Vamos ao que interessa: o guia definitivo da Copa Verde 2014

0 100

Os jornais europeus não falam em outra coisa. Na Inglaterra, as casas de apostas não dão contam da demanda. Na sede da Fifa, Joseph Blatter já admitiu que teme que os brasileiros deixem de assistir à Copa do Mundo por conta da concorrência. Dizem que até mesmo no Salão Oval da Casa Branca já há um bolão organizado por Barack Obama. Afinal, o mundo espera o pontapé inicial da Copa Verde, a competição mais legal do futebol brasileiro em 2014.

Deixando as brincadeiras de lado, a Copa Verde começa nesta terça-feira (11) com a missão de dar aos clubes das regiões Norte e Centro-Oeste (além do Espírito Santo) alguns objetivos atraentes pelos quais brigar – os times de Goiás não participam. Organizado pela CBF, o torneio dá ao campeão uma vaga na Copa Sul-Americana do próximo ano.

O fato pode ser bastante sintomático, uma vez que a entidade máxima do futebol brasileiro parece ter entendido a importância de distribuir vagas na Sul-Americana para clubes de menor escalão do futebol nacional, ao invés de premiar clubes que terminam o Campeonato Brasileiro abaixo da 10ª colocação. Em 2014, por exemplo, a Copa do Nordeste também dará vaga à Copa Sul-Americana.

Como os times da Copa Verde não deixarão de disputar seus respectivos campeonatos estaduais, o torneio ainda representa uma fonte de renda a mais para os participantes. E com uma fonte de receitas mais sólida (o canal de TV Esporte Interativo adquiriu os direitos e transmissão, e dividirá os custos das viagens dos atletas com o Ministério do Esporte), os times têm nas mãos uma oportunidade de ouro para capitalizar com um torneio interessante.

Para melhorar, os 16 times disputarão o torneio em forma de mata-mata. Pode ser injusto com os oito clubes eliminados após as duas primeiras partidas, mas ajuda a não bagunçar os calendários dos participantes, e ainda evita sacrifícios desnecessários de tempo e dinheiro. E para quem gosta de competições do tipo, obviamente, é um prato cheio.

Enfim, a distribuição dos times ficou a cargo da CBF, que apostou em seu ranking de federações para dar vagas. O Pará, melhor ranqueado entre os estados participantes, terá três clubes: Paysandu, Paragominas e Remo (na ordem, os três primeiros colocados do Campeonato Paraense de 2013), enquanto Distrito Federal, Mato Grosso e Amazonas terão duas equipes cada – campeão e vice de seus últimos estaduais. Acre, Amapá, Espírito Santo, Mato Grosso do Sul, Rondônia, Roraima e Tocantins terão apenas seus últimos campeões estaduais na Copa Verde 2014.

Sem mais delongas, conheça os confrontos (e as apostas do blog) da primeira fase da Copa Verde 2014 – lembrando que todos os confrontos são decididos em jogos de ida e volta até as finais:

OITAVAS DE FINAL (ENTRE 11 E 19 DE FEVEREIRO)

Jogo 1: Náutico (RR) x Paysandu (PA)

O time de Roraima vem do título estadual, o segundo de sua história – e primeiro desde a profissionalização do futebol roraimense. Porém, mesmo com os reforços do meia-atacante Thiago e do atacante Bruno, ambos oriundos do futebol mineiro, terá uma missão complicadíssima diante do Paysandu, um dos favoritos ao título. Após o rebaixamento na Série B do Campeonato Brasileiro de 2013, o clube paraense se reforçou com nomes o meia Héverton (ex-Portuguesa, pivô da polêmica do rebaixamento do clube no Campeonato Brasileiro), o volante Augusto Recife e o atacante Lima (ambos ex-Joinville).

Palpite do blog: Paysandu, um dos favoritos ao título

Jogo 2: Princesa do Solimões (AM) x Santos (AP)

Um dos confrontos mais abertos da primeira fase. O representante amazonense, comandado pelo técnico Marcos Piter, tem destaques no setor ofensivo, como Fininho, Michel Parintins, Nando e Marinelson. Já o rival amapaense tem um calendário cheio para 2014 (além de tentar o bicampeonato estadual e disputar a Copa Verde, joga a Copa do Brasil e a Série D do Brasileiro), mas tem problemas: além de ter perdido seu principal jogador, o atacante Acosta (aquele mesmo), não sabe se contará com o Estádio Zerão, fechado para obras e que deve ser reinaugurado apenas no dia 15 de fevereiro.

Palpite do blog: Avança o Princesa do Solimões

Jogo 3: Paragominas (PA) x Remo (PA)

Foi o confronto mais acirrado do futebol paraense em 2013. O Remo levou a melhor nas semifinais da Taça Cidade de Belém (primeiro turno do Campeonato Paraense), mas o time comandado por Charles Guerreiro deu o troco nas finais da Taça Estado do Pará (segundo turno) e foi à decisão do título contra o Paysandu. Desta vez, o Paragominas aposta no atacante Aleílson, enquanto o Remo tem a liderança do próprio Charles Guerreiro.

Palpite do blog: Remo, no sufoco

Jogo 4: Plácido de Castro (AC) x Nacional (AM)

Na Copa do Brasil de 2013, comandado por Aderbal Lana, o Nacional surpreendeu e passou por adversários (nem sempre interessados no torneio) como Águia de Marabá, Coritiba e Ponte Preta, caindo nas quartas de final frente ao Vasco da Gama. Em 2014, porém, o Naça não conta com seu principal destaque do ano passado, o meia Danilo Rios. Caberá então a nomes como Rafael Morisco (ex-Chapecoense), Chapinha e Jeferson Recife provar que o time pode ser competitivo. Melhor para o Plácido, comandado pelo técnico Carlinhos Minaçu, que tenta se aproveitar da irregularidade do rival no começo do ano.

Palpite do blog: Nacional, tecnicamente superior

Jogo 5: Interporto (TO) x Brasiliense (DF)

O time do Tocantins aposta no técnico Uidemar Oliveira, com bastante experiência nos clubes do Norte, para ir longe na competição – na pré-temporada, o time de Porto Nacional foi a GO para enfrentar Goiás, Aparecidense, Grêmio Anápolis e Atlético-GO em amistosos. Porém, tem pela frente o elenco conhecido do Brasiliense, que conta com nomes como o lateral direito Baiano (ex-Palmeiras, Santos e Boca Juniors), o zagueiro Fábio Braz (ex-Vasco) e o meia Ramon (ex-Corinthians e Flamengo), que vem em boa fase no Campeonato Brasiliense.

Palpite do blog: Brasiliense, pela diferença técnica

Jogo 6: Vilhena (RO) x Mixto (MT)

O técnico Birigui faz mistério, mas já tem o time definido para a estreia do Vilhena na competição. Com o objetivo de passar de fase, o time rondoniense precisará passar pelo Mixto, que vem embalando no Campeonato Mato-Grossense. O adversário, cujo comando técnico foi assumido há pouco tempo por Éder Taques, é vice-líder do estadual do MT.

Palpite do blog: Vilhena, potencial zebra da primeira fase

Jogo 7: Desportiva (ES) x Cuiabá (MT)

Último time do ES a disputar a Série A do Campeonato Brasileiro (1993), a Desportiva vem embalada pelos títulos do Campeonato Capixaba (2013) e da Copa dos Campeões do ES (2014). A Tiva pode até aprontar para cima do Cuiabá, que começou mal o Campeonato Matogrossense – o clube já trocou de técnico, com a demissão de Gian Rodrigues e a contratação de Luciano Dias. O time do MT é favorito, mas precisa abrir o olho.

Palpite do blog: Cuiabá, em busca de recuperação

Jogo 8: Brasília (DF) x CENE (MS)

É difícil saber se o Brasília, vice-campeão brasiliense em 2013, manterá a boa forma em 2014. Com três empates nos cinco primeiros jogos do Candangão, o Colorado ficou na igualdade diante de rivais como Ceilândia (que brigava contra as últimas colocações) e Brasiliense (atual campeão). O CENE, ainda em busca de um padrão após a chegada do técnico Itamar Bernardes, lidera invicto o Campeonato Sul-Mato-Grossense e tem como destaque o atacante Andradina, ex-Santo André.

Palpite do blog: Em outro confronto aberto, o CENE leva a melhor

QUARTAS DE FINAL (ENTRE 29 DE FEVEREIRO E 9 DE MARÇO)

Jogo 9: Vencedor Jogo 1 x Vencedor Jogo 2

Jogo 10: Vencedor Jogo 3 x Vencedor Jogo 4

Jogo 11: Vencedor Jogo 5 x Vencedor Jogo 6

Jogo 12: Vencedor Jogo 7 x Vencedor Jogo 8

SEMIFINAIS (ENTRE 16 E 23 DE MARÇO)

Jogo 13: Vencedor Jogo 9 x Vencedor Jogo 10

Jogo 14: Vencedor Jogo 11 x Vencedor Jogo 12

FINAIS (ENTRE 2 E 9 DE ABRIL)

Jogo 15: Vencedor Jogo 13 x Vencedor Jogo 14

Você pode gostar também
Comentários
Carregando...