Muito além da Old Firm

Torcedor exaltado em um dos milhares cânticos anti-rival do dérbi
0 76

EDIMBURGO (ESCÓCIA) – Muitos consideram Celtic x Rangers o maior clássico do mundo – e têm sua razão. Mas deixando Glasgow e indo ao leste da Escócia, na bucólica capital Edimburgo, um dérbi sobrevive à obscuridade deixada pelos quilômetros de distância entre os dois maiores clubes do país e o resto. Sim, resto. Num campeonato mais do que centenário, a dupla de maior expressão levou os últimos 26 troféus, fazendo dos dez outros times um grande bloco intermediário, morno, que têm no duelo entre Hibernian e Hearts um símbolo de resistência a um dos torneios mais desiguais de todo o planeta.

‘The Famous Five’ – ataque histórico dos Hibs nos anos 50 é homenageado no estádio do clube

No primeiro sábado de abril eu comprei um The Scotsman e dei conta que o maior jogo da cidade seria disputado no dia seguinte. Fui andando do centro até o Easter Road, casa do Hibernian, seguindo um mapa de rodoviária e perguntando pelo estádio (quem dera entendesse o inglês escocês). Enfim, cheguei e dei com a cara na bilheteria: ‘ingressos só amanhã’.

Palmeirense? ‘Não acompanho muito o futebol brasileiro, mas o Palmeiras é verde, então é Hibs’

É difícil ter certeza em relação ao número total de jogos entre as duas equipes, mas estima-se que a bola já rolou no clássico em 600 oportunidades. Metade desses seriam oficiais, enquanto a outra contemplaria todos os amistosos, festivais e torneios locais que envolveram Hibs e Hearts. Consenso é em relação ao maior confronto da história: a final da Copa da Escócia de 1896, que terminou com vitória dos Hearts por 3 a 1.

Torcida visitante ficou atrás de um dos gols

A bola ia rolar 12h45 – os jogos na Escócia são sempre em horários alternativos aos do Campeonato Inglês – e por volta de uma hora antes do pontapé inicial a torcida visitante chegou, junta e barulhenta, marchando em direção às costas de uma das balizas. Desembolsar 27 libras por um bilhete, porém, não foi possível. No clássico, é preciso apresentar entradas de outras rodadas para ter acesso às arquibancadas.

Pelo contato com os torcedores, em Edinburgo todos os fãs de futebol acompanham de perto um dos times da cidade. Claro, há pequenos núcleos de seguidores de Celtic ou Rangers, mas não há, ao menos na amostragem daquela manhã de clássico, a cultura do segundo time. Na capital escocesa, ou você é Hibs, ou você é Hearts. Mesmo.

As cores do clássico de Edinburgo em mais um disputa por espaço na área: futebol local é expert em chuveirinho

A vinte minutos para o jogo, os deuses do futebol chegaram até mim em forma de um escocês de uns trinta anos e seu filho, não mais que sete. ‘Tá precisando de ingresso?’ Na pressa, negociação no nosso inglês tão diferente. Dez libras. Bancadas laterais, time da casa.

Visão da arquibancada lateral

Pelo novo regulamento do Campeonato Escocês, os clubes se enfrentam quatro vezes cada durante a temporada. Ou três. É que a tabela é dividida em duas durante o quarto turno, fazendo com que cada clube dispute 38 rodadas (11 + 11 + 11 + 5). Assim, o “hexagonal” pode fechar o campeonato com clubes melhores pontuados em posições inferiores na tabela. Em 2006, por exemplo, o sétimo colocado somou mais pontos que o quarto,  já que foi ‘campeão’ de sua metade no quarto turno, o que não o faz ultrapassar as equipes que estão do sexto posto em diante. Difícil? É…

Torcedor exaltado em um dos milhares cânticos anti-rival do dérbi

O jogo foi bom, teve daqueles ingredientes fundamentais para uma grande partida. Expulsão, pênalti, virada, divididas ríspidas e até invasão de campo após gol de empate no final: 2 a 2. Os Hearts sairam na frente ainda no primeiro tempo, mas antes do intervalo tiveram o zagueiro expulso após cometer penalidade, depois convertida.

Apesar de terem quatro títulos do campeonato cada um e não levantarem a taça há mais de cinquenta anos, os clubes têm vivido momentos bem distintos nos campeonatos recentes. O Hearts, sobre a gestão de um milionário russo, levou o terceiro lugar na temporada 2010/2011 e beliscou um vice-campeonato em 2006, sendo o único clube a tirar uma das duas primeiras posições dos gigantes de Glasgow desde que o novo modelo da liga local entrou em vigor.

Visão do simpático Easter Road

Essa diferença pôde ser vista na primeira etapa do dérbi, mas, com um jogador a mais, o time da casa foi para cima no segundo tempo. Depois (e também antes) de perder trocentos gols, o Hibernian tomou a frente do placar, mas levou a igualdade num contra-ataque já no final da partida.

Invasão de campo surpreendeu até o fotógrafo, que não teve tempo de focar a figura que parou na grande área

Após o apito final, sobrou tempo para os torcedores mais exaltados trocarem elogios aos berros vindos dos últimos lances das escadas. Em algum lugar não muito distante, a hegemonia do futebol escocês seguia firme, seja nos 54 títulos do Rangers ou nos 42 do Celtic. Mas ali, por entre os castelos da capital escocesa, mais um capítulo da história do dérbi de Edinburgo era escrita, enquanto o mundo continuará a virar os olhos para os homens de saia somente em domingos de Old Firm.

Clássico passa por Inglaterra x Irlanda, vizinhos e rivais históricos
Você pode gostar também
Comentários
Carregando...