Série D no UD: após protesto na pandemia, Baré enfrentará Ypiranga-AP

Baré entrou em campo com máscaras
0 180

Finalmente vai começar a Série D! Dessa vez o regulamento prevê uma fase preliminar, com 8 times se enfrentando no estilo mata-mata. Os 4 vencedores se classificarão para a fase de grupos, que começará em 19 de setembro. 

Como sempre, o Última Divisão vai acompanhar de perto a Série D. E é claro que essas preliminares não serão ignoradas. Sabemos como é difícil acompanhar os destaques da última divisão nacional. Por isso preparamos um breve conteúdo para apresentar os times que das preliminares.

Já falamos sobre Aquidauanense x Real Noroeste e também sobre Ji-Paraná x Nacional-AM. Agora é a vez de analisar Baré x Ypiranga-AP.

Baré

Breve histórico: É o maior vencedor do Campeonato Roraimense de Futebol, com 28 estaduais. Mas nunca conseguiu muito destaque regional ou estadual.

Em 2019: Foi vice-campeão estadual. Perdeu a final para o São Raimundo

Em 2020: Disputou apenas 2 jogos no ano, pelo Campeonato Roraimense. Perdeu ambos. No terceiro, pouco antes da bola rolar, o time entrou usando máscaras e rapidamente saiu de campo, para protestar. O problema é que a pandemia de covid-19 já tinha paralisado todas competições de futebol no Brasil, mas estava continuando em Roraima. O movimento do Baré foi fundamental para suspender o estadual, que só deve reiniciar em outubro.

Ponto forte: Durante a pandemia, o Baré contratou um técnico experiente. É Aderbal Lana, de 73 anos, grande vencedor de competições no Amazonas. Para duelos regionais, pode ser decisivo, pois conhece bem a maioria dos atletas.

Aderbal Lana

Ponto fraco: Dos jogadores que começaram o ano, só 8 ficaram. O time disputou um amistoso contra o São Raimundo-RR, perdeu e deixou evidente como falta entrosamento.

Curiosidade extra: o Baré é mais um elenco que tem jogadores com apelidos divertidos, como destacamos no Ji-Paraná e no Nacional-AM (Watchmen x Jackie Chan). No Baré tem Tubarão, Petinha, Jonas Caça-Rato, e Raikard, provavelmente inspirado no ex-atacante holandês Frank Rijkaard.

Ypiranga-AP

Breve histórico: É um dos principais times do estado. Já ganhou 8 Amapaenses. Mas recentemente, a partir de 2006, teve muitas dificuldades e ficou licenciado em algumas temporadas. A partir de 2017 voltou a ter resultados mais expressivos.

Em 2019: Foi vice-campeão estadual. Perdeu a final para o Santos.

Em 2020: Disputou 1 jogo do Amapaense antes da pandemia, em que derrotou o Macapá. Quando o estadual voltou, na semana passada, o time perdeu para o Santana e para São Paulo-AP, mas derrotou o Santos, em um jogo emocionante, por 2 a 1. 

Ponto forte: Já voltou a jogar de forma competitiva. Poucos times da fase preliminar tiveram essa vantagem. Faz diferença para ganhar preparo físico, ritmo de jogo e entrosamento.

Ponto fraco: O maior problema parece ser a defesa, que tomou 4 gols do Santana. A diretoria até contratou novas peças para o setor, durante a pandemia, mas ainda é cedo para falar que foram reforços de fato.

Curiosidade extra: O atacante Wilker, um dos principais reforços recentes do elenco, tem passagem pelo Simba Sports Club, da Tanzânia.

E na fase de grupos?

O vencedor desse duelo vai entrar no Grupo 2, que tem Altos, Moto Club, River-PI, Santos-AP, São Raimundo-RR, Juventude-MA e Sinop.

Minha aposta

É muito difícil analisar times que jogaram tão pouco em 2020 e ainda passaram por enormes mudanças. Mas aposto no Ypiranga, pela vantagem de ter voltado a disputar o estadual na semana passada. Disputar 3 jogos oficiais antes da decisão trará benefícios.