Hyuri: joia do Audax, descarte do Inter, algoz do Flamengo e xodó do Botafogo

0 31

O Botafogo precisou de pouco tempo para suprir a vaga de xodó, aberta após a saída de Vitinho para o CSKA Moscou: com atuações decisivas diante de Coritiba e Corinthians, ambas no Estádio do Maracanã, o atacante Hyuri parece prestes a cair nas graças da torcida botafoguense – se é que já não o fez.

O carinho alvinegro é um prêmio para um jogador que parecia destinado a fazer figuração no futebol do Rio de Janeiro. Revelado pelo Audax Rio, Hyuri passou sem sucesso pelo Internacional, voltou ao clube formador e ressurgiu como “carrasco” do Flamengo no Campeonato Carioca.

Nascido no Rio de Janeiro em 1991, Hyuri Henrique de Oliveira Costa foi revelado pelas categorias do Audax Rio. Passou pelo time B do Internacional por seis meses em 2011, mas sem ser aproveitado, e retornou ao clube de São João do Meriti.

Foi só em 2013, porém, que as coisas começaram a se desenvolver para Hyuri. Titular da equipe desde o começo do Campeonato Carioca, o camisa 7 vinha perdendo espaço com o técnico Maurício Barbieri. Mas eis que o atacante foi utilizado em um emblemático jogo-treino contra o Madureira, em 1º de março, no CT Arthur Sendas. Os visitantes chegaram a abrir 2 a 0 no primeiro tempo, mas o antigo Sendas virou o placar para 3 a 2 na etapa final, graças aos gols de Allisson, Renan… E Hyuri, que parecia surgir ali para a própria equipe.

A atuação de Hyuri no segundo tempo daquele jogo-treino foi digna de destaque. Em uma primeira chance, arriscou um perigoso chute cruzado que não entrou; na segunda, recebeu na entrada da área e fez o gol da vitória. Assim, passou a ganhar a confiança de Mauricio Barbieri, mesmo sem ter balançado as redes em jogos oficiais.

No final do mesmo mês, porém, veio aquele que Hyuri considera seu jogo inesquecível: em 31 de março, pela quarta rodada do Grupo A da Taça Rio (segundo turno do Campeonato Carioca), o Audax visitou o Flamengo no Estádio de Moça Bonita e surpreendeu, vencendo por 2 a 1. Hyuri, que vestia a camisa 16 (perdera a 7 para André Castro), deixou o banco de reservas para substituir Diego Sales aos 14min do segundo tempo e assegurou a vitória aos 44min, recebendo passe após bola perdida pelos rubro-negros no meio de campo, entrando na área e mandando para as redes defendidas por Felipe.

Foi o gol inesquecível no jogo inesquecível de Hyuri, que recuperou a camisa 7 do Audax. Ao fim do Campeonato Carioca, Hyuri contabilizava 13 jogos, dois gols e um cartão amarelo. Com potencial a ser desenvolvido, chegou ao Botafogo em agosto para buscar uma nova chance. Talvez a última.

No Botafogo, Hyuri apresentou o cartão de visitas em 5 de setembro, no jogo diante do Coritiba pela 18ª rodada do Campeonato Brasileiro. Aposta do técnico Oswaldo de Oliveira, o agora camisa 17 fez sua estreia como substituto de Lodeiro e não decepcionou: além de marcar o segundo gol alvinegro de cabeça aos 39min do primeiro tempo, deu números finais à vitória por 3 a 1 com um dos mais belos gols do Brasileiro: aos 4min da etapa final, recebeu a bola pela direita, cortou a marcação, pedalou, girou em cima da defesa e chutou, garantindo o 3 a 1.

O novo ato do xodó Hyuri veio nesta quarta-feira, diante do Corinthians, pela 20ª rodada. Agora reserva, entrou no lugar de Elias e decidiu o jogo no Estádio do Maracanã: após passe de Edilson, avançou pela direita e tocou na saída de Cássio para fazer 1 a 0. Mais uma vitória do Botafogo, que briga pelas primeiras posições do torneio nacional.

Camisa 17 brilhou com dois gols diante do Coritiba; contra o Corinthians, saiu do banco de reservas e assegurou a vitória por 1 a 0 no Maracanã (Crédito: Mauro Pimentel/Terra)

Era a redenção do camisa 17. Com três gols pelo Botafogo e os holofotes sobre ele, o atacante enfim começa a trilhar um caminho mais vitorioso do que indicava. Hyuri ou Vitinho: o futuro dirá quem foi melhor.

Você pode gostar também
Comentários
Carregando...