Série C tem empate com demissão dos dois técnicos e rodada com clássicos regionais

Ismael Monteiro / Manaus FC
79

Chegamos ao final do 1º turno da Série C 2021 do Brasileirão com uma rodada recheada de confrontos regionais, mas o que chamou atenção foi a dança de técnicos que aconteceu nos pós-jogos. No Oeste, João Brigatti, ex-Paysandu e Santa Cruz, chega para tentar salvar o time da eminente queda. Tivemos também o empate das demissões, já que tivemos Manaus e Paysandu curiosamente demitiram seus treinadores após o empate entre as duas equipes no final de semana.

Leia Também:

Se a demissão de Vinicius Eutropio já era esperada no Paysandu, a de Marcelo Martelotte no Manaus acabou sendo uma surpresa. Ambos os times foram rápidos e contrataram outros comandantes. Roberto Fonseca no Paysandu e Evaristo Piza no Manaus chegam com missões parecidas: chegar a 2ª fase e também melhorar o rendimento das equipes.

Publicidade

Por falar em troca de técnicos, tivemos 7 ao longo do 1º turno da Série C. Oeste, Paysandu, Paraná, Manaus, Santa Cruz, Ituano e São José decidiram interromper o planejamento e fazer mudanças na rota, mas cuidado, a cláusula de demissão para técnicos está valendo e o campeonato ainda tem 9 rodadas finais. Veremos como tudo isso vai acabar.

 

GRUPO A

Tombense 1 x 1 Volta Redonda
A partida dos times que menos perderam na competição não poderia terminar de outra que forma que não o empate. Mas o jogo não foi parado: o primeiro tempo foi movimentado, com os dois times revezando no controle da partida. Nos acréscimos, quando o Volta Redonda estava melhor na partida, Everton e David puxaram o contra-ataque do Tombense e Rubens deixou o dele, abrindo o placar para os donos da casa.

O Tombense, inclusive, voltou melhor para a segunda etapa, com boas chances de aumentar o placar, mas Vinícius Dias fez outra uma bela partida e não deixou passar. Como quem não faz (geralmente) toma, a bola puniu e o lateral do Volta Redonda Oliveira chapelou o zagueiro Bispo e foi derrubado na área. Na cobrança de pênalti, Luciano Naninho empatou a partida.

 

Floresta 1 x 1 Ferroviário
O jogo foi equilibrado no clássico cearense, mas ficou marcado por duas jogadas fortes por parte dos jogadores do Floresta que deveriam ter sido punidos com a expulsão. No primeiro tempo o atacante Alison Mira acertou o cotovelo no estômago do meio-campista Emerson Souza, mas o árbitro nem falta deu. No segundo tempo, o ponta Deysinho deu uma tesoura no lateral-direito Lázaro e recebeu apenas amarelo.

Nos dois lances o juizão deveria ter expulsado os jogadores e provavelmente essa vantagem de 2 a mais deixaria o Ferroviário em melhores condições para levar os 3 pontos. Mas, falando de bola na rede, os dois gols saíram no segundo tempo. Alison Mira abriu o placar para o Floresta com um belo chute de fora da área nos acréscimos e o meia Jô desviou contra o próprio patrimônio, empatando para o Ferroviário.

 

Botafogo-PB 1 x 0 Santa Cruz
O único jogo que não terminou empatado do Grupo A também não foi dos melhores para se assistir, principalmente no 1º tempo. Truncado, com muitas faltas e poucas chances para os times, tivemos pouca coisa para destacar, a não ser a expulsão infantil de Levi, deixando o Santa Cruz com 1 a menos.

As coisas mudaram no segundo tempo. O Botafogo-PB, em superioridade numérica, se jogou um pouco mais ao ataque. Foi o suficiente para abrir o placar aos 9 minutos, em um lindo chute do meia Sávio. Após o gol, o Belo recuou para atrair o Santa Cruz e fechar o jogo, mas o time visitante vive uma fase tão ruim que chegar ao gol já é um feito.

 

Altos 2 x 2 Jacuipense
Os dois times começaram com freio de mão puxado e demoraram para engrenar. O Altos tinha a bola, mas não conseguia criar, enquanto o Jacuipense tentava na velocidade, também sem conseguir concluir as jogadas. O primeiro gol do Jacupa saiu aos 34 minutos: depois de cobrança de falta na barreira, o lateral Vicente pegou rebote e acertou um chute incrível. O empate do Altos veio aos 50 minutos: após Juninho Arcanjo acertar a trave, o atacante Betinho aproveitou rebote e deixou o dele.

O segundo tempo começou melhor. Logo no início, o atacante Bambam foi agarrado na área pelo zagueiro Wesley e o próprio atacante converteu. Quando pensamos que o jogo estava definido, o Altos voltou a empatar, dessa vez com o atacante Manoel, que tirou a zica de quase um mês sem balançar as redes.

E não foi só isso, tivemos polêmica também: no final do jogo, o lateral-esquerdo Tiaguinho foi expulso por impedir uma oportunidade clara de gol, já que o goleiro Fábio estava fora da meta, mas os jogadores do Altos reclamaram de falta do atacante Itinga no goleiro Fábio na jogada anterior.

 

Manaus 1 x 1 Paysandu
Tivemos um primeiro tempo até que movimentado, mas com pouca qualidade ofensiva de ambas as equipes. O Paysandu, melhor visitante da Série C, até começou bem a partida, mas o Manaus foi equilibrando o jogo e chegou com certo perigo ao gol.

No 2º tempo, o técnico Marcelo Martelotte resolveu mudar e corrigiu o meio-campo do Manaus. Alan Dias, Douglas Lima e João Diogo, os três que vieram do banco, fizeram a jogada de gol do Manaus. Aliás, GOLAÇO de calcanhar de João Diogo. Com a iminente derrota, o Paysandu se mandou para o ataque e fez o gol de empate já nos acréscimos, aos 49 minutos: cruzamento na área, o goleiro Renan Rocha saiu muito mal do gol e (Ribe)Rildo deixou o dele logo na estreia.

 

GRUPO B

Criciúma 1 x 0 Figueirense
No clássico regional, o 1º tempo foi todo do Criciúma, único time que tentou abrir o placar. Com posse de bola e boa intensidade, o time não deixava o Figueirense ficar com a bola. Numa dessas chegadas, Silvinho (o nome do jogo) cruzou e Hygor abriu o placar. O time visitante tinha muita dificuldade de obter vantagem no meio-campo. Nem marcava bem, nem segurava a bola.

Na etapa final, o Figueirense melhorou e chegou até a colocar uma pressão no Criciúma, principalmente pelo lado direito e nas bolas paradas, mas não foi o suficiente para evitar a derrota.

 

Oeste 1 x 1 Paraná
No jogo dos desesperados, o Oeste começou muito bem a partida. Apesar das limitações técnicas, o time foi para cima e abriu o placar cedo, logo aos 6 minutos, com o atacante Kalil. O que mais chamou atenção foi o péssimo início do Paraná, que entrou com a intensidade de jogo-treino em pré-temporada. Mesmo perdendo, o time continuava recuado em campo.

O Paraná voltou um pouco melhor para o 2º tempo e empatou a partida com o zagueiro Vinicius Guarapuava em um escanteio, mas o jogo continuou com muito erros técnicos e sem muita intensidade, terminando em um empate horroroso para os dois times.

 

Ypiranga 2 x 1 São José
O confronto de gaúchos deu a liderança de volta ao Ypiranga e fez o São José virar o turno na zona de rebaixamento. O time da casa começou com tudo e abriu o placar cedo, aos 14 minutos, com o capitão Kanu desviando cobrança de falta. Já no final do 1º tempo, confusão na área do Ypiranga e o atacante Gabriel Lima aproveitou para empatar a partida.

O gol da vitória do Canarinho saiu depois de uma boa troca de passes pelo lado esquerdo que terminou em Jonathan. Ele cruzou na medida para o volante Clayton, livre de marcação, decretar a vitória dos donos da casa. O Ypiranga terminou com o melhor ataque (18 gols) e a melhor campanha da 1ª fase.

 

Novorizontino 1 x 0 Mirassol
Tivemos um 1º tempo parado em Novo Horizonte, com o Mirassol ficando mais com a bola e o Novorizontino buscando agredir nos contra-ataques. O primeiro tempo terminou empatado, com o Mirassol levando mais perigo a meta adversária.

Na etapa complementar a estrela de Cléo Silva, do Novorizontino, novamente brilhou. Aos 24 minutos, ele recebeu a bola e cruzou na cabeça de Michel Douglas, que fez um bonito gol. Destaque para a 3ª assistência em 3 jogos para o Cléo. O Mirassol tentou, mas esbarrou na falta de qualidade e também na defesa do time da casa, que garantiu mais três pontos na competição.

 

Botafogo-SP 2 x 1 Ituano
Esse jogo teve de tudo: gol do Walter, aquele, encontro de Eduardo Fuchs e Mazola Jr, dois técnicos com propostas bem reativas de jogo. E para a surpresa de muitos, inclusive este que vos fala, foi um bom jogo. Quem esperava uma postura superdefensiva dos dois lados se surpreendeu. Os times buscaram o jogo desde o começo.

Quem se deu bem no começo foi o Ituano, que abriu o placar no primeiro tempo com o meia Lucas Nathan, depois de falta cobrada por Eduardo Ramos (o cara que aparece em bola parada, cria jogada de gol e some). Com a vitória, o técnico Mazola chegaria a 6 vitórias seguidas, batendo um recorde de 19 anos do time de Itu.

Mas faltou combinar com o Botafogo-SP. Na segunda etapa o Pantera voltou com tudo e, logo aos 2 minutos, Walter empatou a partida, fazendo o primeiro gol dele pelo clube. E ainda teve mais: na reta final, Neto Pessôa recebeu um lateral e deu uma traulitada para virar o jogo, decretando a primeira derrota de Mazola Jr no comando do Ituano.


Curtiu o texto? Então comenta aí. Não esquece de seguir o Chama o VAR, temos Twitter, Instagram e TikTok. Mas não é só isso, aproveita e se inscreve no nosso canal do YouTube para assistir nossas lives semanais sobre a Série C e vem de play nos nosso episódios semanais de podcast. Todos os Clubismo da Série C você encontra no Chama o VAR.

Comentários