Há um ano, torcedores do Pescara ameaçaram invadir a Islândia

0 183

Quem acompanhou a Islândia na Eurocopa 2016 deve ter visto um meia-atacante alto e cabeludo que usa um elástico na cabeça à la Batistuta e Recoba. O cara se chama Birkir Bjarnason, tem o apelido de Thor e há cerca de um ano esteve envolvido em uma estranha confusão envolvendo seu então clube, o Pescara, e a federação islandesa de futebol (KSI).

Na temporada 2014-2015 da Serie B, a Segundona italiana, o Pescara tinha se classificado para a fase de mata-mata que define a última das três vagas para o acesso à Serie A. Após passar pelo Perugia (com um gol de pênalti de Bjarnason) e pelo Vicenza (com outro gol do islandês), o time de Abruzzo enfrentou o Bologna na final.

A primeira partida, em casa, terminou empatada em 0 a 0. Só que Thor teve que voltar para sua terra e enfrentar a República Tcheca pelas eliminatórias da Eurocopa, deixando o Pescara na mão no jogo mais importante do ano. Resultado: empate em 1 a 1 e classificação do Bologna devido à melhor campanha.

Foi então que a guerra contra a KSI eclodiu. Diversos torcedores invadiram a página da federação fazendo piadas com a pequena ilha nórdica e espalhando a hashtag ‪#‎freebirkir‬ nas redes sociais. O toque de classe foi o fato dos italianos terem feito o ataque usando o dialeto abruzo, o que torna a tradução um tanto quanto complicada mesmo para quem fala italiano, e deixou os islandeses ainda mais perplexos.

Uma ou outra palavra até dá para entender

O que não faltou foram insultos envolvendo o arrosticini – um tipo de espeto de cordeiro tradicional na região de Abruzzo – e referências a invadir o país, já que a província tem por volta de quatro vezes mais habitantes que a Islândia.

 

O famigerado arrosticini (à esq.) e o mapa da Islândia com o escudo dos times de Abruzzo (à dir.)

Os islandeses tentaram a todo custo responder aos ataques, mas nesse caso a Torre de Babel falou mais alto. A saída mais simples foi banir da página da KSI todos os IPs vindos da Itália, medida que vigorou por cerca de um ano.

Apenas mais uma discussão improdutiva no Facebook

A paz foi selada no dia 13 de junho de 2015, um dia após a partida da Islândia contra os tchecos, e quase uma semana após o início do conflito.

Depois do ocorrido, Bjarnason se transferiu para o Basel, onde vestiu a tradicional camisa 8 e foi campeão suíço. A seleção islandesa acabou se classificando para a Eurocopa, e Thor fez o primeiro e o último gol da equipe no torneio, respectivamente, contra Portugal e França.

Já o Pescara, após o trauma de 2015, repetiu a dose neste ano e se classificou para o mata-mata da Serie B. Passou pelo Novara e pelo Trapani e, três anos depois, está de volta à elite do italiano. Uma história de ódio que acabou bem para os dois lados.

“Give peace a chance”
Você pode gostar também
Comentários
Carregando...