San Genaro, um time financiado por boates

0 250

A rede de boates Genaro é famosa no interior de São Paulo. Com a primeira casa inaugurada em 1991, em Piracicaba, veio o sucesso e, posteriormente, a inauguração de “filiais” em Limeira e Rio Claro. Com mais de cem strippers, a rede se autoclassifica como “pioneira na área de espetáculos eróticos” e tem como proposta apresentar shows a cada 30 minutos para seus clientes.

genaro-boate
(Crédito: Divulgação)

Ok, bem divertido e atraente, mas o que isso tem a ver com futebol?

Acontece que o dono desses empreendimentos é Wilson Genaro, um ex-policial que, além de gostar tanto de mulheres, também é fanático por futebol. Nada mais clichê? Errado: o que o faz diferente é o San Genaro F.C., time do qual é dono e que é financiado pelas suas boates.

Fundado em Piracicaba, em 2002, o San Genaro F.C. tem lutado para sair do amadorismo no futebol paulista. Os jogos são mandados no Estádio Pedro Morganti, que fica dentro de uma usina de cana-de-açúcar e já foi campo do antigo União Monte Alegre, fundado em 1923.

Em 2003, Wilson chegou a prometer que o San Genaro demoraria apenas dez anos para alcançar a elite paulista. Oito anos depois da promessa, faltam informações mais precisas sobre o destino do time, mas é evidente que a promessa ficou apenas no sonho.

Mas o San Genaro segue tentando. O site Jogos Perdidos fez um trabalho excelente ao cobrir in loco, com a qualidade de sempre, duas partidas emocionantes envolvendo o time de Piracicaba. Em 2005 e 2007, a equipe contou histórias dos jogos – tem até derrota do San Genaro com um jogador a mais em campo!

O San Genaro em 2005 (Crédito: Emerson Ortunho/Jogos Perdidos)
O San Genaro em 2005 (Crédito: Emerson Ortunho/Jogos Perdidos)

E é dessa forma, com sofrimento e muita paixão pelo futebol, que o San Genaro segue fazendo história no futebol paulista. Se não consegue sucesso em campo, pelo menos rende incontáveis piadas: “Não dá para escapar das brincadeiras. Os amigos falam: ‘vê se faz bastante gol para entrar de graça lá no Genaro'”, contou Furlan, jogador do time em 2003, em uma reportagem da Folha de S. Paulo sobre o time.

Você pode gostar também
Comentários
Carregando...