Quatro equipes a dois passos do paraíso na Série A2 do Paulista

Michel Lambstein/ XV de Piracicaba
188

Falta pouco! Mais duas rodadas e saberemos quais serão as equipes que conquistarão as duas vagas, deixadas por São Caetano e São Bento, na Série A1 do futebol paulista.

Pelas quartas da Série A2, todas as equipes que haviam conquistado vantagem na primeira partida se classificaram, mas nem por isso a disputa foi simples. Confira tudo o que rolou nos confrontos:

Atibaia x São Bernardo

Com a vantagem mínima conquistada no primeiro jogo, o São Bernardo precisa apenas de um empate para se classificar. E a equipe seguiu a risca esse plano, mesmo que com mais emoção do que o torcedor do Tigre gostaria.

Publicidade

O Atibaia, por precisar do resultado, se lançou de cara para o ataque. Logo aos 9 minutos de partida, dois ex-palmeirenses acabaram com a vantagem do time do ABC. Felipe Menezes recebeu ótima assistência de Luan, bateu cruzado e marcou o primeiro do jogo.

O jogo seguiu morno na sequência e foi melhorar somente na segunda etapa, quando o São Bernardo voltou melhor do vestiário. A equipe partiu em busca do empate e foi premiada aos 40 minutos: João Carlos, que já havia marcado o gol da vitória no primeiro jogo, apareceu no meio da área para completar a boa jogada de Gil.

Gol que assegurou a classificação do São Bernardo para as semifinais, a única equipe fora das quatro primeiras posições na primeira fase que conseguiu a classificação às semis.

Rio Claro x Red Bull Brasil

Tendo vencido de virada a primeira partida fora de casa, o Rio Claro tinha a missão de segurar a vantagem no confronto com o Red Bull Brasil. O Toro Loko, por sua vez, não poderia ficar com o acesso caso conseguisse – até por isso, tinha uma menos pressão que seus adversários.

O Red Bull Brasil desde o início da partida tentou ir para cima do Galo Azul, mas sempre tinha muitas dificuldades em organizar suas jogadas, dada a boa marcação dos donos da casa. Aos 12 minutos do primeiro tempo, o Rio Claro sofreu um duro baque: o centroavante Denílson sofreu uma entorse no tornozelo e precisou deixar o jogo, possível baixa para a sequência.

Ainda na etapa inicial, mesmo com a perda, o Rio Claro passou a ter as melhores chances. Em uma delas até chegou a marcar, com Bruno Formigoni, após chute de fora da área. Mas o VAR flagrou um toque de mão de Gian durante a jogada.

O jogo seguiu na mesma toada na segunda etapa, com o Red Bull com muitas dificuldades de armar jogadas, enquanto o Rio Claro chegava sempre com mais perigo. O Galo Azul teve a chance de matar o confronto quase no final da partida, mas Matheus desperdiçou boa chance cara-a-cara com o goleiro.

Mesmo assim, o gol não fez falta, e o Galo conseguiu a classificação, mirando agora a vaga para a primeira divisão do Paulistão, que não disputa desde 2016.

Água Santa x Portuguesa

Com a maior desvantagem nestas quartas de final e ainda encarando uma equipe invicta, a missão da Portuguesa contra o Água Santa era das mais complicadas. Mesmo assim, a Lusa foi guerreira, fez o que se esperava dela em grande parte da competição e saiu com a vitória – mas que não foi o suficiente para ficar com a vaga.

Buscando a classificação, a Lusa queria um gol logo de cara para colocar fogo de vez na disputa entre ambas as equipes. Aos 29 minutos do primeiro tempo, Raphael Luz bateu escanteio e Walfrido apareceu para testar livre para o fundo do gol.

Porém, pouco tempo depois, aos 33, Lelê sofreu pênalti e Dadá Belmonte deslocou bem o goleiro Thomazella para igualar a parada. A primeira etapa seguiu com melhores chances do Água Santa, mas tudo poderia acontecer no confronto.

Na segunda etapa, a Lusa seguiu na luta, em busca de um gol que a colocaria novamente com boas chances de lutar pela classificação. O gol tardou a sair, mas veio aos 38 minutos, quando Hélder cabeceou contra a própria meta o cruzamento feito por Wellingtonn Reis.

O gol deu uma última esperança para a Portuguesa, porém a equipe não conseguiu nos últimos minutos nenhum boa chance para chegar ao terceiro gol. Com isso, a vaga ficou com o Netuno.

Oeste x XV de Piracicaba

Com a melhor campanha no geral, o Oeste buscava melhor o desempenho em relação a primeira partida, quando não saiu do zero contra o XV de Piracicaba – que, por sua vez, vinha de uma sequência bem grandes de derrotas.

E o que vimos foi um jogo totalmente diferente do primeiro e com variáveis bem interesse, que somente o futebol por nos proporcionar. Maior jogador da história do Oeste, Mazinho disputava o confronto pelo lado oposto, e foi justamente dele o primeiro gol do jogo: aos 30 minutos da primeira etapa, após pênalti sofrido por, o Messi Black abriu o placar na Arena Barueri.

O XV continuou melhor no primeiro tempo, mas perdeu boa chance com Erison e terminou o primeiro tempo com apenas um tento de vantagem. Após os 15 minutos de descanso, o Oeste voltou melhor para a etapa complementar, e logo no minuto inicial deixou tudo igual com Léo Arthur, em batida forte de dentro da área.

O Rubrão seguiu no abafa e só foi conseguir a virada aos 33 minutos. Escanteio pelo lado esquerdo e Sandoval subiu lá no terceiro andar para testar firme, garantindo assim a virada e a classificação para a equipe de melhor campanha da primeira fase.

Confrontos das semifinais:

  • São Bernardo x Oeste
  • Rio Claro x Água Santa
Comentários