“Não temos local para treinar”

0 36

O técnico Júlio César Passarelli é um homem que gosta de desafios. Em 2010, o treinador assumiu o desacreditado time sub-20 do Esporte Clube São Bernardo para a disputa do Campeonato Paulista da Segunda Divisão da categoria. O time conseguiu um inesperado vice-campeonato. Com os bons resultados, Passarelli foi mantido no cargo. Aos 37 anos, ele assume um desafio maior ainda: irá dirigir a equipe principal do Esporte na quarta divisão paulista.  “A minha preocupação está nos treinos, pois ainda não temos um local para treinar. É lamentável passar pelo que passamos por pura politicagem”, lamenta.

Nesta entrevista exclusiva ao Última Divisão, o técnico conta em detalhes quais são as dificuldades em dirigir um time na quarta divisão do futebol paulista.

Última Divisão: O EC São Bernardo fez uma excelente campanha no Paulista Sub-20 do ano passado. O time júnior será a base do clube na Segundona?
Júlio César Passarelli: Sim. Quando eu cheguei no clube, em 2010, não existia nenhum trabalho que se aproveitasse. Esse ano é diferente porque fizemos um bom campeonato com o sub-20 no ano passado. Aquele time será a nossa base para a Segunda Divisão deste ano.

UD: A equipe terá muitos reforços?
JCP: Estamos mesclando. Mas a base é o time sub-20, mas fizemos algumas contratações. Esses jogadores novos serão importantes para dar equilíbrio e experiência ao grupo.

UD: O EC São Bernardo está num dos grupos mais competitivos da competição, ao lado de três equipes que já disputaram a primeira divisão estadual. Isso dificulta muito as coisas para a equipe?
JCP:
Isso dificulta porque exige muito de nós para nos classificarmos. Mas ao mesmo tempo, isso ajuda porque nos deixa preparados para enfrentar qualquer equipe nas próximas fases. O pior é quando você joga somente contra times fracos, ganha bem e se classifica fácil. Depois, você percebe que se enganou e sofre jogando contra equipes qualificadas nas fases seguintes. Você se acostuma a jogar contra jogos fáceis e isso não é bom. Por isso, nosso grupo ao mesmo tempo que é dificílimo acaba sendo bom para prepararmos o time para conquistas. Nesse campeonato, se você quiser chegar tem que estar bem preparado.

UD: Na primeira fase, sete jogos do EC São Bernardo serão realizados no domingo de manhã. Isso prejudica os atletas?
JCP: Prejudica muito a preparação para o jogo. Os jogadores acabam acordando muito cedo e colocam o corpo no mais alto nível de esforço para um jogo altamente competitivo. Isso não é o ideal.

UD: Qual é a expectativa que a torcida e a cidade de São Bernardo podem ter com o time?
JCP: Nossa expectativa é a melhor possível, considerando que o trabalho já foi implantado no ano passado é a nossa base. A minha preocupação está nos treinos, pois hoje não temos local para treinar. É lamentável passar pelo que passamos. Por pura politicagem somos sempre drasticamente prejudicados. Estou fazendo o melhor que posso, mas isso não é o ideal para fazermos o papel que desejo que é o acesso. Sempre farei o melhor como no ano passado com o sub-20. Mas é difícil você competir em alto nível sem estar devidamente com a sua equipe preparada por falta de estrutura. Tudo isso é muito triste.

UD: Quais são as suas principais preocupações antes da estreia do clube?
JCP: Eu me preocupo em preparar a equipe, fazer que ela esteja bem postada em campo. Meus jogadores precisam saiber cumprir as funções táticas. Acredito que isso seja importante principalmente nos momentos que estamos sem a posse de bola. Realizar amistosos podem ajudar no entrosamento da equipe e podem fazer nós ajustarmos algumas deficiências. Mas o mais importante são os treinos e a compreensão tática dos atletas.

Você pode gostar também
Comentários
Carregando...