oito clubes restantes se enfrentando e se dividindo da mesma forma – a melhor campanha pega a pior e por assim vai. O time de melhor campanha sempre terá a vantagem de decidir em casa.

A semifinal segue na mesma toada, sem cruzamento direcionado, mas ganha caráter de decisão de campeonato: os dois times classificados para as finais já terão o acesso garantido para a Série A-3 de 2021.

A grande decisão está marcada para o dia 16 de dezembro de 2020. Ou seja, a competição, que normalmente dura quase o ano inteiro, ocorrerá em menos de dois meses.

LISTA

Conheça, um a um, os 35 participantes

Publicidade

Clique nos boxes para ver as informações de cada clube

GRUPO 1

America Fc Sj (a1) Sp.svg

Nome oficial: América Futebol Clube
Cidade: São José do Rio Preto
Fundação: 28/01/1946
Melhor resultado: 4º colocado no Paulistão de 1975
Palpite: Saco de pancada

O técnico Pinho, o Rei do Acesso, não treinará o time por causa da pandemia. Outra baixa é o estádio Teixeirão, que foi interditado pela FPF.

Andradinaec

Nome oficial: Andradina Esporte Clube
Cidade: Andradina
Fundação: 05/10/2002
Melhor resultado: 9º colocado na Série A-3 de 2010
Palpite: Briga por vaga na 2ª fase

Xodó da torcida, o meia Emerson Freitas está de volta após passagem pelo futebol árabe. O técnico será China, com dois acessos na carreira.

Associação Esportiva Araçatuba Logo.svg

Nome oficial: Associação Esportiva Araçatuba
Cidade: Araçatuba
Fundação: 15/12/1972
Melhor resultado: tricampeã da Série A-2 (1973, 1991 e 1994)
Palpite: Corre por fora

Volta ao futebol profissional após quatro anos. Se depender de xarás, está bem: a AEA tem nomes como Zidany, Balotelli, Palermo, Tiririca e Batistuta em seu elenco.

448px Escudo Oficial

Nome oficial: Bandeirante Esporte Clube
Cidade: Birigui
Fundação: 11/03/1923
Melhor resultado: 20º colocado no Paulistão de 1987
Palpite: Corre por fora

Time virou notícia após jogadores fazerem churrasco durante a quarentena. O técnico do time será André Luís Alves, ex-Andradina.

Tanabiec

Nome oficial: Tanabi Esporte Clube
Cidade: Tanabi
Fundação: 18/12/1942
Melhor resultado: 3º colocado na Série A-2 de 1985
Palpite: Briga por vaga na 2ª fase

Após três anos parado, voltou à ativa em 2020. O técnico será Ailton Modesto, que levou o time à segunda fase da Copa SP 2020.

GRUPO 2

Assisense

Nome oficial: Clube Atlético Assisense
Cidade: Assis
Fundação: 27/03/1995
Melhor resultado: Entre os oito melhores da 4ª divisão em 2013 e 2019
Palpite: Coadjuvante de luxo

O clube contratou o meia venezuelano Robin Gutierrez, com passagens por Cruzeiro e CRB, e que já jogou Copa Libertadores.

Grêmio Prudente2019

Nome oficial: Grêmio Desportivo Prudente
Cidade: Presidente Prudente
Fundação: 13/12/2005
Melhor resultado: 2ª fase da Série A-3 de 2008
Palpite: Pode ir longe

O time agora é presidido por André Luis Garcia, empresário responsável pelo site FutFanatics. A aposta é no técnico Ademir Fesan, ex-Paraná.

Logonovo Azulao

Nome oficial: Osvaldo Cruz Futebol Clube
Cidade: Osvaldo Cruz
Fundação: 17/02/2004
Melhor resultado: 17º colocado da Série A-2 de 2010
Palpite: Coadjuvante de luxo

Quase desistiu. Vale ficar de olho no zagueiro Zé Roberto (ex-Marília) e no atacante Robinho (ex-Santa Cruz). O técnico é PC dos Santos.

Tupã Futebol Clube

Nome oficial: Tupã Futebol Clube
Cidade: Tupã
Fundação: 08/02/1936
Melhor resultado: 6º lugar na atual Série A-2 de 1954
Palpite: Briga por vaga na 2ª fase

A presidente Fabiane Bizo trouxe o técnico Bira Arruda, ex-Desportivo Brasil. Expectativa pela atuação do meia Zidane Guedes.

Vocem

Nome oficial: Vila Operária Clube Esporte Mariano
Cidade: Assis
Fundação: 21/07/1954
Melhor resultado: Fase final da Série A-2 de 1984
Palpite: Saco de pancada

Dedicou boa parte do ano a levantar fundos para a temporada. Betão Alcântara, ex-Marília, Noroeste e Osvaldo Cruz, deve ser o técnico.

GRUPO 3

Francana

Nome oficial: Associação Atlética Francana
Cidade: Franca
Fundação: 12/10/1912
Melhor resultado: Campeã da Série A-2 de 1977
Palpite: Pode ir longe

Planejamento foi todo alterado e jogadores dispensados após a pausa para a quarentena. O técnico Paulinho MacLaren foi mantido.

D7f08f8e0d3d83344d05328a7e5afdd9

Nome oficial: Associação Atlética Internacional
Cidade: Bebedouro
Fundação: 11/06/1906
Melhor resultado: 2ª colocada na Série A-2 de 1951
Palpite: Briga por vaga na 2ª fase

A Inter dispensou jogadores para que eles recebessem auxílio do governo. O técnico na busca pelo acesso será Valter Santos.

Matonense

Nome oficial: Sociedade Esportiva Matonense
Cidade: Matão
Fundação: 24/05/1976
Melhor resultado: Campeã da Série A-2 de 1997
Palpite: Coadjuvante de luxo

Após a crise que abateu a SEMA em 2019, o clube aposta em um técnico novato de apenas 22 anos — que é filho do presidente.

Saocarlense

Nome oficial: Grêmio Desportivo Sãocarlense
Cidade: São Carlos
Fundação: 20/06/2016
Melhor resultado: 38º na Segunda Divisão de 2019
Palpite: Saco de pancada

Ídolo do rival São Carlos, Marcus Vinícius Viola fará sua estreia como treinador profissional pelo Sãocarlense.

823px Símbolo Xv De Jaú

Nome oficial: Esporte Clube XV de Novembro
Cidade: Jaú
Fundação: 15/11/1924
Melhor resultado: 6º colocado na Série A-1 de 1956
Palpite: Pode ir longe

O Galo da Comarca terá seis colombianos no elenco, incluindo o artilheiro Batalla. O técnico Sérgio Caetano foi mantido para a temporada.

GRUPO 4

Elosport

Nome oficial: Elosport Capão Bonito
Cidade: Capão Bonito
Fundação: 10/05/1993
Melhor resultado: 5º colocado na extinta Série B-2 de 2003
Palpite: Saco de pancada

Após péssimos resultados, o clube terá gestão profissional. Com isso, José Carlos Vilela (o Fergurson caipira) dará lugar ao técnico Maizena.

E924db13 1eb2 41bb 9855 0f33d1c3eeb7

Nome oficial: Independente Futebol Clube
Cidade: Limeira
Fundação: 19/01/1944
Melhor resultado: Campeão da Série A-3 de 1973
Palpite: Coadjuvante de luxo

O ano foi marcado pela morte do lateral Kaio. Problemas financeiros podem se agravar com afastamento de parceiros na pandemia.

Itarare

Nome oficial: Associação Atlética Itararé
Cidade: Itararé
Fundação: 20/10/1950
Melhor resultado: 7º colocado da Série A-3 de 2005
Palpite: Corre por fora

Completando 70 anos em 2020, o Itararé tem como objetivo buscar o acesso. O técnico Casão terá jogadores remanescentes, além de reforços.

Riobranco

Nome oficial: Rio Branco Esporte Clube
Cidade: Americana
Fundação: 04/08/1913
Melhor resultado: 6º colocado na Séria A-2 de 2001
Palpite: Pode ir longe

O time do técnico Jorge Parraga terá como destaques Aritaninha (filho de Aritana, grande ídolo do clube) e o japonês Rinsei Kanda.

Uniao Agricola Barbarense Futebol Clube Sp Logo Black And White

Nome oficial: União Agrícola Barbarense Futebol Clube
Cidade: Santa Bárbara d’Oeste
Fundação: 22/11/1914
Melhor resultado: 6º colocado no Paulistão de 1999
Palpite: Pode ir longe

Com Clayton Vieira como gerente de futebol e Angelo Foroni como técnico, o Leão da 13 buscará acesso após campanha frustrada em 2019.

GRUPO 5

Nome oficial: Amparo Athlético Club
Cidade: Amparo
Fundação: 28/04/1919
Melhor resultado: Vice-campeão da Série A-3 de 1979
Palpite: Pode ir longe

Manteve o técnico Ricardo Chuva, que levou a equipe à 3ª fase em 2019. Tem parceria com a F1eld Pro e manteve parte do elenco, com reforços.

1bc756aae60e3931c859a6c3d47be46e

Nome oficial: Brasilis Futebol Clube
Cidade: Águas de Lindóia
Fundação: 01/01/2007
Melhor resultado: 16º lugar na Segundona de 2017
Palpite: Coadjuvante de luxo

Fundado pelo ex-jogador Oscar, o clube-empresa tem como foco a formação de atletas e disputa a Segundona por obrigação.

3c42afac 3321 45af A89d 6036634d05bc

Nome oficial: Associação Atlética Flamengo
Cidade: Guarulhos
Fundação: 01/06/1954
Melhor resultado: 3º colocado na Série A-2 de 2002
Palpite: Pode ir longe

A venda de lanches gerou verba na pandemia – e o dono da lanchonete virou diretor do time. Raphael Laruccia, treinador na Copa SP, é o técnico.

Untitled 1

Nome oficial: Associação Desportiva Guarulhos
Cidade: Guarulhos
Fundação: 01/02/1964
Melhor resultado: Vice-campeão da Segunda Divisão de 1994
Palpite: Corre por fora

Após ir longe em 2019, o Guarulhos sonhava mais alto para o almejado acesso em 2020, até vir a pandemia

Itapirense

Nome oficial: Sociedade Esportiva Itapirense
Cidade: Itapira
Fundação: 24/03/1947
Melhor resultado: 18ª colocação na Série A-2 de 2014
Palpite: Briga por vaga na 2ª fase

Perdeu o técnico Júnior Paulista, que em 2019 quase subiu o Fernandópolis. Eduardo Clara, que foi bem na Copa SP, entrou. Aposta na base.

GRUPO 6

27973179 1811839938874981 4059877030710574210 N

Nome oficial: Clube Atlético Mogi das Cruzes de Futebol
Cidade: Mogi das Cruzes
Fundação: 19/04/2004
Melhor resultado: 12º colocado na Segunda Divisão de 2009
Palpite: Saco de pancada

O elenco é formado por jogadores da região e será comandado por Valmir Silva. A expectativa é voltar a vencer uma partida após TRÊS anos.

Mantiqueira

Nome oficial: Academia Desportiva Manthiqueira
Cidade: Guaratinguetá
Fundação: 04/08/2005
Melhor resultado: 18º lugar na Série A-3 de 2018
Palpite: Coadjuvante de luxo

Campeão em 2017, o Cavalo voltou em 2019, mas foi mal. Nilmara Alves é a destaque, uma das primeiras mulheres a treinar um time masculino.

São José Simbolo

Nome oficial: São José Esporte Clube
Cidade: São José dos Campos
Fundação: 13/08/1933
Melhor resultado: Vice-campeão do Paulistão de 1989
Palpite: Candidato ao título

A aposta é no treinador Ricardo Costa, que tem três acessos na divisão, incluindo o Marília em 2019, de onde vieram três jogadores.

Mogi

Nome oficial: União Futebol Clube
Cidade: Mogi das Cruzes
Fundação: 07/09/1913
Melhor resultado: 4º lugar na Série A-2 de 1989
Palpite: Briga por vaga na 2ª fase

A equipe tinha 15 atletas e o treinador Cláudio Matosinhos confirmados antes da paralisação do futebol nacional devido a pandemia.

Uniao Suzano

Nome oficial: União Suzano Atlético Clube
Cidade: Suzano
Fundação: 25/01/1969
Melhor resultado: Disputou a Série A-3 entre 1982-1987 e 1991-1993
Palpite: Corre por fora

Após debandada de jogadores no ano passado, USAC tenta se reestruturar. Em outubro anunciou o treinador Ricardo Papa. 

GRUPO 7

Barca

Nome oficial: Barcelona Esportivo Capela
Cidade: São Paulo
Fundação: 20/01/2004
Melhor resultado: 25º na Segundona de 2016
Palpite: Saco de pancada

Famoso por revelar Diego Costa, o Barça será comandado por Edson Lino e mandará seus jogos no estádio Nicolau Alayon, na Barra Funda.

Jabaquara Atlético Clube.svg

Nome oficial: Jabaquara Atlético Clube
Cidade: Santos
Fundação: 15/11/1914
Melhor resultado: Vice-campeão paulista em 1927
Palpite: Corre por fora

Membro fundador da FPF, o Jabuca terá como treinador Euzébio Gonçalves, o Lelo, que tem seis acessos na carreira.

Mauá Futebol Clube

Nome oficial: Mauá Futebol Clube
Cidade: Mauá
Fundação: 23/10/2017
Melhor resultado: 12º colocado na Segundona de 2018
Palpite: Pode ir longe

É um time que nasceu recentemente, mas sempre mostrou ambição. Fez boas campanhas para um time iniciante, mas queria acessos imediatos.

Mauaense.svg

Nome oficial: Grêmio Esportivo Mauaense
Cidade: Mauá
Fundação: 15/12/1981
Melhor resultado: Campeão da Série A-3 em 1985
Palpite: Briga por vaga na 2ª fase

Em 2019, fez parceria com a Jomo Cosmos, da segunda divisão da África do Sul. O treinador é Tássio Lopes, que está no clube desde 2018.

SkaNome oficial: Futebol Clube Ska Brasil
Cidade: Santana de Parnaíba (manda jogos em Osasco)
Fundação: 13/06/2019
Melhor resultado: Estreante
Palpite: Pode ir longe

O clube ficou com a vaga do Osasco. Mudou de sede e tem o Edmilson como presidente. Recebe investimento da empresa japonesa Skylight Inc.

RAIO-X

Dono pentacampeão e DNA japonês: o estreante da Segundona Paulista 2020

Por Igor Nishikiori
Presidente Edmilson Moraes Apresenta Time Para Serie B Do Paulista 2
O ex-zagueiro Edmilson fundou o Ska Brasil em 2019 (Divulgação/Ska Brasil)

Parece nome de estilo musical, mas não é. Em meio a tantos clubes tradicionais, o Ska Brasil será o estreante da Segunda Divisão Paulista 2020.

Fundado em 2019 pelo pentacampeão Edmilson, o clube de Santana de Parnaíba nem iria competir no torneio. O time não constava entre os 42 participantes esperados antes da pandemia. Porém, em março, Edmilson se encontrou com o presidente do clube, Mário Teixeira (que também é dono do Osasco Audax) e ambos formalizaram uma parceria, na qual a agremiação osasquense cederá seu CNPJ ao clube caçula.

Assim, o Osasco FC mudou de nome, de escudo e de sede, tornando-se o FC Ska Brasil. Porém, os jogos ainda serão mandados em Osasco, no estádio Municipal José Liberatti, cerca de 30 km de distância do CT Professor Telê Santana, onde seus atletas treinam.

Falando nisso, a estrutura do Ska Brasil já o coloca em um patamar superior ao da maioria das equipes da Segundona. Com foco na formação de atletas, o clube conta com um amplo espaço para treinamentos, academia e fisioterapia, além de oferecer acomodação em forma de chalés a seus atletas.

Para bancar tudo isso, o clube tem como principal investidor a empresa japonesa Skylight Inc, que trabalha com consultoria de investimentos. A ligação entre clube e empresa é tão forte que influencia até na cor do time: o laranja seria a união do vermelho do Sol Nascente nipônico com o amarelo da bandeira brasileira.

O cara que ajudou o Brasil a conquistar uma Copa do Mundo com gol de bicicleta e tudo realmente tem motivos para sonhar alto em sua nova empreitada. E os clubes tradicionais precisam ficar ligados, porque o novato da turma já quer sentar na janelinha.

LISTA

Principais ausências: os recuados e acuados

Por Felipe Augusto

Em um ano atípico como vivemos, a Segunda Divisão também passou por questões peculiares, como ter diferentes divulgações de tabela. Entre uma e outra, sete equipes recuaram desistiram de participar. Outras foram cotadas, mas nem chegaram a manifestar possibilidade de disputar a quarta divisão estadual em 2020.

Por isso, resolvemos citar essas 14 equipes na lista das principais ausências da Segundona deste ano. Os sete primeiros citados iriam disputar esse ano, enquanto o restante provoca apenas a nossa nostalgia e nosso torcida por um retorno.

Joseense

480px Ca JoseenseA linha do tempo do clube de São José dos Campos em 2020 é bem peculiar. Em janeiro, uma nova direção assumiu o comando o clube. No mês seguinte, Nilton Moreira e o filho Cleverson assumiam a equipe e o clube estava na tabela da competição. Veio a paralisação, um novo arbitral e o Joseense não estava lá – para a surpresa de Nilton, que não foi avisado pelo presidente. O mandatário posteriormente alegou questões financeiras para desistir, mesmo que o time viesse treinando. É a primeira vez que o clube fica fora do futebol desde 2001, quando estreou no profissionalismo.

Jaguariúna

Jaguariunafc2018Integrante da Segunda Divisão entre 2017 e 2019, o clube chegou a estar presente nas primeiras listas de participantes da edição deste ano. No entanto, no começo de setembro, a diretoria divulgou nota para, “visando a integridade e a saúde dos membros, atletas e funcionários”, anunciar que não estaria na competição. A primeira meta do Jaguariúna é passar pela pandemia e disputar a Copa São Paulo de futebol júnior em 2021.

Mogi Mirim

574px Mogi Mirim Ec.svg

Carrossel Caipira nos anos 1990, quarto colocado na Série A-1 de 2013, participação na Série B do Brasileiro de 2015 e muita tradição. Mas muita incompetência fez com que o Sapo chegasse a uma situação de estar dois anos fora do futebol profissional. Em 2019, ficou fora por problemas jurídicos, com uma briga entre dois grupos pela presidência do clube. Mesmo sem muitas informações, a equipe originalmente estava na primeira tabela da Segunda Divisão, mas acabou desistindo pós-pandemia.

Santacruzense

Bra Sp SantacruzenseVamos voltar oito anos no tempo. Você coloca na Rede Vida, narração de Luiz Carlos Fabrini, sábado à noite, a Santacruzense entra em campo para mais uma partida da Série A-2. Mas o futebol é arriscadamente cíclico. Em 2014, o time voltou à terceira divisão e foi rebaixado no ano seguinte. Durou apenas uma temporada, até se licenciar em 2017. Essa temporada se confirmou o segundo ano inativo, tendo participado em 2018 e 2019. A Santacruzense também estava presente na lista inicial, mas confirmou a saída da competição em junho alegando falta de condições técnicas e financeiras.

São Carlos e Taboão da Serra

Saocarlos CatsNas três últimas temporadas, a dupla se encontrou na terceira divisão paulista e juntos foram rebaixados em 2019. Os dois projetos pareciam consistentes até certo tempo atrás, mas as coisas mudaram. Mesmo inscritos na primeira versão da Segundona 2020, os clubes acabaram por decidir se ausentar das competições desse ano.

O Taboão passa por problemas administrativos, sem apoio da prefeitura local, tendo que mandar jogos pela região, além das questões financeiras, sem conseguir patrocínio. A situação do São Carlos é mais caótica, correndo o risco de se confirmar a extinção da agremiação.

Taquaritinga

Na lista das 20 equipes com mais participações na Série A-2, com 26 aparições, e com três disputas da elite estadual, a temporada do Leão da Araraquarense se avistava promissora, com inscrição feita para a quarta divisão, anúncio do treinador Marcos Campagnollo, apresentação de parte do elenco em março e anúncio de patrocinadores. Tudo isso parou completamente quando a pandemia começou a se alastrar pelo país. Em junho, a direção da equipe não tinha previsão do começo do campeonato. Resultado: ficou fora da tabela na segunda inscrição.

Fernandópolis

Fernandópolisfc2019Entre 1998 e 2019, o Fefecê não disputou apenas uma edição da Segunda Divisão: foi em 2016, quando esteve pela última vez na Série A-3, após o vice da quarta divisão. A equipe quase subiu ano passado, mas viveu com muitos problemas extracampo, como WO, ônibus quebrado, atraso de salários e presidente acusado de ameaçar jogadores com uma arma. Além disso, Oclécio de Almeida Dutra e Ricardo Saravalli, mandatário e vice, respectivamente, foram presos em uma operação da Polícia Federal por irregularidades envolvendo o FIES. Por tudo isso, não surpreende a inatividade nessa temporada.

União São João

União São JoãoSeis anos de inatividade. Quem lembra do União São João disputando o Campeonato Brasileiro nos anos 1990 não imaginaria uma situação assim. São tantos anos fora que surpresa será quando o União voltar aos gramados. Em 2020, o clube quis participar do arbitral do escalão – não para jogar, e sim, para tentar brecar a criação da quinta divisão (que acabou sendo transferida para 2022), pois o clube teria que voltar um nível abaixo que o atual. Será que volta em 2021?

Grêmio Catanduvense e Catanduva FC

CatandDepois de duas temporadas com dois clubes na mesma divisão, Catanduva não terá futebol profissional em 2020. As duas equipes, desde o início do ano, demonstravam que não participariam. O caso do Catanduvense é mais crítico, pois acabou desistindo da disputa de 2019 em meio a competição, quando conseguiu chegar até a terceira fase. Já o Catanduva, por problemas financeiros, decidiu que não estaria nos gramados esse ano. É a primeira vez desde 2003 que a cidade fica sem futebol.

Grêmio Barueri e Guaratinguetá

Grêmio BarueriDesde que o Grêmio Barueri foi rebaixado da Série A-3 em 2016, seu retorno às atividades vem sendo bastante cotada. Nos últimos anos, a equipe trocou de diretoria, encheu as redes sociais falando de uma volta… Mas ficou fora da Segundona de 2020.

A trajetória é bem parecida com a do Guaratinguetá, que escalou rapidamente as divisões paulistas e brasileiras no século, mas não entra em campo desde a queda na A-3 de 2016. A diferença, porém, é que o Guará se licenciou em 2017, prometendo uma reestruturação. Desde então, nem sinal de um retorno.

Jaboticabal

JaboticabalaEsse é um caso bônus. Colocamos o Jaboticabal Atlético nessa lista por ser um dos sete maiores campeões da divisão, com dois títulos, em 1989 e 1996. São 13 participações no escalão, mas a última foi em 2012, quando chegou até a terceira de cinco fases. Nas redes sociais do clube, muitos torcedores questionam a razão de não voltarem ao profissionalismo e a justificativa é a falta de um estádio adequado, precisando de apoio do poder público após a demolição do estádio Dr. Robert Todd Locke em 2018. A equipe mantém atividades e deve participar da Taça Paulista Sub-20, organizada pela Liga de Futebol Nacional do Brasil, além de ter novos uniformes, como na publicação abaixo.

ENTREVISTA

“O nível do campeonato sempre foi bem alto”, diz destaque do Paulista em 2019

Por Guilherme Bucalon

 

Img 9569
Jeferson no Paulista de Jundiaí em 2019 (Gustavo Amorim/Paulista FC)

Os números da Segundona são cruéis. Em 2019, foram 41 times na disputa, que só teve vagas para promover dois: Paulista e Marília. Os outros 39 ficaram pelo caminho.

Por isso, quem chega lá sabe o trabalho que é. Foi o caso do meia Jeferson, autor de 11 gols pelo time de Jundiaí na competição em questão – o time de Jundiaí acabou campeão.

Natural de Niterói (RJ) e com passagem pelo Vasco da Gama, Jeferson Carneiro Tavares foi cotado em 2020 em clubes como Botafogo e Fortaleza. Reforço do Gonçalense na temporada, ele contou como foi aquela vitoriosa campanha do Paulista.

Última Divisão: Quais foram as maiores dificuldades da competição?

Jeferson: Sobre a competição no ano de 2019, foi um campeonato muito longo e a quantidade de jogos com certeza foi a maior dificuldade. Mas foi um campeonato muito competitivo, com equipes boas, que fizeram grandes jogos contra o Paulista.

0001 (250)
Paulista fez final contra o Marília em 2019 (Gustavo Amorim/Paulista FC)

Última Divisão: Você acha que o nível da competição pode ser tão grande quanto a segunda divisão de outros estados?

Jeferson: O nível do campeonato sempre foi bem alto e acho que pode ser, sim, grande quanto aos outros estaduais. Tivemos muitos adversários que fizeram frente contra a gente, jogos emocionantes, mas eu acho que o que mais me surpreendeu foi o nível das equipes que estavam jogando a competição, com jogadores diferenciados que poderiam estar em clubes jogando divisões acima. É por isso que acho que os clubes que procuram jogadores deveriam olhar mais para essa divisão, que lá vão achar jogadores que valem a pena o investimento, que não seria tão alto.

Img 9520
Jeferson foi vice-artilheiro do time, com 11 gols (Gustavo Amorim/Paulista FC)

Última Divisão: Qual a sensação de jogar por um clube tradicional no cenário estadual como o Paulista?

Jeferson: Posso dizer que fui honrado em jogar lá, um clube que, independente de suas dificuldades, me abraçou e me deu a oportunidade de mostrar meu trabalho, que tem uma torcida impressionante, que nunca abandonou o nosso time – até em jogos que estávamos perdendo. Com toda a certeza, é um clube que sempre vou carregar um carinho enorme por ele.

Última Divisão: E algum outro ponto que você se lembra em relação a competição do último ano que te chamou a atenção, algum clube que você se lembra que foi mais difícil de enfrentar?

Jeferson: Sobre os adversários, tinha muitos times bons que faziam a competição crescer mais, né? Que dificultavam muito contra a gente. E eram equipes com nome também, como São José, Marília, Flamengo de Guarulhos, Amparo, entre outros.

OPINIÃO

“Quem é que sobe?”: Os palpites de quem entende

Por Emanuel Colombari e Natália Furlan

Você não precisa acreditar nas nossas avaliações e nas nossas informações sobre a Segundona. Mas que tal ouvir os palpites de quem entende bastante do assunto?

Para isso, a gente procurou cinco especialistas na competição: Fernando Martinez (Jogos Perdidos), Gustavo Monge (Futebol Interior), Sérgio Oliveira (FATV), Lorenzo Meyer (Escanteio SP) e o Corneta Caipira, que você certamente conhece o Twitter.

A gente quis saber deles quem são os favoritos, quem deve decepcionar e o que esperar a Segundona 2020. Vamos às respostas?

O que esperar da Segunda Divisão do Paulista 2020?

Para Fernando Martinez, “é talvez o campeonato mais sem saber o que esperar em todos os tempos”. “Em virtude da pandemia, o cenário mudou e não tem como imaginar quem será o grande nome”, acredita.

Sérgio Oliveira também vê um cenário mais incerto. “Por mais clichê que seja essa resposta, eu espero muito equilíbrio. A pandemia equilibrou bastante as ações, pois times mais bem preparados ficaram parados muito tempo. Com todo mundo voltando aos treinamentos em datas próximas, teremos jogos muito nivelados”, afirmou.

Rio Branco Covid
Covid-19 deixou a Segundona ainda mais imprevisível (Divulgação/Rio Branco de Americana)

A análise é semelhante à de Lorenzo Meyer, que vê a curta duração da competição como um ingrediente importante.

“Campeão da Segunda Divisão em 2019, o Paulista iniciou sua caminhada em abril e terminou apenas em novembro. Foram 60 jogos neste período. Para a temporada de 2020, o campeão jogará oito partidas na fase de grupos e mais oito no mata-mata. Sendo disputada em tiro curto, a tendência é de que as ‘zebras’ tenham mais espaço para aparecer”, avalia.

Gustavo lembrou que, além da restrição de idade, o investimento em um torneio rápido pode ser certeiro.

“Para a edição deste ano, uma nova situação foi adicionada: haverá jogos em todos os finais de semanas e durante o meio de semana, o que fará com que a Bezinha tenha um tiro curtíssimo. Assim, a equipe que conseguir investir em questões de infraestrutura e logística terá um diferencial em relação às demais”, aposta.

“Por outro lado, a falta de torcida pode pesar para clubes tradicionais, como São José e XV de Jaú. Com jogadores de idade mais baixa, um ambiente mais hostil, com estádio cheio, poderia ser um diferencial. Portanto, além de esperarmos que novos jogadores despontem no cenário, podemos esperar equilíbrio no momento da decisão, com pequenos detalhes podendo fazer a diferença.”

O Corneta Caipira também destaca o potencial que a competição tem para formar e revelar atletas. “Mesmo com as equipes sendo formadas por jogadores jovens e desconhecidos, a expectativa é que a Bezinha siga a tradição de revelar jogadores para times de divisões mais acima do Paulistão e até mesmo a nível nacional. Do time campeão do ano passado, por exemplo, temos o Gabriel Terra que hoje atua pelo Juventude, na Série B do Campeonato Brasileiro”, destaca.

Quem são os favoritos nos grupos?

A gente perguntou também quem parece mostrar força já para a primeira fase, e deixou a votação aberta. Estava liberado apontar um por grupo, dois por grupo, analisar cada chave ou nem mesmo apontar candidatos em todos os grupos.

“Apesar do cenário financeiro complicado por conta da pandemia do novo coronavírus, algumas equipes estão investindo pesado na montagem do elenco a até mesmo na estrutura, como São José e XV de Jaú. O primeiro, inclusive, trouxe jogadores de times da Séries A2 e A3, além de vários atletas que ganharam a última edição”, aponta Lorenzo Meyer, que alerta para possíveis surpresa.

“Vindo de boas campanhas, o Flamengo de Guarulhos também figura entre os candidatos ao acesso, mas acredito em surpresas nesta Bezinha de tiro curto. Olho no Osvaldo Cruz e no Andradina..”

Gustavo, por sua vez, apontou o Grupo 3 como o “grupo da morte” e colocou o São José como o principal candidato a passar pelo Grupo 6. “A Águia trouxe de volta Ricardo Costa, dono de três acessos e uma semifinal nos últimos quatro anos, e anunciou bons nomes, como o zagueiro Henrique, ex-Taubaté, e o meia Neto, ex-Capivariano.”

120021860 608019339877431 2235871469838677467 N
São José EC se reforçou bem para a temporada (Divulgação)

Fernando Martinez, por sua vez, foi cauteloso. “A gente tem poucas informações a respeito de preparação e afins”, reconhece.

Os votos, contabilizados por chave, foram os seguintes:

  • Grupo 1 – Andradina (3), Bandeirante (2) e Araçatuba (1)
  • Grupo 2 – Grêmio Prudente (3), Tupã (2) e Osvaldo Cruz (1)
  • Grupo 3 – XV de Jaú (3) e Francana (2)
  • Grupo 4 – Rio Branco (3) e Itararé (2)
  • Grupo 5 – Flamengo (4) e Amparo (1)
  • Grupo 6 – São José (4) e Mantiqueira (1)
  • Grupo 7 – SKA Brasil (2), Jabaquara, Mauá e Barcelona (1)

Qual equipe pode surpreender nesta edição da Bezinha?

Assim, curto e grosso. As respostas:

Fernando Martinez: “Talvez o SKA Brasil pela estrutura.”

Sérgio Oliveira: “Barcelona. Conseguiu uma boa grana com venda de jogadores revelados por eles. Não sei como esse dinheiro está sendo investido, mas se for na montagem do time, pode vir coisa boa por aí.”

Gustavo Monge: “É bastante comum uma equipe ‘encaixar’ e conseguir uma arrancada inesperada. Apontaria São José como favorito, seguido de perto pelo XV de Jaú, mas com Grêmio Prudente e Flamengo com potencial para aprontar.”

Lorenzo Meyer: não respondeu.

Corneta Caipira: “Acho que o Jabaquara pode surpreender muito por conta do Lelo, um técnico com experiência de acessos nesta divisão.”

E quem é candidato a ”flopar” na competição?

“Tem muito time que a gente sabe que entra para não fazer nada, por exemplo Barcelona Capela e Atlético Mogi”, acredita Fernando Martinez.

Já para Sérgio Oliveira, “pela camisa e tradição, Barbarense, Rio Branco e America devem decepcionar muita gente”. Mas lembra: “Para mim, não é flop, pois não espero muita coisa da participação deles”.

Gustavo também mostra pouco otimismo com que vem de São José do Rio Preto. “Desde o rebaixamento na A3 de 2014, o América jamais mostrou que poderia chegar ao acesso, apesar de ser uma das camisas mais tradicionais do Interior, com mais de 40 aparições no Paulistão e participações no Brasileirão. E a tendência rubra para 2020 é mais uma vez decepcionar o torcedor americano.”

O Corneta acompanha o voto. “Esperava muito do América de Rio Preto por conta do Pinho. Sem ele as coisas não devem ir tão bem”, afirma.

E o campeão?

É o que todo mundo quer saber. E um nome parece surgir com força.

“Com uma camisa tradicional e o principal treinador da divisão nas últimas quatro temporadas, o São José montou um elenco promissor e aparenta ser o principal candidato ao título”, avisa Gustavo, que lembra: “O XV de Jaú também merece atenção”.

Corneta Caipira e Sérgio Oliveira também apontaram o São José como nome forte na briga.

Já Fernando Martinez cita outros nomes, mas admite: no chute. “Algum entre Grêmio Prudente, Francana e Flamengo.”

CALENDÁRIO

Quando e onde assistir?

Confira as datas e horários da primeira rodada da Segunda Divisão Paulista 2020:

Sábado (17/10/2020)

  • Itapirense x Amparo (15h)
  • Brasilis x Guarulhos (15h)
  • Suzano x União Mogi (15h)
  • Atlético Mogi x Manthiqueira (15h)
  • Barcelona x Jabaquara (15h)
  • Ska Brasil x Mauaense (15h)
  • Francana x Inter de Bebedouro (16h)

Domingo (18/10/2020)

  • Araçatuba x América-Rio Preto (10h)
  • Independente-Limeira x U. Barbarense (10h)
  • Bandeirante-Birigui x Tanabi (11h)
  • Grêmio Prudente x VOCEM (15h)
  • Matonense x Sãocarlense (15h)
  • Elosport x Itararé (15h)
  • Tupã x Osvaldo Cruz (15h30)

Todas as partidas serão transmitidas ao vivo no MyCujoo da Federação Paulista de Futebol.

FICHA TÉCNICA

Quem fez o Guia UD da Segundona Paulista 2020?

Pesquisa e Produção

Diagramação

Arte

Publicidade