Veja quem são os principais destaques da Série B até a 10ª rodada

Foto: John Tavares
460
Essa coluna faz parte do projeto Série B de Primeira. Queremos atingir a meta para criação de um podcast sobre a Série B de 2021. Clique aqui, conheça, apoie e tenha benefícios. 

A Série B chegou na 10ª rodada, o que representa aproximadamente 25% da competição completada. Então a coluna desta semana será diferente. Em vez de analisar só a rodada, será uma análise de toda essa largada.

As categorias serão as mesmas utilizadas em colunas anteriores. Mas agora elas contemplam tudo que rolou até a 10ª rodada da Série B de Primeira.

Publicidade

Melhor jogo

Cruzeiro 3 x 3 Guarani

Foram os 2 times que garantiram mais entretenimento na competição até agora, em diversas partidas. Eles disputaram jogos emocionantes, agitados e imprevisíveis – nem sempre com sucesso, nem sempre jogando bem.

E quando se enfrentaram, não podia ser diferente. O Bugre saiu na frente, mas vacilou e tomou a virada: 2 a 1. Conseguiu o empate logo depois. Mas o Cruzeiro ficou na frente novamente, fazendo 3 a 2 ainda no 1º tempo.

E pra completar um jogo emocionante, é importante ter aquele gol nos minutos finais. E foi logo um golaço de Régis, que jogou pelo Cruzeiro em 2020 sem tanto destaque, mas tem sido um dos melhores jogadores da Série B 2021.

Pior jogo

Remo 0 x 0 Vitória

O calor do Pará prejudicou demais o 1º tempo. Mas nem esse desgaste justificava um futebol tão fraco, com tantos erros. Tanto que, no 2º tempo, quando o clima já era mais ameno, o nível continuou abaixo da média e sem emoções. Não é à toa que os 2 times só venceram um jogo até agora na Série B.

Melhor time

Náutico

Já elogiamos bastante o Náutico nas colunas e no canal. Aqui analisei os pontos fortes e avaliei se o time conseguiria manter o ritmo. Também disse que o Timbu (e o Guarani) deveria ser exemplo para outras equipes da Série B. E esse foi o tema do vídeo extra do projeto “Série B de Primeira” no YouTube:

O que podemos acrescentar é que, depois da gravação desse vídeo, o Náutico mostrou a força do elenco em 2 jogos, contra Operário e Goiás, adversários difíceis. Do goleiro ao centroavante, peças tiveram que ser trocadas e mesmo assim o time segue invicto.

Ainda é cedo para concluir que isso significa um elenco forte. Mas é um ótimo indício, que só aumenta o otimismo sobre o Náutico.

Pior time

Remo

É o lanterna e não vence há 7 jogos na Série B. O sistema defensivo era uma preocupação desde antes da competição começar. E ainda não é confiável. Mas pra piorar, o ataque tem sido um fracasso, com apenas 5 gols marcados em 9 jogos.

Claro que ainda há esperança para o Leão, já que contratou um novo técnico com potencial, Felipe Tigrão, tem se reforçado e já jogou melhor no começo da Série B. Além disso, vale destacar que a luta contra o rebaixamento ainda está muito equilibrada, então não é preciso pontuar muito para sair dela. E o Remo ainda possui um jogo a menos, contra o Avaí, adiado por conta da chuva.

Outros 2 times têm aproveitamento pior que o Remo: Londrina e Brasil. Realmente fazem péssimas campanhas. Mas ambos mostraram alguma qualidade em jogos específicos, por isso não ficam como “o pior”.

Surpresa

Sampaio Corrêa

Bolívia Querida fez uma boa campanha na Série B de 2020, mas passou por uma reformulação depois disso. Trocou de técnico 3 vezes, fez dezenas de contratações e teve uma crise interna logo depois de ser campeão maranhense. Isso gerou desconfianças sobre a equipe.

Mas o técnico Felipe Surian conseguiu implantar um sistema defensivo forte, que tomou apenas 3 gols em 10 jogos. O ataque não é brilhante, mas aproveita as poucas chances que cria. E dessa forma o Sampaio chegou na 3ª colocação.

Pra subir, provavelmente o Sampaio precisa evoluir. O setor ofensivo tem que ser mais criativo quando tem a posse de bola. Mas agora Surian terá mais tranquilidade trabalhar e pode conseguir isso.

Melhor jogador

Jean Carlos (Náutico)

São 5 gols, 2 assistências e mais do que isso: Jean Carlos é a principal referência do líder invicto. Ele é o maior responsável pelas ligações rápidas, que são tão decisivas para o Náutico. Está mais maduro do que nunca e sabe chamar a responsabilidade quando o time mais precisa. Também costuma ser perigoso nas bolas paradas. E agora, sem Erick, ele está se reinventando. Hélio dos Anjos escalou Marciel no meio-campo e deu mais liberdade para Jean Carlos se deslocar entre as pontas. Pode dar muito certo.

Paredão

Mota (Sampaio)

Muitos goleiros se destacaram nesse começo de Série B. É difícil escolher só um. Tadeu (Goiás), Wilson (Coritiba), Alex Alvex (Náutico), Georgemy (Vila Nova), Diogo Silva (CRB) e Matheus Nogueira (Brasil) poderiam ser escolhidos, por exemplo.

Mas Mota é o menos vazado entre os titulares. E fez defesas incríveis, sendo decisivo nos momentos que o Sampaio tomou muita pressão – que não foram poucos, pelo estilo defensivo da equipe. Uma defesa dificílima no jogo contra o Brusque, nos minutos finais, simboliza bem isso. Se essa bola entra, o Sampaio estaria fora do G4.

Pior jogador

Bruno Gomes (Vasco)

Foi expulso no 1º tempo de 2 jogos, então atrapalhou demais o desempenho do time.

É importante ressaltar que a culpa tem que ser dividida. Parte da torcida, que chegou a quebrar o carro dele antes de tudo acontecer, tem responsabilidade. O técnico Marcelo Cabo, que não percebeu a fragilidade emocional do jogador e continuou o escalando, também tem responsabilidade.

Olho Nele

Igor Paixão (Coritiba)

Entre os jogadores de até 20 anos, Paixão surge como o mais eficiente até agora. Depois de fazer uma boa Série C, ele voltou ao Coxa e tem ganhado espaço aos poucos. Nessas primeiras rodadas, já participou diretamente de lances decisivos. Ainda precisa amadurecer na tomada de decisões, ser menos afobado e melhorar nas finalizações. Mas é promissor.

Em um Coritiba que é forte na defesa, mas precisa sair rápido pro ataque, a velocidade de Paixão deve ser importante.

Destaque técnico

Hélio dos Anjos (Náutico)

O ótimo trabalho dele acontece desde a Série B do ano passado. Depois Hélio formou a equipe ideal, durante o Campeonato Pernambucano. E agora tem adaptado esse time diante de várias dificuldades. Ele é o principal responsável pelo time não ter caído de rendimento, mesmo com as alterações forçadas, como as saídas de Erick e Wagner Leonardo, além das lesões e suspensões de jogadores importantes, como Hereda e Kieza.

Comentários