Giro UD #1: atentado que não rolou (ufa!), estádio abandonado e mais

Mateus Bruxel/Agência RBS
144

Você não conhece o Giro UD. Ou não conhecia até hoje.

Trata-se de uma nova sessão aqui no site. Ao longo da semana, a gente reúne boas histórias que a galera da imprensa publica, no Brasil e no mundo, e coloca por aqui às sextas-feiras. Até para que você tenha coisas legais para ler no fim da semana e conversar com os amigos.

Simples, né? Então, confira as histórias que a gente separou para você (re)ler:

Talvez você não saiba, mas Quique Sétien, o novo técnico do Barcelona, foi um pioneiro do beach soccer na Espanha. A história foi bem contada no AS, da Espanha, e no Olé, da Argentina. Vale pela curiosidade.

Gerson Dall’Stella, goleiro do Coritiba entre 1983 e 1990, morreu no dia 11 de janeiro. Na Gazeta do Povo, André Pugliesi conta, em bonito texto, como o reserva de Rafael Cammarota no título brasileiro de 1985 (e dono de uma loja de CDs em Curitiba) o ensinou tudo sobre a música.

Entre tantas teorias políticas estapafúrdias sobre a Copa do Mundo de 2014, uma delas poderia ter rolado. Segundo Josmar Jozino, da Ponte, o PCC (Primeiro Comando da Capital) planejava um atentado no jogo Brasil x Croácia, em São Paulo, como resposta à possível transferências de líderes da facção a presídios federais.

O Estádio Municipal de Cidreira (RS), inaugurado em 1996, é um estádio bastante polêmico. Construído na gestão do prefeito Elói Braz Sessim, conhecido pelas obras faraônicas, o chamado Sessinzão nem mesmo foi concluído. Chegou a receber jogos do Gauchão, mas hoje está abandonado. O site da Gaúcha traz um belo “antes e depois”, feito por Anderson Aires.

Talvez você não saiba, mas 30 clubes que já disputaram a primeira divisão do Campeonato Carioca não existem mais. O Globo publicou um belíssimo levantamento para contar a história de equipes como Mangueira, Independência, Esperança e Vila Isabel. Do Thales Machado.

Ídolo no Nacional (URU), onde brilhou entre 1969 e 1974, o ex-goleiro Manga passa por dificuldades financeiras e de saúde. Pois a resposta veio de fãs uruguaios, que se mobilizaram para que o brasileiro – que estava vivendo no Equador – fosse se tratar em Montevideú. De Bruno Rodrigues, na Folha de S. Paulo.

A Syanne Neno, craque do jornalismo esportivo paraense, publicou no Bacana News um resumo para apresentar o Parazão 2020. Muito bom para conhecer a história do estadual e para quem quer ir além da dupla Re-Pa.

Comments