Em 2023, a Fifa manda a Copa do Mundo para a Oceania (mais uma vez)

0 109

Austrália e Nova Zelândia receberão a Copa do Mundo feminina de 2023. A decisão foi tomada hoje, em votação na Fifa. Na disputa contra a Colômbia, a candidatura levou a melhor e venceu por 22 votos a 13.

Brasil e Japão já haviam desistido das respectivas candidaturas. Antes, África do Sul, Argentina, Bélgica, Bolívia e Coreia do Sul/Coreia do Norte também ficaram pelo caminho.

Leia também:

Serão 13 estádios na competição, sendo oito na Austrália e cinco na Nova Zelândia. Entre as sedes neozelandesas, serão jogos em Auckland, Wellington,Dunedin, Hamilton e Christchurch. Nas sedes australianas, as partidas serão em Sydney (única cidade com dois estádios, um com inauguração marcada para 2022), Brisbane, Melbourne, Newcastle, Perth, Launceston e Adelaide.

O torneio, entre 10 de julho e 20 de agosto de 2023, será o primeiro com 32 seleções entre os Mundias femininos. O modelo já é adotado na Copa masculina desde 1998.

Mas vale lembrar: não é o primeiro Mundial de seleções promovido pela Fifa em países da Oceania. Embora seja a primeira vez que um torneio intercontinental de seleções principais seja integralmente disputado no continente, outros Mundiais de base já foram realizados nos países do outro lado do mundo. A saber:

  • 1981: Mundial sub-20 masculino (Austrália)
  • 1993: Mundial sub-20 masculino (Austrália)
  • 1999: Mundial sub-17 masculino (Nova Zelândia)
  • 2008: Mundial sub-17 feminino (Nova Zelândia)
  • 2015: Mundial sub-20 masculino (Nova Zelândia)
  • 2016: Mundial sub-20 feminino (Papua Nova Guiné)