O que é que a Segundona Paulista 2012 tem?

0 137

Com a colaboração de Allan Brito, Emanuel Colombari, Matheus Trunk e Sérgio Oliveira.

Fosse mais ligada em marketing, a Federação Paulista de Futebol (FPF) poderia promover a Série B do Campeonato Paulista com o slogan: “O verdadeiro Paulistão”. Afinal, são 41 times de 38 cidades se degladiando naquela que é a última divisão estadual (sim, Série B é só um eufemismo barato), tendo que superar quatro fases de grupo para poder garantir o direito de subir para a Série A-3 e, quem sabe, disputar a final do certame. Tá pensando que é fácil, é?

Para piorar, os times têm que lidar com o orçamento curto (que fica ainda mais pesado se pensarmos que a FPF não ajuda em praticamente nada) e com as peculiaridades do regulamento, que só permite a inscrição de jogadores com idade inferior a 23 anos, exceção feita a apenas três atletas. Fora administrar o desgaste com viagens, as lesões causadas pelos infindáveis campos esburacados e a dificuldade de encontrar investidores realmente interessados em vincular sua marca ao futebol local.

Mas não pense que a Segundona, como a chamamos carinhosamente, seja apenas um problema. Para o torcedor, por exemplo, ela é a única oportunidade de ver futebol profissional onde mora. É a chance de vestir as cores do time da cidade e grudar no alambrado para gritar na orelha do “número dois”. É a chance de ver futebol de perto, em 360 graus, não apenas na limitada visão imposta pelas câmeras de televisão. É a chance de rir daqueles torcedores-figura que, mais do que ofender o adversário, querem apenas chamar a atenção dos que ouvem seus infortúnios. É uma experiência que marca e que renova a alegria e a paixão pelo esporte bretão.

Tulio com a camisa do Tanabi

Mas não é só isso. A Segundona também é interessante porque reúne times de todas as partes do estado de São Paulo, de norte a sul e de leste a oeste, confronta rivalidades históricas já na primeira fase e, por vezes, ainda serve de palco para o último suspiro de grandes (ou nem tanto) craques do futebol brasileiro. Veja o caso de Túlio Maravilha, por exemplo. Escolheu o Tanabi FC, da menor cidade entre as equipes que disputam o torneio, para registrar mais uns tentos na quixotesca busca pelo milésimo gol da carreira. É verdade que não sabemos por quantos jogos o marqueteiro vestirá o verde tanabiense no torneio, mas é certo que sua presença já valorizou o torneio.

Assim, para tentar convencê-lo de que o degrau mais baixo do futebol profissional paulista merece sua atenção e acompanhamento (nem que seja pelo placar do Futebol Interior), o Última Divisão repetiu a fórmula do ano passado e listou uma série de informações sobre os times (precisamente, um de cada), da preparação para tentar subir às contratações bizarras, dois dos muitos fatos que tornam este campeonato tão singular no país. (JS)

GRUPO 1

ARAÇATUBA – Sim, é aquela AEA, que disputou a elite do Campeonato Paulista na década de 90 e que está de volta ao profissionalismo, mas de distintivo novo.

FERNANDÓPOLIS – A promessa é de um time forte, com a volta do técnico Roberto de Jesus e a contratação de jogadores das Séries A2 e A3. Vai dar certo?

GRÊMIO PRUDENTE – Não é o atual Grêmio Barueri. Este time ocupou a vaga do licenciado Oeste Paulista (campeão da divisão em 2007) e aposta em no técnico Jorge Saran, no veterano Adriano Gerlim e no ex-corintiano Rafael Acae.

TANABI – Terá o principal jogador do torneio: Túlio Maravilha, em busca do 1000° gol, que até já balançou as redes em amistosos de preparação. Como pretende se transferir para o Botafogo do Rio quando estiver a oito gols de atingir seu objetivo, deve jogar bem pouco a competição.

TUPÃ – Presidido por uma mulher, Fabiane Bizo Menezes, o time aposta no técnico Carlos Pereira, que teve longa passagem pelo José Bonifácio. No entanto, a formação do elenco ainda é defasada.

VOTUPORANGUENSE – A dupla de ataque deve ser formada por Romário e Emerson Sheik – os genéricos. O time quase subiu em 2011 e tem como destaque o técnico China, campeão da divisão em 2009 com o Atlético Araçatuba. China ainda tem no currículo sua experiência em Angola em 2008. (EC)

GRUPO 2

TAQUARITINGA – Rebaixado da série A-3 em 2011, o time aposta na direção de Solito Alves, ex-goleiro de Corinthians e Portuguesa na década de 80. Entre os jogadores, o destaque seria Régis Pitbull. Disse “seria” porque infelizmente não é AQUELE ex-Ponte Preta, mas sim um volante com passagens pelo futebol nordestino.

NOVORIZONTINO – Está de volta às competições profissionais após longo período. O destaque é Alessandro Cambalhota, AQUELE ex-Santos, que começou no antigo Novorizontino, time que, na década de 90, chegou à final do Campeonato Paulista (1990) e venceu a Série C do Campeonato Brasileiro (1994).

JABOTICABAL – O ambiente no Jotão é de otimismo. O ex-atacante Leandro Fonseca, com passagens pelo futebol suíço, assumiu o clube no começo do ano e promete montar um time equilibrado, mas sem loucuras financeiras, já que a equipe ainda se recupera de um grande buraco, conforme relatamos em 2009.

JOSÉ BONIFÁCIO – Alex Pinho, AQUELE ex-Vasco, é o treinador da equipe, que vai apostar em jovens para tentar chegar ao menos à segunda fase da competição. Se depender da preparação, o torcedor pode ficar animado: foram duas vitórias em amistosos, contra Mirassol e Fernandópolis, ambos por 3 a 1.

OLÍMPIA – Para tentar superar a boa campanha realizada no ano passado, quando caiu apenas na penúltima fase, o time investiu em atletas com experiência nas séries A-2 e A-3. Até o técnico veio de uma divisão superior: Leston Júnior dirigiu a Inter de Bebedouro na terceira divisão, mas não conseguiu evitar o rebaixamento.

MATONENSE – Pouco se sabe sobre a preparação da Matonense, time que ficou famoso no fim dos anos 90 quando disputou a primeira divisão, mas que teve uma das piores campanhas da Série B no ano passado. Em todo caso, o time de Matão ainda mantém um dos sites oficiais mais enigmáticos que existe. Se entender o motivo disto, nos avise. (JS)

GRUPO 3

LEMENSE – O time será treinado pelo ex-zagueiro Rogério Corrêa, campeão brasileiro em 2001 pelo Atlético Paranaense. Rogério também foi responsável pela montagem do elenco para a competição.

PIRASSUNUNGUENSE – Terceira equipe mais antiga do estado de São Paulo, o Gigante do Vale estava fora do futebol profissional desde 2007. O time tem o apoio da empresa Salto Sports e o treinador será Ricardo Luiz do Nascimento, o Lingue, bastante experiente no futebol paulista.

RADIUM – Depois de uma surpeendente desistência no ano passado, o Radium está de volta a competição e conta com apoio da prefeitura da cidade de Mococa para tentar realizar boa campanha.

AMÉRICO – Para esquecer a péssima campanha que fez no ano passado, a equipe fez uma parceria com a Ferroviária de Araraquara e usará jogadores das categorias de base do clube na Segundona.

OLÉ BRASIL – Foi comprado pelo Comercial de Ribeirão Preto e não jogará a competição. Até o fechamento desta reportagem, era o único time que havia apresentado o pedido de desistência à Federação Paulista de Futebol.

GUARIBA – O clube da “Cidade Primavera” terá como treinador o experiente Douglas Neves, que no ano passado chegou perto do acesso para a Série A3 com a Portuguesa Santista. (SO)

GRUPO 4

COTIA – A cidade ficou 17 anos sem um time profissional e agora terá graças à ajuda da Prefeitura, que até reformou o Estádio Municipal Euclides de Almeida para a disputad da competição.

DESPORTIVO BRASIL – A crise financeira recente que tem assolado a Traffic chegou ao time de Porto Feliz. Pita, que coordenava o projeto desde seu início, foi demitido e criticou as mudanças que foram feitas no time recentemente.

ELOSPORT – Em 2012, o time busca a recuperação do vexame da temporada passada, quando ficou em último lugar no Grupo 4, com apenas uma vitória e dois empates em 14 jogos disputados.

PRIMAVERA – O time de Indaiatuba foi fundado em 1927 e é tradicional no interior paulista, mas nunca disputou a primeira divisão estadual. Ivo Secchi, treinador com grande rodagem pelo estado de São Paulo, está na função de diretor de futebol. O resto é incógnita.

ITAPEVI – Na verdade, o time foi fundado em 2004, na cidade de Cubatão. Porém, em 2008, transferiu-se para Itapevi e vai fazer sua estreia como profissional nesta temporada. Rafael Andrade, ex-Flamengo-SP e Taubaté, será o treinador. Segundo nossos amigos do Jogos Perdidos, o grande nome a ser observado é o camisa 9, Lucas.

SUMARÉ – Depois de ter diferentes nomes no começo da década passada, o clube foi refundado em 2005 com uma inspiração colombiana: o escudo agora tem as cores azul, amarela e branca por causa da seleção sul-americana. (AB)

GRUPO 5

GUARULHOS – Com bons resultados nos campeonatos de base e boa campanha na primeira fase do ano passado, a AD Guarulhos aposta num elenco jovem para conseguir o acesso para a Série A-3.

NACIONAL – O experiente técnico Paulo Tognasini terá a responsabilidade de reconduzir o tradicional clube paulistano para os dias de glória.

OSASCO – Sem grandes novidades, a agremiação continuará utilizando jogadores do outro time da cidade, o Grêmio Osasco, atualmente na Série A-3 do Campeonato Paulista.

ATIBAIA – Eliminado na primeira fase no ano passado, o Falcão quer vida nova em 2012. A diretoria espera ao menos a classificação para a segunda fase da competição.

SPORT BARUERI – Sem conseguir os êxitos do Grêmio Barueri, o time terá como ponto positivo o mando de seus jogos na moderna Arena Barueri, estádio com capacidade para 35 mil pagantes.

UNIÃO SUZANO – Os veteranos Pavão (38 anos) e Müller (46 anos), ambos ex-São Paulo, são as estrelas para esta temporada. O USAC é um dos favoritos do grupo. (MT)

GRUPO 6

MANTHIQUEIRA – O clube de Guaratinguetá é um dos destaques da competição para 2012, pois terá uma mulher como técnica da equipe. Nilmara Alves tem 31 anos, foi jogadora de futebol e está na base do Manthiqueira desde 2005. Ela será uma das primeiras mulheres a dirigir um time de futebol profissional no Brasil – antes, Cláudia Malheiros havia treinado o Andirá-AC em 2000.

JOSEENSE – Com o fim do Primeira Camisa, as atenções da cidade de São José dos Campos se viram para o Joseense. Prova disso é que o time conta com apoio da Prefeitura Municipal e montou um elenco experiente para a Segundona. O jogador mais conhecido do grande público é o volante Fábio Gomes que já defendeu Paulista, Ituiutaba, Mirassol e o São José.

ATLÉTICO MOGI – A Águia do Vale começou sua preparação para a competição apenas no dia 23, duas semanas antes da estreia, e com certeza está atrás dos adversários de grupo. O treinador será Victor Del Vechio.

ECUS – Para 2012, o Leão do Colorado terá que conviver com uma realidade diferente, já que as atenções da cidade de Suzano se voltaram para o rival USAC. Para superar isso, o elenco do treinador Jaques Carvalho foi montado através de peneiras e indicações de atletas de sua confiança. Em um dos amistosos preparatórios, foi derrotado por 2 a 0 pelo Grêmio Barueri.

JACAREÍ – O JAC fez algo raro entre os times que disputam a Segundona: manteve o elenco e o treinador do ano passado para a disputa de 2012. Na temporada passada, o Jacareí esteve muito próximo do acesso para a Série A3, chegando até a terceira fase da competição.

UNIÃO MOGI – Ano passado o União foi um dos piores times da Segundona. Para 2012, a diretoria apostou na experiência do treinador PH Lamounier para reverter a situação. Porém, nos amistosos que fez até aqui foram duas derrotas, para Bragantino e Grêmio Barueri. (SO)

GRUPO 7

PORTUGUESA SANTISTA – Depois de chegar muito perto do acesso no ano passado, a Briosa terá mais uma vez um bom time e deve ir longe na competição. O treinador será Rodrigo Santana e toda a pré temporada foi realizada fora da cidade de Santos, em Rio Bonito.

GUARUJÁ – Enquanto outros times estão apenas treinando para a Segundona, o AD Guarujá já está em ritmo de competição, pois disputou recentemente a Copa Carlos Chagas de Futebol, em que foi eliminado nas semifinais.

ECSB – Não é exagero dizer que o Bernô entra como um dos favoritos ao acesso. O clube conta com a base que fez campanha razoável no ano passado somado aos atletas campeões paulista sub 20 no ano passado. O treinador continua sendo o competente Júlio César Passarelli.

MAUAENSE – Pouca coisa mudou no Mauaense. Como em 2011, o treinador continua sendo o veterano Souza e o elenco continua sendo formado por atletas da parceria que o clube tem o com o São Bernardo FC, recém-promovido a Série A1 do Paulista.

JABAQUARA – O treinador do Jabuca será o ex-atacante Paulinho Kobayashi.

SÃO VICENTE – Para 2012, o time calunga conta com a parceria da Kourusport que montou o elenco para disputa da competição. O treinador será Cristiano Troisi. (SO)

Você pode gostar também
Comentários
Carregando...