Radium contrata veterano Capone e aposta em meia argentino

0 115

O Radium de Mococa está fazendo altos investimentos para a disputa da Segundona 2011. A equipe do interior de São Paulo trouxe da Argentina o meia Ringo, de 28 anos, que estava atuando no Instituto Atlético Central Córdoba. Outra aposta do técnico Paulo Mello é o veterano zagueiro Capone, ex-Juventude, Galatasaray e Corinthians.

“Trabalhei com o Capone no Matsubara do Paraná no ano passado. Ele tem 38 anos e possui grande experiência internacional. Ele vai ser importante para esse grupo que estamos formando aqui em Mococa. O atleta argentino está com alguns problemas com a parte de documentação, mas acreditamos que ele possa estar na estreia do time. Também trouxemos o atacante Cristiano que estava atuando na Bulgária”, antecipa Mello.

Com experiência no futebol de divisões de acesso, o treinador destaca que a quarta divisão exige muito da parte física dos atletas. “É um campeonato de pegada, mas sem qualidade técnica. Nosso objetivo maior é o acesso. Acredito que dez equipes tem condições de brigar pelas quatro vagas”.

Na primeira fase da Segunda Divisão 2011, o Verdão da Mogiana está no grupo 3, ao lado de Brasilis, Bariri, Guaçuano, São Judas de Jaguariúna, Independente de Limeira e Palmeirinha de Porto Ferreira. A equipe radiúnica estreia na competição contra o Brasilis, no dia 1º de maio, no estádio São Sebastião, em Mococa. Antes do início da Segundona, o clube irá realizar um amistoso contra o Sport Barueri, em data indefinida. “Estamos fazendo todos os preparativos necessários. Por isso, a expectativa na cidade é muito grande. Iremos realizar mais uns quatro amistosos antes da nossa estreia”, explica o otimista Paulo Mello.

Tradição quase centenária

Embora hoje dispute a última divisão do Campeonato Paulista, o Radium é um dos times mais antigos do estado. Fundado em 1919, a equipe recebeu o nome em homenagem a um elemento químico descoberto pela cientista francesa Marie Curie.

Campeão paulista da segunda divisão em 1950, o alviverde foi considerado durante muitos anos um dos times mais temidos do interior. A equipe disputou a divisão de elite do estado durante duas temporadas consecutivas (1951 e 52). Campeão mundial em 1958 com a Seleção Brasileira, o ex-jogador Dino Sani lembra que jogar contra o Verdão da Mogiana não era tarefa fácil. “Antigamente, as agremiações do interior eram muito fortes. XV de Piracicaba, Ferroviária e mesmo o Radium de Mococa tinham grandes elencos. Hoje, todas as cidades cresceram e o lazer da garotada não se resume a bola”.

Em 1979, o clube teve sua última conquista marcante: conseguiu o acesso para a Segunda Divisão do Paulistão. Desde então, o Verdão da Mogiana tem frequentado as últimas divisões do estado e revelado alguns nomes. Um exemplo é o goleiro Lauro, que iniciou a carreira no time de Mococa e no ano passado foi campeão da Taça Libertadores pelo Internacional.

Morador de São Paulo, o músico e pesquisador Fernando Martinez é um entusiasta do time. Fanático por futebol, ele gosta de acompanhar jogos das divisões de acesso, sendo um dos idealizadores do site Jogos Perdidos (www.jogosperdidos.zip.net). Por isso, ele realiza diversas viagens para assistir jogos de qualquer divisão. “Já acompanhei duas partidas do time, sendo que a cidade de Mococa é um dos lugares mais legais para se ver um jogo. O bar que fica na porta do estádio é tomado por figuraças que são extremamente simpáticas”.

Martinez lamenta a atual situação do alviverde. “É uma pena que a equipe não tenha nem chegado perto da elite estadual desde que caiu no início da década de 50”.

Você pode gostar também
Comentários
Carregando...