Mata-mata da Série D tem golaços, equilíbrio e bizarrice no Brasiliense

Foto: Marujo Audiovisual
224

O mata-mata da Série D começou, mas não trouxe grandes definições. Os jogos de ida foram quase sempre equilibrados. Então só vieram empates e vitórias magras. O que é ótimo, porque o próximo final de semana deve pegar fogo, com os jogos de volta.

O que também chamou atenção no mata-mata foi a grande quantidade de golaços. Teve pintura para todos gostos: bicicleta, cobrança de falta, jogada individual, cobertura…

Publicidade

Por fim, depois das partidas, surgiu uma notícias bizarra: a troca de técnico no Brasiliense, time de melhor campanha da 1ª fase, que empatou com o Real Noroeste fora de casa.

Vamos tratar de tudo isso no 1º resumão do mata-mata.

Equilíbrio extremo

Três fatos comprovam esse equilíbrio extremo no mata-mata da Série D:

  • 9 jogos terminaram empatados
  • 6 jogos tiveram vitórias por no máximo 1 gol de diferença
  • Só um time venceu fora de casa, o Altos, que derrotou o Rio Branco no Acre

Além de equilibrados, alguns jogos foram animados.

Vitória da Conquista 4 x 3 Salgueiro, por exemplo, foi emocionante. O time baiano chegou a abrir vantagem de 4 a 1, mas se acomodou e tomou 2 gols relâmpagos. O Salgueiro ainda pressionou até o fim, quase conseguindo um empate heróico.

Moto Club 2 x 2 Fast Clube e Real Noroeste 1 x 1 Brasiliense também foram jogos bem agitados, com times abertos e emoções até o fim.

Expulsão e pressão

Dos 16 jogos, seis tiveram pelo menos uma expulsão. Isso gerou muita pressão no final dessas partidas.

O Goianésia chegou a ter 2 jogadores expulsos contra o Gama, mas um deles só levou cartão vermelho no último lance. O time de Brasília empatou a partida por 2 a 2 depois da expulsão.

O FC Cascavel aproveitou a expulsão do goleiro do Novorizontino para fazer pressão e vencer com um gol no final, após cobrança de pênalti de Paulo Baya.

Nos outros 3 jogos, apesar da pressão, não aconteceram mudanças no placar após as expulsões: Marcílio Dias 0 x 0 Ferroviária, Caxias 1 x 0 Mirassol, Juventude-MA 1 x 1 Bragantino e Floresta 2 x 1 Itabaiana (neste último, a expulsão foi nos acréscimos).

Golaços

Foi incrível a sequência de golaços no jogo entre Bragantino-PA e Juventude-MA. Primeiro saiu uma bela cobrança de falta de Gabriel, do time paraense. Logo depois rolou a obra de arte da rodada (da competição?), com Vinicius Vargas, de bicicleta, para o time de São Mateus.

https://twitter.com/JuventudeSamas/status/1335979187052699648

O Caxias contou com um belo gol de voleio de Giovane Gomez.

Pra quem gosta mais de dribles, teve também um golaço do veterano Flamel, do Moto Club.

Isaias, do Real Noroeste, também fez uma bonita jogada individual para marcar contra o Brasiliense. E antes disso, Luquinhas já tinha feito um belo gol de cobertura.

Derrotas de Natal

Talvez não dê para chamar de surpresa. Mas as expectativas sobre América-RN e ABC são grandes, então as derrotas de ambos chamaram atenção.

Eu particularmente considero que o Coruripe surpreendeu contra o Mecão sim. Afinal o time alagoano já foi mais longe do que o esperado se classificando pro mata-mata. E ainda conseguiu vencer por 1 a 0 no jogo de ida. O time do Paulinho Kobayashi tem condições de reverter o resultado, mas ficou mais difícil agora. Deve enfrentar uma retranca em Natal.

No jogo entre ABC e Globo, eu já esperava equilíbrio, porque via qualidade no time de Ceará-Mirim. Mas uma possível eliminação do ABC seria bem decepcionante.

O que também chamou atenção foi a presença da torcida do ABC em um barranco ao lado do estádio.


Bizarrice no Brasiliense

O Brasiliense fez a melhor campanha da 1ª fase da Série D e vinha em alta. Empatou com o Real Noroeste fora de casa, no 1º jogo do mata-mata. Mas mesmo assim trocou de técnico.

Muitos torcedores comentaram com a gente sobre o histórico do Brasiliense de sempre contratar jogadores e treinadores do Gama. Dizem que no passado a diretoria quis comprar ou investir no Verdão, mas foi rejeitada, e por isso existe uma mágoa eterna. Tirar Vilson Taddei do rival pode ter a ver com isso. Afinal, mesmo com um desmanche, o técnico manteve o Gama competitivo – empatou com o Goianésia fora de casa.

Mas mesmo com essa explicação, não deixa de ser bizarro. É abrir mão de um projeto de sucesso para tentar atrapalhar o rival. Taddei é competente e pode subir com o Brasiliense. Mas assumir esse risco foi uma atitude maluca demais, no mínimo.

Outras curiosidades

Comentários