Vai ter “Eurocopa alternativa” organizada pela Conifa em 2021

Foto: Divulgação
1.377

A Conifa (Confederação de Futebol de Associações Independentes) anunciou que vai realizar a “Eurocopa Alternativa” em 2021. Se você não sabe o que é a Conifa, pode entender melhor vendo nossos vídeos.

Resumidamente a Conifa é uma confederação que organiza torneios entre seleções que não são reconhecidas pela Fifa, mas estão em regiões com uma cultura própria e às vezes possuem até movimentos separatistas.

Publicidade

No ano passado ia acontecer mais uma edição da “Copa do Mundo alternativa”, mas foi cancelada por causa da pandemia. Agora a Eurocopa será feita, com promessa de que os protocolos sanitários vão controlar todos riscos.

A Conifa já anunciou as seleções participantes. São 12 times, que serão divididos em 4 grupos de 3.

Conheça um pouco mais sobre as seleções participantes:

Pote 1

Condado de Nice: região dividida entre França e Itália. No passado, o território foi anexado à França, mas nem todo mundo tem identificação com o país. A seleção venceu a “Copa do Mundo alternativa” de 2014 e foi vice-campeã da “Eurocopa alternativa” de 2015.

Ossétia do Sul: fica ao norte da Geórgia, país que não pretende reconhecer a Ossétia como território autônomo. Na Eurocopa da Conifa de 2015, jogadores foram proibidos de viajar para a Hungria, onde aconteceram os jogos. Mas em 2019 a equipe conseguiu vencer a Euro da Conifa.

Padânia: representa o Vale do Pado, região que fica ao Norte da Itália. Enoch Balotelli, irmão do Mario, já defendeu a seleção. A equipe foi vice-campeã da Copa do Mundo de 2018. E venceu a Euro da Conifa em 2015 e 2017.

Abecásia: representa parte da Geórgia que busca autonomia há 25 anos. Poucos países já a reconhecem como independente. A seleção teve jogadores que já participaram de divisões menores da liga russa. Em 2016, venceu a Copa do Mundo da Conifa. E na Euro de 2019 ficou em 3ª.

Pote dois:

Lapônia: representa uma região do norte da Escandinávia, que abrange territórios de quatro países – Noruega, Suécia, Finlândia e Rússia. A seleção é formada por lapões, nativos que têm até uma língua própria. A equipe foi mal na Euro de 2019 e nem pontuou.

Armênia Ocidental: representa uma região tomada pelo Império Otomano no genocídio armênio de 1915, que teria matado cerca de 1,5 milhão de pessoas. Mas ainda existe um partido político com causas separatistas, Federação Revolucionária Armênia. Um dos objetivos é ampliar o território da Armênia. A seleção foi vice-campeã da Euro em 2019

Chipre do Norte: representa uma região que busca independência do Chipre, mas só a Turquia a reconhece por enquanto. Nas competições da Conifa, a seleção foi vice-campeã da Copa do Mundo em 2018 e da Euro em 2017.

Artsaque: é uma região que fica a 270 quilômetros da capital do Azerbaijão, Baku. Há uma disputa entre Armênia e Azerbaijão pelo território, o que já gerou a Guerra do Alto Carabaque, de 1988 até 1994. A Europa de 2019 foi realizada lá, mas a seleção caiu na 1ª fase, com 4 pontos.

Pote Três

País Sículo: é uma região que fica na Romênia, dentro do território da Transilvânia, mas possui grande população húngara. Já foi mais autônoma no passado e atualmente tem movimentos separatistas. O melhor resultado da seleção foi um 3º lugar na Euro de 2017.

Chameria: representa albaneses que ficam no sul do país, perto da Grécia. A seleção ficou em 4º lugar na Euro de 2019.

Sardenha: é uma ilha que pertence à Itália, mas tem relativa autonomia. A equipe se filiou à Conifa em 2018, ia participar da Euro de 2019, mas desistiu em cima da hora. Recentemente fizemos vídeo sobre outra seleção próxima, que se filiou à Conifa, o Reino das Duas Sicílias.

Cornualha: representa o povo que fica no sudoeste da Inglaterra e tem identificação com o povo celta e com franceses. Por enquanto só disputou 4 amistosos e venceu todos.

Comentários