Críquete, rugby e futebol: a história do SPAC, o clube mais antigo de São Paulo

0 365

O São Paulo Athletic Club, conhecido também pela sigla SPAC, completa 130 anos em 2018. A agremiação foi fundada no dia 13 de Maio de 1888 – curiosamente no mesmo dia em que a Princesa Isabel se sentou à sua escrivaninha da melhor mobília inglesa Chippendale e assinou a Lei Áurea, em nome de Dom Pedro II. Naquele dia, o Imperador decretou feriado.

Muito longe dali, em uma mesa de bar na Rua São Bento, centro de São Paulo, foi fundado o SPAC, em evento que contou com alguns britânicos ao meio-dia – claro, com pontualidade britânica – e alguns engenheiros que construiram a São Paulo Railway, a primeira ferrovia do estado que ligava a capital ao litoral. Neste dia, conversavam, tomavam gim tônica e falavam sobre a idéia de criar um clube social-esportivo para disputar seu esporte favorito.

Aí você pode estar aí pensando: “claro, o futebol”. Errado: o esporte favorito era o críquete. Ali, os presentes pensavam em encontrar uma alternativa de entretenimento a suas famílias em suas horas de folga. Entre os fundadores, estavam William Snape, William Speers, William Fox Rule, Peter Miller, Percy Lupton e Charles Walker.

Mais por conta da data do que pela iniciativa da fundação, o SPAC é considerado o clube mais antigo de São Paulo. Sediado em uma das travessas da Rua da Consolação, mais precisamente na rua Visconde de Ouro Preto, é considerado o berço do futebol brasileiro e de muitos outros tantos esportes.

A sede principal do SPAC no bairro da Consolação foi comprada por Dona Veridiana Prado no final do século XIX durante um acontecimento político da época: Eduardo, filho de Veridiana, fugiu do Brasil para a Europa com a ajuda de Willaim Fox Rule, amigo da família. No retorno ao país, a matriarca reconheceu a ajuda de Fox Rule e ofertou um terreno aos ingleses. O local seria adquirido para a fundação do SPAC.

O sócio mais ilustre do clube foi Charles Miller. Nascido no bairro paulistano do Brás em 1874, Miller foi enviado para estudar em Southampton, na Inglaterra, onde aprendeu o novo esporte da época, o association football, nosso conhecido futebol. Em 1894 ele retornou ao Brasil com duas bolas de capotão e um livro de regras para jogar este novo e cativante esporte, até então desconhecido por aqui. Em abril de 1895, organizou com seus colegas do SPAC o primeiro “jogo oficial” de futebol, que foi disputado numa gleba de terra na Várzea do Carmo, entre as equipes da São Paulo Railway (SPR) e a do The Gaz Co, fornecedora de gás da capital. O resultado foi de 4 a 2 para a SPR, com dois gols de Charles Miller.

Este jogo seria a semente, ou alavanca, que tornou o SPAC o primeiro tricampeão da Liga Paulista de Foot-ball em 1902, 1903 e 1904. No primeiro dos títulos, justamente na primeira edição da história do Campeonato Paulista, encarou o Paulistano na finalíssima do dia 26 de outubro de 1902 e venceu por 2 a 1.

Trofeu de tricampeão paulista 1902-1903-1904. Peça em destaque no Memorial no bairro de Higienópolis

Ainda no Paulistão, o SPAC ganharia seu quarto e último título em 1911. Em 1912 disputou seu último Paulistão. Segundo o historiador oficial do SPAC, um profissionalismo não-oficial já havia se instituído na Liga, que oficialmente ainda era amadora. O estatuto do clube pregava o amadorismo completo, e, por não aceitar participar do falso amadorismo vigente preferiu abandoná-la definitivamente.

O uniforme titular do time de futebol tinha camisa com listras verticais brancas e azuis, calção e meias pretas, uniforme parecido com o que hoje usa a seleção da Argentina, o uniforme reserva tinha camisa branca e calção e meias pretas.

(Crédito: Blog História do Futebol)

O SPAC, que hoje tem seu departamento de futebol restrito a equipes amadoras, é considerado o clube que introduziu os jogos de rugby, hóquei na grama, squash e badminton no Brasil. Também foi um dos primeiros lugares onde se jogou tênis. Vários sócios do SPAC, inclusive Charles Miller, também foram conselheiros em 1924 da recém-fundada Federação Paulista de Tênis. Em 1928, com o grande aumento de associados, o clube obteve a concessão de um grande terreno da São Paulo Railway no bairro de Pirituba, e foi ali que os esportes coletivos, como o críquete (que foi a real motivo de sua fundação), o futebol e rugby floresceram. Quando, em 1947, a Fepasa encampou a “Ingleza”, como era chamada a ferrovia, o clube teve que deixar Pirituba.

A diretoria então comprou um grande terreno da Light no bairro de Socorro, às margens da Represa de Guarapiranga, onde hoje fica sua sede campestre e esportiva. Nos finais de semana, os dois campos oficiais, um de futebol e outro de rugby, bem como as piscinas, ficam lotadas de associados à procura de seus esportes preferidos. Em 1964, o SPAC hospedou no novo campo de Santo Amaro o Campeonato Sul-Americano de Rugby, tendo como jogo inaugural um Brasil 16 x 16 Chile. A preliminar foi jogada entre o recém-fundado SPAC Rugby Juvenil e o St. Paul School. Nesse campeonato, o Brasil terminou em segundo lugar, sua melhor colocação na história dos Sul-Americanos. Nessa época, boa parte dos jogadores da seleção brasileira era do SPAC.

A associação centenária fundada por britânicos hoje está recheada de brasileiros e também de pessoas de outras nacionalidades, o que da ao clube um ar cosmopolita. Preservando toda a história e tradição do time, o clube conta com o Centro de Memória SPAC Charles Miller, no bairro de Higienópolis, em São Paulo. O local reúne objetos, fotos, troféus e flâmulas, entre outras inúmeras lembranças.

Hoje o clube é um dos maiores e mais temidos do rugby. Futebol, apenas em jogos amadores.

Jogo amistoso clube do SPAC disputado por sócios (Crédito: Divulgação)

Mais informações sobre o clube podem ser encontradas em seu site oficial.

Você pode gostar também
Comentários
Carregando...