Mercadão Série B: reformulação é a palavra de ordem dos times que subiram

Gustavo Oliveira/ Londrina Esporte Clube
1.047
Esse texto faz parte do “projeto Série B de Primeira”, que pretende gerar uma cobertura intensa da Série B de 2021 no Última Divisão. Atingimos a 1ª meta do financiamento coletivo e portanto haverá uma coluna semanal aqui no site. Veja como está o andamento das outras metas e apoie o projeto.

Depois de analisar como os times rebaixados da Série A 2020 estão se preparando para a disputa da Série B 2021, agora vamos mostrar quem são os reforços dos clubes que vieram da Série C: Brusque (SC), Londrina (PR), Remo (PA) e Vila Nova (GO).

Tirando o estreante catarinense, os clubes ascendentes já tem larga experiência na segunda divisão nacional, então não é de se estranhar a busca por jogadores com “cancha” para disputar a competição. Como já falamos por aqui, a Série B de 2021 será uma das mais difíceis dos últimos tempos e ter um elenco qualificado é uma medida essencial para ir bem no certame. Confira a seguir as contratações de cada time:

 

Brusque (SC)

O novato da Série B promoveu uma grande reformulação no elenco: foram nada menos que 12 contratações para a temporada. Para driblar a falta de experiência na Série B, o Quadricolor apostou em atletas que já jogaram a competição, além de jovens promessas para compor o elenco.

Publicidade

Dalberson (G): após boa passagem pelo Joinville, o goleiro de 24 anos chega como uma promessa do Brusque para os próximos anos. Apesar de jovem para a posição, vem mostrando grande potencial de crescimento.

Vivico (LD): vindo do Juventude Samas-MA, Vivico é outra jovem promessa que pode despontar na Série B. Em 2020, ele esteve na seleção do Campeonato Maranhense. Tem como ponto forte a velocidade e pode oferecer maior variação tática nos ataques.

Toty (LD): foi titular absoluto do Santa Cruz na temporada passada e marcou 5 gols na temporada 2020. Além disso, tem experiência de Série B, com passagens por Cuiabá e Brasil de Pelotas. Com 30 anos, ele deve ser o dono da lateral direita do Bruscão.

Sandro (Z): figurinha ilustre do futebol catarinense, o zagueiro estava disputando a segunda divisão japonesa pelo Renofa Yamaguchi (que terminou na lanterna da J2 League). Aos 33 anos, vem para dar mais experiência à zaga do time.

Alex Ruan (LE): vindo do Brasil de Pelotas e com passagem por Cuiabá, a aposta da diretoria é na sua experiência em Série B. Porém, vai ser difícil tomar o posto de Airton na lateral esquerda do Quadricolor.

Pepê (V): com apenas 18 anos, ele é uma aposta da diretoria para as próximas temporadas. O volante foi um dos destaques do Atlético Catarinense, que foi campeão da terceira divisão estadual de 2020.

Tinga (V): experiente e com passagens por Palmeiras e pelo futebol asiático, Tinga estava no Santa Cruz, onde costumava ser reserva. Porém, era um dos líderes do elenco Coral, e a morte de seu pai por Covid-19, no final de 2020, acabou sendo um choque para o time.

Nonato (V): veio do Figueirense, onde teve poucas oportunidades. Aos 25 anos, deve ser utilizado para compor o elenco ao longo de 2021.

Bruno Mota (A): vindo de empréstimo do Mirassol, o jovem atacante deve ser uma opção para o ataque do Bruscão. Ele é aquele atacante que sofreu uma lesão nos rins durante uma dividida na Copa Paulista de 2019. Apesar de não ter tido muita sequência no Mirassol, disputou a Série C pelo Ituano, entrando com frequência como reserva.

Júnior Pirambu (A): foi um dos principais jogadores do Brusque no título da Série D de 2019. Se transferiu para o Londrina em 2020, mas não teve sequência por conta de lesões e agora retorna ao clube catarinense por empréstimo para, quem sabe, retornar àquela fase mágica. Sua reestreia, porém, veio em um mau momento: na derrota contra o Retrô (PE) pela primeira fase da Copa do Brasil.

Andrew (A): fez carreira no rival Criciúma e disputou a fase decisiva da Série B pelo Paraná Clube. Com 24 anos, seu contrato vai até o final do Catarinense.

Bruno Alves (A): vindo do Oeste e com passagens por CSA e Cuiabá, Bruno Alves é outro nome com experiência na Série B. Costuma atuar pelos lados do campo e vem jogando com regularidade em 2021.

 

Londrina (PR)

Nesse retorno à Série B, o Londrina teve que mexer em algumas peças no time titular que conquistou o acesso, além de procurar nomes para compor o elenco. Os principais destaques são jogadores que já tiveram passagem pelo clube, como Romisson e Jonatas Belusso.

João Carlos (LD): vindo do Brusque, onde fez uma ótima Série C, João Carlos estava perto de fechar com o Brasil de Pelotas, mas preferiu o LEC.

Luiz Henrique (LE): estava no Mirassol, onde foi campeão da Série D 2020, mas pertence ao Juventus-SC. Foi titular em 13 jogos na campanha vitoriosa do Mirassol e deve assumir a titularidade no Tubarão, que sofre com a falta de bons nomes na posição.

Felipe Vieira (LE): cria da base, o jovem de 20 anos foi negociado com o Portimorense-POR em 2019 e em 2021 está de volta ao LEC para ajudar na composição do elenco.

Romisson (V): emprestado junto ao Capital-DF, ele atuou pelo Vitória em 2020, onde cometeu um dos pênaltis mais bizarros do ano. Assim como muitos outros contratados, ele já tinha uma passagem pelo Londrina, no caso, entre 2017 e 2018, quando ajudou o clube a conquistar a Primeira Liga.

Jean Henrique (V): vindo do Atlético-PB, o volante terá a chance de defender o time da cidade onde nasceu. Ele tem como ponto forte a marcação, cobrindo todos os espaços do campo. Seu contrato vai até maio.

Marcelo Freitas (M): um ilustre desconhecido no Brasil, Marcelo está desde os 20 anos no futebol europeu, jogando em equipes menores da Alemanha e de Portugal. Aos 26 anos, terá a missão de armar o time ao lado do veterano Celsinho.

Jonatas Belusso (A): o atacante está de volta ao Londrina. Desde a boa passagem pelo Tubarão em 2017, em que marcou 11 gols em 17 jogos, ele nunca mais viveu um grande momento e espera retornar à sua fase artilheira.

Thiago Henrique (A): outro jogador com passagem pelo time, só que dessa vez mais apagada: por conta de lesão, ele entrou em apenas uma partida no Campeonato Paranaense e depois foi negociado para o Criciúma no segundo semestre. Seu contrato vai até o final do estadual.

 

Remo (PA)

O Leão sofreu baixas importantes para a temporada 2021. Alguns destaques da campanha do acesso, como Hélio Borges, Ricardo Luz e Salatiel, além do ídolo Eduardo Ramos, deram adeus ao clube e poderão fazer falta nessa nova fase do Remo.

Por isso, a ideia da diretoria foi ir atrás de nomes de peso para montar um elenco competitivo, principalmente no ataque, onde as baixas foram mais sentidas.

 


Rodrigo Josviaki (G): de volta ao Brasil após três temporadas no exterior, o atleta de 26 anos terá a ingrata tarefa de ficar na reserva de Vinícius, ídolo inconteste do clube paraense.

Thiago Ennes (LD): cria do Flamengo, Thiago teve um grande ano no Confiança: campeão sergipano invicto, inédita semifinal na Copa do Nordeste e o bom retorno à Série B. Tudo isso como titular absoluto do time. Em meio à reformulação do clube para 2021, ele acabou deixando o clube e agora tenta alçar novos voos no Remo.

Wellington Silva (LD): com passagens por Flamengo, Fluminense e Inter, Wellington Silva estava no Juventude, onde não foi muito aproveitado. Chegou ao Remo ainda em janeiro para a disputa da Copa Verde e conquistou a titularidade absoluta do time. Infelizmente, na final contra o Brasiliense, ele errou a última cobrança de pênalti que fez o time perder o título.

Felippe Borges (LE): jogador jovem de apenas 21 anos, ele chega por empréstimo do Juventude, onde teve poucas oportunidades para jogar. Deve compor o elenco para a temporada.

Jeferson Lima (V): com 24 anos, Jeferson já chega com a experiência de ter jogado a Série B pelo Confiança em 2020. Com o título sergipano e uma histórica presença na semifinal na Copa do Nordeste no currículo, nem parece que essa foi sua primeira experiência como profissional.

Anderson Uchôa (V): após passar pelo Paysandu em 2020, em que foi titular, mas sofreu com lesões, o volante agora atravessa a rua e chega ao Remo para a temporada 2021. Aos 30 anos, ele conta com grande capacidade defensiva e ofensiva, mas as constantes lesões costumam preocupar.

Renan Oliveira (M): em 2008, ele chegou a ser uma das promessas da base do Atlético-MG. Só que desde 2011 ele se tornou um andarilho da bola. Inclusive seu último clube foi o Sūduva, da Lituânia. Agora, aos 31 anos, ele chega ao Remo como opção de armação de jogadas e, quem sabe, tentar se firmar em algum clube.

Felipe Gedoz (M): uma das grandes contratações do Remo para a temporada foi a permanência definitiva do meia Felipe Gedoz. Ele chegou ao Leão por empréstimo em novembro vindo do Nacional-URU e foi um dos destaques do time na reta final da Série C, principalmente no jogo contra o rival Paysandu. Para alcançar o valor exigido pela transferência, a diretoria até apelou para uma campanha de doações pelo Pix.

Renan Gorne (A): após uma passagem apagada pelo Paysandu em 2018, Renan Gorne foi um dos grandes nomes do Confiança nessa ascensão do clube sergipano nas últimas temporadas, com direito à hat-trick na Série B 2020. Mas caiu de produção na reta final e acabou não renovando com o Dragão. Agora tenta conquistar um espaço no reformulado ataque do Remo.

Lucas Tocantins (A): em 2020, ele teve um grande ano: artilheiro do Campeonato Paranaense pelo FC Cascavel e campeão catarinense e da Série B pela Chapecoense. Sem espaço na Chape, Lucas chega por empréstimo e quer repetir a boa fase em seu estado natal (ele nasceu no Pará, mas cresceu no Tocantins).

Edson Cariús (A): chamou atenção no Ferroviário-CE, na qual foi artilheiro da Série D 2018 e deu trabalho para o Corinthians na Copa do Brasil 2019. Atualmente está vinculado ao Fortaleza, que o cedeu por empréstimo ao Remo. Pode ser uma das esperanças de gol do time na Série B.

Gabriel Lima (A): revelado pelo próprio Remo, ele está de volta por empréstimo. Em 2020, ele atuou pelo Tombense, onde fez 27 partidas e marcou quatro gols.

 

Vila Nova (GO)

Apesar de ter sido campeão da Série C 2020, o Vila Nova decidiu por uma grande reformulação no seu elenco: dispensou 9 jogadores, dentre eles o meia Emanuel Biancucchi e o zagueiro Adalberto, que foram titulares na competição.

Para a temporada 2021, o Colorado fez uma mescla entre jogadores promissores, que podem querer mostrar serviço na Série B, com a experiência de alguns medalhões, como o atacante Kelvin e o lateral Thiago Carleto.

Georgemy (G): com 1,98 m e 25 anos, Georgemy deve ser uma das opções de reserva de Fabrício, já que Cleriston e Marcão deixaram o clube nesta temporada. Ele estava no CRB, mas foi pouco aproveitado. Curiosamente, o clube onde mais jogou foi no quase xará Villa Nova-MG.

Nilson Júnior (Z): o zagueiro de 29 anos estava no Treze, que acabou rebaixado para a Série D sob o comando de Márcio Fernandes, ex-técnico do Vila Nova. Um de seus diferenciais é a capacidade de atuar também como lateral esquerdo, permitindo mais variações táticas ao longo da partida.

Walisson Maia (Z): apesar de ter defendido o Botafogo-SP na Série B 2020, que acabou rebaixado, Walisson foi um dos destaques do elenco que tomou poucos gols — se compararmos com outros times da parte de baixo da tabela. Aos 29 anos, ele conta com um acesso à Série A na carreira, defendendo o Coritiba em 2019.

Thiago Carleto (LE): jogador conhecido do grande público, com passagens por São Paulo, Atlético-MG e Fluminense. Ele estava no Vitória, onde vinha sendo destaque do time, marcando 7 gols na temporada 2020. Mas problemas internos fizeram com que ele rescindisse o contrato. Deve disputar a vaga de titular com William Formiga.

Arthur Rezende (V): revelado no rival Goiás, ele se notabilizou no Guarani, quando foi essencial para o time escapar do rebaixamento na Série B 2019. Foi para o Bahia no começo de 2020 e retornou por empréstimo ao Guarani para a disputa da Série B 2020, mas não foi bem. Um dos pontos fortes de Arthur é a bola parada.

Kallyl (V): surgiu como destaque no Osasco Audax em 2019 e jogou em 2020 no Boa Esporte, que acabou rebaixado para a Série D. Ainda é jovem, com 25 anos, e deve ser usado para compor o elenco.

Kelvin (A): sim, aquele, com passagens por Vasco, São Paulo e Palmeiras, chega ao Vila Nova após a péssima passagem pelo rebaixado Botafogo em 2020. O detalhe da contratação é que ele receberá por produtividade, já antevendo as possíveis lesões que o atingirão ao longo da temporada.

Pedro Júnior (A): após quase 10 anos, Pedro Júnior está de volta ao Vila Nova. Aos 34 anos, esta será sua quarta passagem pelo Tigrão. Em 2020, ele estava no CSA, onde fez 5 gols em 21 jogos. Agora em 2021, ele já alcançou a incrível marca de 3 gols em 5 jogos!

Thiaguinho (A): outra opção no ataque é o jovem Thiaguinho, de 22 anos. Ele vem emprestado do Jacuipense, onde disputou a Série C. Foram 9 gols na temporada passada, quase sempre entrando no segundo tempo.

Marcos Paulo (A): revelado no próprio Vila Nova, o atacante de 23 anos retorna ao clube após quatro anos. Ele estava na Aparecidense, que ficou perto do acesso para a Série C.

Comentários