Floresta na Série C: o acesso do time que superou um rebaixamento

Foto: Ronaldo Oliveira
367

O Floresta tem crescido demais nos últimos anos. Fez boas campanhas no Campeonato Cearense, foi campeão da Copa Fares Lopes e chegou perto de subir pra Série C em 2019. Mas em 2020 veio um tropeço inesperado, o rebaixamento no estadual. O regulamento cruel, junto com um início de trabalho fracassado, podiam ter destruído a temporada. Mas o Floresta superou isso da melhor forma possível.

A diretoria reconstruiu o time durante a pandemia. Não contratou jogadores conhecidos e nem muitos caros, mas trouxe experiência e acertou discretamente. O técnico Leston Junior fez um ótimo trabalho na organização da equipe. E aos poucos, sem ser muito notado, o Floresta usou o conhecimento que já tinha da Série D pra conseguir o acesso inédito.

Publicidade

Campanha

O Floresta ficou em 3º lugar do Grupo 3. Era a chave mais complicada do Norte/Nordeste, talvez a mais difícil de todas. Então o time sofreu um pouco para se classificar.

No mata-mata o Floresta eliminou Itabaiana, Juventude Samas e América-RN. Todos deram trabalho. Mas o time cearense fez o básico nos 3 duelos: venceu em casa e empatou fora.

Uma curiosidade é que, na fase de grupos, o Floresta enfrentou o América-RN duas vezes e não conseguiu vencer. Teve um empate e uma derrota. Mas depois, no mata-mata, foi superior ao América-RN e garantiu o acesso.

Ponto forte

A organização defensiva do Floresta chama atenção. O time sabe marcar por zonas, como poucos fazem nas divisões de acesso. E também parte pra marcação individual quando preciso. Sempre com muita raça e disciplina dos jogadores. Isso gera controle de jogo, mesmo quando a equipe não tem maior posse de bola.

Técnico

Leston Junior é o maior responsável por essa façanha do Floresta. Ele é bom treinador e já tinha levado o Tupi pra Série B. Agora conseguiu o segundo acesso da carreira. Tem apenas 42 anos de idade, então vale ficar de olho pro futuro.

Craque do time

O jogo do Floresta é tão coletivao que fica difícil apontar um craque. Mas Deysinho é quem se destacou mais individualmente. Ele atua inicialmente pela ponta esquerda, mas se movimenta bastante. Vai para o meio, tanto para armar quanto para finalizar. E tem uma curiosidade: apesar de ser baixinho (1,66), fez 4 gols de cabeça. Inclusive um muito importante contra o América-RN. Ao todo marcou 7 vezes.

Jovem destaque

O time titular do Floresta tem uma idade média elevada. Mas tem um jovem meio-campista, Thalison, que chamou atenção em alguns momentos. Nem sempre ele começou jogando, mas foi importante para dar velocidade e agilidade no setor. Tem apenas 21 anos e foi formado na base do Floresta mesmo. Vale ficar de olho pra ver como se desenvolve.

Famoso

O Floresta não tem nenhum jogador muito conhecido. Mas dois já estiveram em times grandes da Série A. O volante veterano Leanderson começou no Grêmio, em 2003. E o também volante Jô teve uma passagem rápida pelo Atlético-MG, em 2010.

Outros destaques

Fábio Alves é um dos melhores laterais da Série D. A dupla de volantes, Jô e Marconi, se complementa muito bem e fez um ótimo trabalho pra organizar a defesa do time. E os atacantes Luís Soares e Flávio Torres tiveram algumas boas atuações também.

Curiosidade

Depois das oitavas de final, tudo indicou que o América-RN ia enfrentar o Mirassol no duelo do acesso. Mas graças a um amigo alternativo que nos procurou no Twitter, fomos alertados que o regulamento da Série D previa um sorteio para desempatar times com campanhas semelhantes. Isso tinha potencial pra mudar 2 confrontos. Ajudamos a divulgar essa informação e depois a CBF confirmou o sorteio.

O América-RN passou a enfrentar o Floresta no duelo do acesso. E muitos torcedores do time potiguar comemoraram isso, porque teoricamente iam enfrentar um adversário mais fraco. Mas o Floresta mostrou que é forte e mereceu o acesso.

Comentários