Giro UD #16: o vozeirão do Pacaembu, um quinteto brasileiro em Portugal e mais

Imagem: Última Divisão
61

Você sabe: o novo coronavírus (o nome correto, aliás, é Sars-Cov-2) afetou profundamente o futebol no Brasil e no mundo. E muito do noticiário que você tem acompanhado é reflexo disso.

(Inclusive, se puder, fique em casa!)

Mas tem coisa que nem a Covid-19 vai tirar de nós. Nada tira do torcedor de São Paulo, por exemplo, a alegria de comemorar os 80 anos do Pacaembu, celebrados nesta semana. Ou do fã do futebol de Portugal o respeito por jogadores brasileiros que fizeram história por lá.

Leia também:

É destes e de outros assuntos que o Giro UD desta semana fala.

Confira o que de mais legal vimos por aí nos últimos dias:

O Estádio do Pacaembu completou 80 anos nesta semana. No UOL, a Maria Victoria Poli conversou com o Edson Sorriso, locutor do estádio e o dono do vozeirão marcado pela frase “o meu, o seu, o nosso Pacaembu”. Sorriso falou de como foi parar no estádio e contou histórias bem legais que vivenciou por lá.

-U-D-

De cabeça: quem são os cinco maiores jogadores brasileiros da história do futebol português? A Goal escutou mais de 150 profissionais ligados à imprensa esportiva lusitana para chegar aos nomes. O Bruno Andrade conta o resultado. Você concorda?

-U-D-

Talvez você não se lembre, mas o Mirassol faz boa campanha no Campeonato Paulista até aqui. Com 16 pontos em 10 jogos, é o vice-líder do Grupo C (o São Paulo lidera a chave com 18) e dono da quinta melhor campanha do certame até aqui. Mas o retorno do time à competição vai ser complicado: no GloboEsporte.com, Emílio Botta que 60% do elenco foi liberado após o encerramento dos contratos. Eventual retorno, só com reforços.

-U-D-

Se você conhece a Brigada Marighella, sabe que a estreia dos caras no mundo dos podcasts é uma baita notícia. No primeiro episódio da Rádio Libertadora no Spotify, a rapaziada fala sobre o coronavírus, com informações médicas e um relato direto de Nova York.

-U-D-

Um dos méritos mais celebrados do Campeonato Brasileiro é a imprevisibilidade. A gente reclama muito da possibilidade de “espanholização”, justamente porque torneios em países como Espanha, Alemanha, Escócia e Portugal têm poucos candidatos reais ao título. Mas há uma má notícia: em seu blog no GloboEsporte.com, o Rodrigo Capelo mostra vem se tornando mais concentrado nos últimos anos.

Comments