Após 11 rodadas, Santa Cruz e Oeste vencem a primeira na Série C

Divulgação/Oeste FC
392

Para a alegria dos torcedores de Santa Cruz e Oeste, lanternas em seus grupos, os dois times finalmente venceram sua primeira partida na Série C 2021, mas a coincidência nas campanhas não para por aí. Os dois clubes conquistaram apenas 1 vitória e 3 empates em 11 jogos, um aproveitamento de 18% até aqui, dividem o pior ataque, cada um com apenas 6 gols marcados, e ambos têm que tirar 5 pontos para saírem da zona de rebaixamento.

Leia Mais:

Agora vêm a parte ruim de verdade: as vitórias foram importantes e podem representar um real ponto de mudança para as duas equipes na competição, principalmente para o Santa, mas a dura realidade por trás do triunfo bate à porta mostrando uma grande dificuldade para que essa fuga do rebaixamento aconteça, tanto que Santa Cruz e Oeste ainda lideram as estatísticas para a probabilidade de rebaixamento. Mas o VAR quer saber de você, Santa Cruz e Oeste escapam? Ainda dá? Deixa nos comentários desse texto e bora tratar jogo a jogo desta rodada.

 

Publicidade

GRUPO A

Altos 1 x 1 Ferroviário

Tivemos um primeiro tempo bem abaixo, com pouca qualidade e criatividade de ambos os times. O Altos até tentava, o Ferroviário acabou adotando uma postura mais defensiva, logo o jogo ficou preso a passes mais laterais e tentativas frustradas de tabela.

Emoção mesmo fomos ter só no segundo tempo, mais especificamente após o Altos abrir o placar com Manoel, sempre ele, um dos artilheiros do campeonato com 7 gols marcados. Após tomar o gol, o Ferroviáro se viu obrigado a buscar o ataque, dando espaços para o time piauiense, que só não matou a partida por falta de qualidade e calma na frente. Depois de 3 chances perdidas pelo time da casa, o Ferrão empatou já nos acréscimos com Augusto, levando um ponto para o Ceará.

 

Tombense 3 x 0 Jacuipense

Logo de início, precisamos dizer que o placar não condiz de fato com o que cada time apresentou em campo. O resultado poderia ter sido bem mais alargado não fosse a vontade do Tombense de perder gols feitos, mas ponto positivo ao volume de jogo do Tombense, que dominou a partida desde o início. O placar foi aberto em uma descida rápida de David, que pela direita cruzou e contou com o desvio contra de Thiago Alves. Mesmo perdendo, a postura do Jacuipense não mudou e o time continuou recuado e sem oferecer grandes riscos até o final da primeira etapa.

A conversa no vestiário pareceu fazer bem aos visitantes, tanto que o Jacupa voltou para a segunda etapa tentando incomodar, principalmente nas bolas paradas e nos chutes de fora. O time teve chance de empatar aos 17 minutos, mas a bola explodiu na trave e a partir desse lance as coisas ficaram complicadas de vez, porque no contra-ataque Everton Galdino aumentou o placar para o Tombense. Nos acréscimos William deu números finais a partida e aumentou o saldo de gols da equipe de Tombos.

 

Floresta 0 x 2 Santa Cruz

Tivemos um jogo bastante brigado, muito mais na imposição física do que propriamente pela qualidade de ambas equipes, mas o Santa Cruz foi melhor, ou pelo menos buscou mais o gol. O primeiro saiu ainda na etapa inicial com Pipico, que marcou de cabeça após boa jogada do meia Jailson. Estreando no time, ele foi o nome do jogo, responsável por quase todas as boas chegadas ofensivas da Cobra Coral.

O Floresta, perdendo, teve que buscar mais o jogo na etapa final, mas o time esbarrou na falta de qualidade. Troca de passes lentas, falta de aproximação e repertório tornaram a missão do time bastante complicada. Adicione a tudo isso à pouca vontade de jogo que o Santa Cruz demonstrava, com tentativas de picotar a partida a todo momento. No final, quem conseguiu marcar foi o time visitante, com o zagueiro Rafael Castro testando para gol após uma cobrança de falta.

O Santa Cruz saiu vitorioso no jogo em que disputou basicamente a permanência na competição. Falo isso porque, em caso de derrota, o time teria que tirar uma diferença de 10 pontos em 7 rodadas, seriam 3 partidas só para chegar na pontuação, supondo que o o Floresta não pontuasse também. E aproveitando, não deixe de ver nosso vídeo sobre a crise no Santa Cruz e as possíveis soluções para evitar a queda.

 

Manaus 1 x 0 Volta Redonda

O Manaus segue muito bem, obrigado, após a troca na comissão técnica. Com duas vitórias seguidas, a hashtag da vez no ciclo dos torcedores inclusive é #Evaristizado. O time de Evaristo Piza começou a partida tomando a iniciativa e chegou a ter um gol bem anulado no primeiro tempo. Atrás, porém, continuava dando espaço para o jogo em velocidade do Volta Redonda, mas pecava na finalização. O gol dos mandantes saiu já nos acréscimos do primeiro tempo após jogada de Dudu Mandai, que cruzou para Gilson acertar um chutaço.

O segundo tempo não teve muita coisa, o jogo acabou sendo mais morno e no final o Manaus carimbou mais três pontos, subindo mais um pouquinho na tabela. Com a derrota, o Volta Redonda caiu três posições, mas se manteve no G4. O trabalho de Neto Colucci e companhia não é dos melhores, mas há também que se pensar nas dificuldades de peças, principalmente na parte ofensiva. Tanto que o Voltaço anunciou a contratação do meia Olávio, artilheiro do Brasil na temporada com 22 gols marcados, vindo do Atlético Cearense-CE, na Série D.

 

Botafogo-PB 2 x 1 Paysandu

Tivemos um bom jogo entre Botafogo-PB e Paysandu, com emoções do começo ao fim. O Paysandu, honrando a melhor campanha dos visitantes, logo conseguindo encaixar seu ritmo no primeiro tempo e abriu o placar com Marlo, que acertou um drible desconcertante em Gabriel Yanno e bater cruzado.

No intervalo, Gerson Gusmão acertou o time e voltou com Welton na vaga do Amaral. A mudança fez efeito cedo e logo aos 7 minutos veio o empate do Belo, com Welton empatando a partida depois de uma furada vergonhosa de Éderson. O Botafogo continuou dominando a partida depois do empate e conseguiu virar aos 21 minutos com TSUNAMI de cabeça (reparem que o Tsunami não é alto, não é forte, nem mesmo é atacante, mas conseguiu cabecear uma bola no meio da defesa do Papão). O Belo ainda teve chance de aumentar o placar de pênalti, mas Victor Sousa defendeu a cobrança de Marcos Aurélio.

 

GRUPO B

Ypiranga 1 x 0 Mirassol

O placar pode não entregar, mas tivemos um grande jogo em Erechim, com boas chances de gols para os dois times, bolas na trave para ambos os lados, mas quem tem Quirino, acaba geralmente se dando melhor. Um dos artilheiros da Série C com 7 gols, foi dos pés do jogador que saiu o chute para o gol que definiu o placar da partida. Detalhe, em mais um erro de marcação do Mirassol, que deixou o jogador livre na área algumas vezes.

É bom destacar que o Mirassol fez uma boa partida ofensiva, algo que é esperado de um time dirigido por Eduardo Batista e que não vem se confirmando na prática em geral. Há muita dificuldade para a criação de jogadas, mas o fator determinante nesta partida foram os erros de marcação da equipe.

 

Novorizontino 0 x 0 Ituano

De longe, o confronto entre os times paulistas foi o pior jogo da rodada, por isso temos poucos destaques para a infinidade de minutos jogados. Para se ter noção, o ponto alto do primeiro tempo foi a substituição do goleiro do Novorizontino, Rodrigo Viana, que sentiu contusão e deu lugar a Lucas Pereira, isso já aos 30 minutos.

Na segunda etapa pouca coisa mudou, os times com zero de inspiração não conseguiram criar muita coisa. O Novorizontino tenta jogar no arroz com feijão e fechar com 1 a 0, o que dessa vez não aconteceu, e o Ituano foi para não perder a partida, o técnico Mazola tentou uma formação um pouco diferente e acabou perdendo toda a velocidade da equipe.

 

Botafogo-SP 1 x 0 Paraná

Partida bastante movimentada, com direito a bola na trave com 10 minutos de jogo. O primeiro tempo foi equilibrado, mas o Botafogo tomava mais a iniciativa, restando ao Paraná jogar nos contragolpes, que funcionam bastante com o atacante Reis em campo. Com chances para os dois lados, o primeiro tempo acabou empatado.

Na segunda etapa o Botafogo continuou indo pra cima e conseguiu abrir o placar com Rodrigo, de falta. A bola ainda desviou em Rômulo Costa antes de entrar no gol. Detalhe que na partida contra o Ypiranga ele também desviou contra a própria meta. Vocês já viram um jogador meter dois gols contras em dois jogos seguidos? Ah, Rômulo… Depois do gol, o Paraná ainda tentou buscar o empate, mas o Botafogo-SP fez o que sabe fazer de melhor e alugou vários ônibus para colocar na entrada da sua área.

 

Oeste 2 x 1 Figueirense

O Oeste venceu o jogo por dois motivos: a realização de gols, coisa rara de ser no Oeste, e a incompetência ofensiva do Figueirense, que poderia ter feito ao menos três gols só no primeiro tempo não fossem os erros de finalização. É verdade que o Figueirense ainda tem o direito de reclamar da arbitragem por não ter marcado um pênalti logo no começo da partida, mas ainda não explica a falta de pontaria.

Os gols do Rubrão foram marcados por Luizinho e Deivid, ambos de cabeça, enquanto o Figueirense descontou já no final da partida com  Bruno Paraíba e ainda, pasmem, teve a chance de empatar, mas o time novamente desperdiçou.  Se em diversos momentos o Oeste jogou melhor e não saiu vencedor, dessa vez o time não foi bem, mas adicionou os três pontos na tabela. Quanto ao Figueira, baita balde de água fria no torcedor, que viu o time mais uma vez decepcionar. Com a derrota, a tabela mostra que a luta do time de Floripa, hoje, é pelo meio de tabela.

 

Criciúma 2 x 1 São José

Mais um jogo interessante que tivemos na rodada, um pouco diferente das perspectivas, o que o deixou ainda melhor. Em geral, com o Criciúma jogando em casa, o time acaba sendo mais dominante, pressiona o adversário e fica com a bola. Não foi isso que vimos em campo; na verdade quem mais tentou jogar e reter a bola foi a equipe do São José, com o Criciúma tentando fazer uma marcação sob pressão em alguns momentos. O jogo era equilibrado até o zagueiro Jadson, do Zeca, recuar errado a bola e dar de presente para o ponta Silvinho, que abriu o placar.

Achou que o Jadson seria o vilão do jogo? Errou! Após boa cobrança de falta, de bem longe, o goleiro Roberto falhou e acabou rebatendo a bola no pé de quem? Dele mesmo, Jadson, que só completou para empatar a partida. Fomos para o intervalo com empate justo no placar, mas ele não se manteve na segunda etapa. Isso porque o São José era melhor na partida, criava as melhores chances, mas foi o Criciúma que conseguiu matar o jogo em uma saída rápida, com Silvinho novamente metendo pra rede.


Curtiu o texto? Então comenta aí. Não esquece de seguir o Chama o VAR, temos Twitter, Instagram e TikTok. Mas não é só isso, aproveita e se inscreve no nosso canal do YouTube para assistir nossas lives semanais sobre a Série C e vem de play nos nosso episódios semanais de podcast. Todos os Clubismo da Série C você encontra no Chama o VAR.

Comentários