Pós-quarentena: Jogador brasileiro fala sobre retorno do futebol na Polônia

Divulgação
190

Mesmo que de modo lento, alguns países europeus estão retornando suas atividades no âmbito futebolístico em meio à pandemia do novo coronavírus (Sars-Cov-2). Campeonatos como o Alemão, o Suíço, o Austríaco e o Polonês são os que estão mais próximos desse retorno. No meio de todo este impasse, ficam misturadas as sensações de alegria e preocupação, sem ter a certeza se é o momento certo para voltar.

No entanto, assim como a reabertura de comércios, o futebol também retomará as atividades com restrições, como por exemplo treinos em grupos pequenos, testes em jogadores e jogos sem público.

Leia também:

Sou repórter do DFSports+ e tive a oportunidade de entrevistar Luquinhas, atacante do Légia Varsóvia, que se destacou na base do Capital-DF, depois foi ter boa passagem pelo futebol português e hoje joga a Ekstraklasa, a primeira divisão do campeonato polonês. Confira a entrevista com o atacante brasileiro:

Gabriel Albuquerque: Como anda a adaptação ao futebol polonês, já está 100%? E ao frio?

Luquinhas: Acho que foi o clube que me adaptei mais rápido foi aqui no Legia, por conta de ter alguns jogadores portugueses, isso me ajudou muito nessa questão de adaptação. Rapaz, eu costumo dizer que fui abençoado aqui nesse ano, os polacos diziam que fazia tempo que não caía neve, e este ano que estou aqui não teve, por isso digo que sou abençoado. Mas em geral o frio aperta muito quando chega no -3ºC, aí a coisa fica feia, mas já me acostumei com isso.

Gabriel Albuquerque: Você ainda sente uma dificuldade do governo polonês em relação à covid-19?

Luquinhas: Não posso dizer grande, mas aqui eles são muito cuidadosos com a saúde da população – quando começou o boato desse vírus por aqui, já fechou tudo sem mais e sem menos. Então é uma coisa que admiro muito, aqui eles pensam um no outro.

Gabriel Albuquerque: Há quanto tempo você já está em casa? Está conseguindo realizar seus treinos?

Luquinhas: Estive em casa dois meses trancado, saía apenas para ir ao mercado e pronto. Eu e minha esposa sempre respeitamos a lei da quarentena. Voltamos aos treinos aqui no Legia semana passada, o governo já autorizou muitas coisas a abrir aqui na Polônia por conta de que por dia está tendo mais curados do que infectados.

Gabriel Albuquerque: Quais cuidados o time está tomando com os jogadores?

Luquinhas: O time sempre teve o maior cuidado com os jogadores. Antes de entramos de quarentena, o clube disponibilizou alguns equipamentos médicos se caso precisássemos. Além de tudo, o médico do clube sempre estava em contato com a gente – isso é bom que o jogador vê que o clube está preocupado com a gente e com nossos familiares.

Gabriel Albuquerque: Nesse momento o Legia Varsóvia lidera o campeonato de certa forma com tranquilidade, estando 8 pontos a frente do segundo colocado e praticamente já classificado para os playoffs. Você acha que o tempo parado pode afetar o entrosamento da equipe?

Luquinhas: Sinceramente acho que não vai afetar não, nossa equipe está muito concentrada e focada no objetivo que é ser campeão, então acho que essa parada não irá afetar nossos objetivos.

Gabriel Albuquerque: Sabemos que o povo polonês é fanático por futebol, inclusive os torcedores do Legia. O campeonato irá voltar sem público, ao menos neste instante. Como vocês estão lidando com isso? E o torcedores?

Luquinhas: Acho que a parte mais difícil de voltar a jogar é essa situação. Costumo dizer que o futebol é um espetáculo para as pessoas, então um espetáculo sem público não faz sentido. Acho que nossa torcida nos ajuda muito dentro de campo, então vai ser uma coisa chata de se viver; mas vendo por outro lado, temos que pensar primeiramente na saúde e depois nas outras coisas.

Gabriel Albuquerque: Já deu para entender como funciona o futebol polônes? O estilo de jogo é mais na raça ou na técnica?

Luquinhas: Aqui na Polônia é mais raça e correria. Aqui, nenhum lance está perdido. Já presenciei partidas que estávamos ganhando de 2 x 0, faltava 10 minutos para o fim e ainda perdemos, então isso mostra a raça e força de vontade que tem nas equipes polonesas.

Gabriel Albuquerque: Quais as expectativas do retorno ao futebol depois desse tempo parado?

Luquinhas: Acho que as expectativas são as melhores possíveis. Nssa quarentena, sonhei quase todos dias que estava sendo campeão e levantando a taça, espero que agora eu possa realizar isso tudo.

-U-D-

O futebol polonês até então está com data para voltar próximo dia 27 (quarta-feira), com os jogos da Copa Polonesa e dia 29 (sexta-feira) será a volta do Campeonato Polonês.

Comments