Você conhece os reforços do Coritiba? A torcida não (e está preocupada)

0 221

Publicidade

Era para ser uma segunda-feira sem grandes emoções, mas um anúncio no BID da CBF deixou a torcida do Coritiba (e dos rivais) em polvorosa. Tudo porque a central de registros da Confederação Brasileira de Futebol anunciou que o time havia contratado dois “reforços”: os meias Ricardo Gomes Vilana, de 34 anos; e Dion Henrique Andrade Alves, de 31, ambos com passagem por times do interior ou de países com pouca tradição no futebol. Nenhum dos dois, portanto, com perfil de revelação ou salvação do time na briga contra o rebaixamento no Brasileirão.

Ao que consta, Ricardinho focou sua carreira na periferia da bola, tendo defendido clubes da Suíça, Romênia, Azerbaijão e Andorra. No Brasil, teria defendido a Portuguesa Santista-SP, Novo Hamburgo-RS, Gaúcho de Passo Fundo-RS e, mais recentemente, Guaratinguetá-SP (jogou algumas partidas em 2015), Catanduvense-SP e Mixto-MS.

Possui um título, o da primeira divisão da Romênia, conquistado na temporada 2008/09, quando defendia o Unirea Urziceni. O time foi extinto em 2011 após ser suspenso pela federação local por acumular dívidas.

A história de Dion “Henry”, como costuma ser chamado, é ainda mais obscura. Não há verbete na Wikipedia, nem citações em sites como O Gol ou Transfermarkt, referências no assunto.

De acordo com um currículo em vídeo (o famoso DVD), o meia teria começado na base do Bragantino-SP (2001 a 2005), tentado a sorte no Santos-SP (por quatro meses em 2004, “sem contrato”) e se profissionalizado de fato na Inter de Limeira-SP (2005 a 2007 e 2009). Além disso, ainda teria passado por Marília-SP (2008 e 2010-2011), Grêmio Barueri (2011), Independente de Limeira-SP (2013) e Mixto-MS (2016).

Em 2010, teria acertado um contrato para defender o alemão Borussia M’Gladbach, mas a reportagem não encontrou nenhuma referência a essa passagem. O DVD, datado de 2011, traz imagens de jogos do exterior, mas com imagens desfocadas (uma delas até esconde o placar do jogo).

No entanto, uma análise mais minuciosa do material indica que seriam do futebol húngaro. É impossível concluir se as imagens referem-se ao jogador. Em outra imagem, também de baixa qualidade, é possível supor que o jogo seria entre Santos e Marília, em 2008, na Vila Belmiro. No entanto, o jogador não consta na ficha do jogo, em nenhum dos clubes.

Em 2013, uma entrevista publicada na página 9 desta edição do jornal O Eco, de Lençóis Paulista-SP, anunciou que o jogador defenderia o Nuremberg-ALE na temporada seguinte. A reportagem ainda esclarece a primeira passagem dele pelo futebol alemão, quando teria jogado pelo M’Gladbach: “Todo ano participo do jogo festivo do goleiro Marcos, em Oriente-SP. Lá, tive uma lesão de ligamentos no joelho e acabei perdendo o contrato”, justificou.

Ainda segundo o jornal, a oportunidade de jogar pelo Nuremberg teria vindo “após o contato do clube alemão com o grupo Grakthenross”, que seria o “braço esportivo do grupo Casino, proprietário do Grupo Pão de Açúcar”. Embora a pesquisa pelo nome do grupo estrangeiro na internet não traga resultados, o grupo Casino tem o mesmo fundador que o Saint Éttienne-FRA, da primeira divisão francesa.

Em todo caso, a matéria já antecipa que Dion só poderia estrear pelo Nuremberg em 2014, pois o limite de estrangeiros possíveis naquela temporada já havia sido atingido.

dion-fb-nurembergNa mesma época, em uma rede social, Dion publicou uma foto vestindo uma camisa com o escudo do time alemão. Em seu perfil também constam fotos de campos de treinamento, do estacionamento e da loja do clube alemão.

Coincidência ou não, essa foto do “anúncio” foi republicada pelo jogador no dia seguinte ao polêmico registro no Coritiba, quando seu perfil na rede social se tornou viral entre os torcedores do Coxa e dos rivais. A reportagem tentou encontrar referências a passagem do jogador pelo Nuremberg, mas não obteve sucesso.

A principal notícia que surge quando se pesquisa o nome dos jogadores na internet diz respeito a uma passagem relâmpago de Ricardinho e Dion pelo Mixto-MS, no início do ano. Segundo a imprensa local, os jogadores e a comissão técnica foram despejados do hotel onde estavam morando e foram impedidos de comer em um restaurante da cidade por falta de pagamento por parte do patrocinador do clube.

Após o vazamento da contratação de Dion e Ricardo pelo Coritiba no BID da CBF, o sentimento dos torcedores coxa-branca era de revolta e questionamento, enquanto o clima entre os rivais era de euforia, especialmente por conta da aparente falta de preparo físico de Dion.

A diretoria até tentou evitar a polêmica, mas acabou lançando uma nota oficial muitas horas depois para explicar o ocorrido. Segundo o texto divulgado, os jogadores não serão incorporados ao elenco principal comandado por Pachequinho e deverão usar a estrutura do clube apenas para manter a forma e treinar.

Ainda segundo a nota, os jogadores são fruto de uma “parceira técnica com o futebol chinês” e o registro é uma “medida de proteção”. O nome, no entanto, não foi revelado.

dion-coxa-doidoEm todo caso, a polêmica já estava feita. Os reforços foram clicados na sala de imprensa do clube, onde vestiam camisas de jogo oficiais. A foto ilustra a capa deste texto e Ricardinho e Dion são os primeiros da esquerda para a direita.

Dion, aliás, também postou uma foto de sua nova camisa com o número #39 às costas e outra fazendo careta no vestiário do clube, visivelmente eufórico com a oportunidade recebida.

Como estão registrados no BID, Ricardinho e Dion podem entrar em campo e até serem escalados no Cartola FC, o fantasy game do Campeonato Brasileiro. Ainda não se sabe o que será destes atletas, mas o fato é que eles não serão esquecidos tão cedo pelos torcedores paranaenses.

Você pode gostar também
Comentários
Carregando...