Série D 2015: as 11 melhores histórias dos 4 campeões

0 116

Publicidade

A Série D ainda não acabou, mas já sabemos quem são os campeões: Botafogo-SP, Remo, River-PI e Ypiranga-RS se classificaram para a semifinal e assim garantiram vagas na Série C de 2016. O título é o que menos importa nesse momento, principalmente depois de tantas histórias difíceis e curiosas que esses times viveram. Veja 13 momentos e fatos que precisam ser destacados sobre os melhores clubes da última divisão nacional:

Nunes provocador

Um dos jogadores mais famosos da Série D deste ano, o atacante Nunes sempre foi conhecido por sua irreverência. E nesse quesito ele não decepcionou dessa vez: assim que o juiz apitou o fim do jogo contra o São Caetano, Nunes saiu do banco imitando uma galinha (ou seria um azulão, o pássaro?) de frente para a torcida adversária. Ele andou do meio-campo até a linha de fundo dessa forma e depois foi o primeiro jogador a subir na grade do Anacleto Campanella para fazer a festa.

Para quem não se lembra: Nunes se destacou no Santo André e por isso recordou sua rivalidade com o Azulão. “Como sou daqui de Santo André, tratamos eles como os galinhas. Galinha cisca, cisca, mas não sai do lugar”, afirmou, após o jogo.

Líder emocionado

César Gaúcho foi um dos grandes nomes do Botafogo-SP no duelo contra o São Caetano. Primeiro, em casa, o zagueiro fez um discurso inflamado nos vestiários e marcou um gol de cabeça. Depois, no jogo de volta, atuou no sacrifício, já atormentado por uma lesão. Isso fez com que ele saísse no intervalo, mas deu tudo certo, então ele foi um dos mais ovacionados pela torcida na comemoração.

Gattuso chinês

chines

Durante a disputa da Série D, em setembro, o Botafogo-SP anunciou uma contratação para lá de inusitada: o chinês Ma Sheng, de apenas 18 anos, foi confirmado como reforço do time profissional, após fazer intercâmbio com as categorias de base. Não deu tempo de colocá-lo para jogar, mas ele já ganhou o apelido de Gattuso (aguardamos explicações dos jogadores do Botafogo) e deve atuar pelo time em 2016.

Pênalti bizarro

O futebol brasileiro tem tido uma quantidade enorme de erros de arbitragem em 2015. Mas o pior deles provavelmente aconteceu no jogo entre Remo e Palmas, em que o juiz cearense Avelar Rodrigo da Silva viu uma falta do lateral esquerdo Rodrigo Soares em Washington. Mas é muito nítido que o jogador se atirou no gramado, o que mesmo assim resultou em pênalti e gol do Palmas. Pelo menos não gerou a eliminação do Remo, que se classificou vencendo o jogo de volta.

Mito mitou

ramos

Eduardo Ramos é o grande responsável pela campanha brilhante do Remo na Série D. Ex-jogador do Paysandu, ele começou a virar ídolo do rival em 2014 e, neste ano, justificou o apelido de “Mito” entre a torcida. Após assistências e gols na primeira fase, ele ainda foi decisivo no mata-mata, principalmente no jogo contra o Operário-PR, que definiu o acesso.

É claro que isso já resultou em propostas de times da Série B e até de um chinês, o Guangzhou Evergrande, que tem Felipão como técnico. Mas Eduardo Ramos ainda não decidiu se vai sair do Remo.

Torcida impressionante

Todos já sabem como a torcida do Remo faz bonito nos estádios e empurra o time, mesmo em momentos difíceis, como esses 7 anos na última divisão nacional. Mas em 2015 a torcida ajudou o time até financeiramente: o Remo é o 9º clube que mais cresceu em número de associados no ano. Está na frente de times grandes, como Grêmio e Santos. No ranking geral o time está em 16º, sendo o terceiro entre as equipes que disputam as divisões de acesso atualmente (perde para Bahia e Botafogo apenas).

Deixem o técnico trabalhar

A falta de continuidade dos técnicos é um dos grandes problemas do futebol brasileiro atualmente. Mas isso não existe em Erechim: Leocir Dall’Astra está no Ypiranga desde 2012 e, com tempo para treinar, conseguiu fazer o time subir para a primeira divisão do Campeonato Gaúcho e agora o colocou na terceira divisão nacional. A diretoria teve paciência mesmo quando ele não conseguiu o acesso estadual em 2012 e 2013, o que rendeu mais frutos a longo prazo.

Volta, Paulo Baier!

paulo_baier_1

No começo de 2015, o interminável Paulo Baier disputou o Campeonato Gaúcho pelo Ypiranga-RS e teve bom desempenho. Fez 6 gols e ajudou o time a chegar até as quartas de final do torneio. Depois saiu para jogar a Série C pelo Juventude e deve jogar o primeiro semestre de 2016 lá. Depois disso, bem que poderia voltar para o Ypiranga hein?

É difícil explicar o sucesso do River-PI

Se você acompanhou o noticiário do River durante a Série D, jamais imaginou que o time conseguiria o acesso. O mais grave é que os jogadores chegaram a fazer duas paralisações em momentos diferentes por causa do atraso de salários. A diretoria foi rápida, negociou o pagamento, mas também causou polêmica: o presidente do clube, Júlio Arcoverde, disse que os jogadores estavam apenas “dando um piti”. É claro que isso não repercutiu bem no elenco, mas mesmo assim os atletas foram profissionais incríveis e conquistaram o acesso. Levando em consideranção que o futebol do Piauí é um dos mais bagunçados do país, isso foi um feito muito impressionante e surpreendente na Série D.

Rei do acesso

Flávio Araújo

É enorme a lista de técnicos que são chamados de “Rei do Acesso”. Mas em 2015 quem mais brilhou foi Flávio Araújo, do River, um dos personagens que ajuda a entender o sucesso do time piauiense. Ele já tinha conseguido acessos com o Sampaio Corrêa (duas vezes), o Icasa e o América-RN. Agora tem o quinto e pode reivindicar de fato sua monarquia.

Quatro times no mesmo estádio

O River se envolveu em uma história confusa por causa da nossa maravilhosa CBF: em setembro, ela agendou para o Estádio Albertão, em Teresina, dois jogos no mesmo horário: River-PI x Estanciano (jogo de volta das oitavas da Série D) e Tiradentes-PI x Rio Preto (Campeonato Brasileiro feminino). A gafe virou piada, mas o erro foi corrigido a tempo. As mulheres jogaram um dia antes do previsto, 3 de outubro, e o River eliminou o Estanciano no dia 4.

Você pode gostar também
Comentários
Carregando...