Enfim, Grêmio Osasco adquire Audax e sobe à Série A1 de SP

0 131

Não era segredo para ninguém, mas o Grêmio Osasco anunciou neste sábado que bateu o martelo e comprou o Audax, promovido em 2013 da Série A2 do Campeonato Paulista para a elite estadual do próximo ano. Graças a um investimento de R$ 30 milhões (especula-se, não há confirmação), o time osasquense assegura a vaga à Série A1 do Campeonato Paulista, algo inédito na história da cidade.

A trama começou a ganhar os contornos atuais em maio, pouco após a promoção do Audax no Campeonato Paulista. O Grupo Casino, que adquiriu a rede de supermercados Pão de Açúcar, decidiu cortar custos e se desfazer dos clubes idealizados por Abílio Diniz em São Paulo (o antigo Pão de Açucar) e no Rio de Janeiro (o antigo Sendas). Principal revelação da história do clube, o volante Paulinho (então no Corinthians) lamentou.

“(Estou) muito triste com essa notícia da venda do Audax pelo Grupo Casino. Fui formado no Audax-SP e tenho um carinho enorme pelo clube e pelas pessoas. O Audax conta com uma gestão profissional e nasceu de um projeto de responsabilidade social”, declarou.

Embora o meio-campista torcesse contra, a venda foi adiante. O tradicional Nacional Atlético Clube cogitou comprar o clube – o que promoveria um salto da quarta para a primeira divisão do Paulista. Não foi, porém, o que aconteceu: depois de longas negociações, o Grêmio Osasco tomou a dianteira e concretizou a negociação, quatro meses após o Grupo Casino tornar pública suas intenções.

E de onde sai o dinheiro os supostos R$ 30 milhões para que um jovem clube de segunda divisão “compre” a vaga na primeira divisão? Neste caso, indiretamente, do Bradesco. Sediado em Osasco, o banco é um dos principais patrocinadores do clube – não raro, a instituição tem placas nos arredores do campo, e funcionários do clube vestem camisas com a marca. O clube, entretanto, já negou qualquer envolvimento.

Membros do Conselho de Administração e a Diretoria Executiva do Bradesco recebem camisas do Grêmio Osasco em 2012 (Crédito: Divulgação)

O homem forte nesta ligação é Mário Teixeira, conselheiro do Bradesco – e acionista e “incentivador” do clube. Com dinheiro para apostar, Teixeira e o Bradesco se tornaram presentes nas decisões do clube – e também nas partidas. No site oficial do Grêmio Osasco, ele apenas consta como membro da diretoria, ao lado de Gustavo Teixeira e Lindemberg Pessoa. O primeiro já atuou como gerente de futebol, enquanto o segundo é o presidente.

Após dez anos no Audax, Thiago Scuro deixou o clube na última sexta-feira; um dia depois, Grêmio Osasco anunciou compra da equipe (Crédito: Divulgação)

Nos últimos 15 dias, Audax e Grêmio Osasco vinham negociando os últimos detalhes – que, ao que tudo indica, emperraram na reta final. De forma sintomática, o gerente executivo do clube paulistano, Thiago Scuro, deixou o clube na última sexta-feira após dez anos. Um dia depois, o anúncio da compra foi feito pelo próprio Grêmio Osasco.

O novo clube – que, segundo o jornal O Estado de S. Paulo, atenderá por Grêmio Osasco Audax – disputará seus jogos no Estádio Professor José Liberatti, em Osasco. Não está claro ainda se teremos um Grêmio Osasco no Rio de Janeiro, nem o futuro da estrutura do clube em São Paulo. O cargo deixado por Thiago Scuro será ocupado por Vampeta, que realizava função semelhante na equipe osasquense.

E assim, o Grêmio Osasco, 11º colocado da Série A2 do Campeonato Paulista de 2013, estará na Série A1 de 2014. E provável que se abra uma vaga na Série A2 de 2013, que deve ser disputada – sabe-se lá como – entre Noroeste (17º da A2 de 2013) e Flamengo de Guarulhos (5º da Série A3). Brecha aberta?

(O blog tentou contato com o presidente Lindemberg Pessoa por cerca de duas semanas para obter mais informações a respeito da negociação, mas não obteve resposta. Ainda assim, deixa o canal aberto para quaisquer esclarecimentos.)

Você pode gostar também
Comentários
Carregando...