Girão da Série C #01 – De Queda de invencibilidade à invasão de CT

Miguel Schincariol/Ituano FC
121

A partir desta semana, você acompanha os principais assuntos da Série C com a gente do Podcast Chama o VAR. Vamos fazer um giro com o que aconteceu de melhor e pior, sempre com análises e estatísticas. Sem delongas, vamos ao primeiro assunto:

Queda de invencibilidade

A rodada começou na última quinta 29, quando entraram em campo Ituano e Brusque. Favoritaço para a partida, o Bruscão é líder do seu grupo na Série C, time com mais vitórias, menos derrotas e, o mais importante, estava invicto desde  20 de agosto, há 9 jogos.

Só que o Ituano não tinha nada a ver com tudo isso, amigo. Querendo reagir no campeonato, o Galo de Itu saiu perdendo, mas não se abalou. Empurrando o Brusque e matando bem a linha de contra-ataque, não deixando os laterais e meias avançarem pela ponta, o Ituano empatou logo em seguida, virou o jogo e foi para o vestiário dominando o líder do Grupo B.

No segundo tempo, logo aos três minutos, Guilherme fez fila, passou, driblou o goleiro e sacramentou a virada do time da casa: 3 x 1 categórico. Foi a melhor partida do Ituano nesta Série C. O time conseguiu fazer uma marcação alta, o que fez o Brusque ficar encolhido em campo. Ao mesmo tempo, o Galo de Itu conseguiu fechar as linhas de contra-ataque. E só a título de curiosidade: o Brusque eliminou o Ituano na Série D do ano passado nas semifinais. Deve ter aquecido o coração dos torcedores essa vitória.

Para o Santa Cruz, a classificação é logo ali

No sábado 31, líder e lanterna do Grupo A se enfrentaram. Os donos da casa, o Imperatriz, vindo de 11 derrotas seguidas (recorde na Série C com formato de dois grupos de 10). Já o Santa Cruz, que não perde há 8 rodadas, vinha de 4 vitórias consecutivas. O resultado final foi mais uma sacolada: Imperatriz 1 x 6 Santa Cruz.

Agora, o Santinha demorou a engrenar. O primeiro tempo foi de pouca intensidade, com um time que parecia já achar que o jogo estava ganho. Os dois clubes foram para o intervalo com o Santa Cruz em vantagem, placar magro de 1 x 0. O Imperatriz até tentou, mas esbarra em várias questões extra-campo que fazem o time nem saber se tem jogadores suficientes para disputar as próximas partidas.

No segundo tempo, aí sim, com o time se impondo, forçando o adversário e mostrando toda a qualidade técnica o Santa se isolou como melhor ataque da competição, com 24 gols marcados em 13 jogos, uma média de 1,85 gol/jogo. Falta só mais uma vitória para que o Santa Cruz carimbe matematicamente o avanço para o quadrangular final.

Invasão ao CT do Volta Redonda

Nós iríamos pautar aqui o futebol: Volta Redonda e São José fizeram um dos jogos mais emocionantes da competição até agora. Com os dois times bem abertos (cometendo diversos erros defensivos) e se lançando ao ataque, tivemos 7 gols na partida, o que parecia ser uma loucura se pensarmos que o Volta Redonda estava há mais de 400 min sem marcar um gol e o São José tinha o 2º pior ataque do Grupo B.

Infelizmente, a nossa pauta mudou. Após o jogo, com a derrota do Volta Redonda, alguns “torcedores” invadiram o CT do clube, renderam o porteiro e quebraram diversos equipamentos do clube. Somente os jogadores da base estavam no local e se trancaram dentro dos quartos. Aí fica a questão de sempre: essa invasão vai fazer os jogadores melhorarem? O Volta acabou de anunciar a volta do Neto Colucci, como ele começa um trabalho depois dessa situação? Os problemas do Volta não vão se resolver assim, mas em campo, treinando.

O time tem uma defesa muito espaçada, as linhas de marcação são distantes e na maioria das vezes os jogadores não guardam posição, o que faz com que não haja um sistema defensivo seguro e montado. É preciso entender também que o Volta Redonda não conta hoje com os seus dois principais jogadores: João Carlos está lesionado e Saulo Mineiro foi para o Ceará. Em que pese tudo isso, é sempre importante frisar: nada justifica violência.

Ferroviário dispensa 5 jogadores

Outro time que também chegou a liderar a terceira divisão, mas está em uma maré de maus resultados, é o Ferroviário. Com 4 derrotas em 5 jogos, o time até consegue criar oportunidades, mas sente falta das jogadas decisivas de Wellington Rato, que saiu para o Atlético Goianiense.

Não bastasse tudo isso, o clube dispensou 5 jogadores à pedido do técnico. O que mais fará falta é Siloé, titular em diversos jogos do clube e uma das poucas boas opções ofensivas. Agora, entre as diversas justificativas, a de Wesley foi a mais preocupante. O jogador chegou a ameaçar de morte outro companheiro do clube.

Zicada do VAR

Nesse quadro aqui nós separamos a maior Zicada do VAR na semana. E claro que não poderia ser para outro clube: vem pra cá, Brusque!

O Bruscão, ou Brusque de Munique, era franco favorito contra o Ituano. No máximo, em nossa avaliação, um empate poderia ocorrer. O Ituano não vinha de um bom jogo contra o Londrina, chegando somente nas bolas paradas. Mas o futebol é isso, quando nós falamos muito bem do clube, geralmente ele perde. Agora é esperar pelo próximo zicado.


Gostou do texto? Então, faz o seguinte: procure a gente nas redes sociais: Twitter e Instagram. E tem também o nosso podcast, com episódio novo toda terça-feira:

Comments