Dívida de R$ 50 mi pode obrigar Botafogo-SP a leiloar seu estádio

0 116

O Estádio Santa Cruz, em Ribeirão Preto, é um dos mais tradicionais do estado de São Paulo. Palco das finais do Campeonato Paulista de 1995 (Palmeiras x Corinthians) e 2001 (Corinthians x Botafogo), a arena inaugurada em 1968 se destaca por suas dimensões e por sua história. Porém, tudo isso pode virar pó.

A crise financeira pela qual passa o Botafogo, que tem uma dívida de R$ 50 milhões com um banco privado, pode levar o Estádio Santa Cruz a leilão. O clube tenta evitar, mas a venda da construção é uma possibilidade para sanar o débito, referente ao período compreendido entre 1998 e 2001.

Torcida do Botafogo faz campanha para que prefeitura ceda em negociação judicial que pode salvar Estádio Santa Cruz (Crédito: Divulgação)

A alternativa do clube é uma troca de terrenos com a prefeitura de Ribeirão Preto. O clube cede um terreno na Avenida Costábile Romano, onde fica o estádio, e recebe na permuta um terreno da prefeitura na Avenida Maurílio Biagi, a menos de 2 km de distância.

O Botafogo alega que a manobra é “legal”. “O trâmite não acarretará nenhum tipo de prejuízo ao município e nem a seus cidadãos. Pelo contrário, a troca beneficiará a cidade, que terá de volta a seu patrimônio uma área em zona nobre. A troca permitirá também que as áreas sejam melhor aproveitadas, gerando inclusive ao município maior arrecadação de impostos, como o IPTU. Já o Botafogo conseguirá evitar com que seu estádio, patrimônio histórico e esportivo de Ribeirão Preto e do País não desapareça (sic)”, diz o clube em folheto virtual.

Em resumo, o Botafogo “cederia” o estádio à prefeitura, que poderia explorá-lo para eventos de forma financeiramente rentável – ao clube, caberia a bilheteria dos jogos e outras fontes de renda, por exemplo. Daria certo, mas…

A prefeitura não topou. Em nota divulgada nesta quarta-feira (25), a prefeita Dárcy Vera assegura que a proposta do Botafogo inclui a venda do terreno que seria cedido ao clube. “Isso juridicamente não é permitido”, afirmou Dárcy Vera, em nota no Facebook.

Confira a nota:

“Recebi há pouco o presidente do Botafogo, Gustavo Assed, e uma comissão de vereadores da Câmara de Ribeirão Preto, formada pelo presidente Cícero Gomes, por Maurílio Romano, André Luís Rezende e Genivaldo Gomes. Conversamos sobre a situação do Botafogo, que tem sido muito estudada e analisada pela Administração Municipal.”

“Para que todos entendam, a primeira proposta apresentada pelo clube solicitava a permuta entre áreas – um terreno da equipe por um da Prefeitura. A troca de áreas é possível, desde que tenha como objetivo fins sociais e esportivos. Porém, o objetivo da troca era a comercialização da área de Prefeitura.”

“Isso juridicamente não é permitido. É proibido. Terrenos municipais apenas podem passar por permutas para fins sociais e educacionais. Não era o caso. Por isso, em reunião na manhã de hoje (quarta-feira), conversei com o presidente do Botafogo e os vereadores e pedi para que o clube apresente nova proposta e protocole diretamente em meu gabinete.”

“O Gustavo prometeu fazer isso até sexta-feira. Assim, a equipe jurídica da Prefeitura vai analisar a proposta e encaminhá-la.”

“Sei do importante papel social, histórico e cultural do Botafogo para Ribeirão Preto. Sei da importância do Estádio Santa Cruz para o time e sei o quanto os torcedores são apaixonados pelo clube.”

“Vou analisar a nova proposta do Botafogo com empenho. Espero que dê certo. Como todos sabem, reconheço a importância do esporte na formação de crianças, adolescentes e para uma vida saudável dos adultos. Por isso, vou continuar, como sempre estive, à disposição das equipes de futebol de nossa cidade e pronta para analisar as propostas que aparecerem para que os times continuem a desenvolver o belo trabalho que desenvolvem em Ribeirão, no Estado de São Paulo e no Brasil.”

O Botafogo deve então propor um novo acordo até a sexta-feira. Diante do impasse jurídico, a torcida tenta encontrar brechas que a permuta não apenas saia, mas seja também rentável para o clube – e a opção para tal foi uma das populares petições online.

Se o acordo sairá do papel e ajudará a diminuir a dívida do Botafogo, apenas o novo encontro entre Gustavo Assed e Dárcy Vera nesta sexta-feira poderá dizer. Não é um ultimato, já que ainda é possível encontrar outras soluções para quitar o débito milionário. O acordo, porém, é fundamental para garantir a saúde financeira do vice-campeão paulista de 2001.

Estádio foi palco das finais do Campeonato Paulista de 1995 e 2001 (foto); na segunda, Botafogo perdeu o título para o Corinthians de Marcelinho (Crédito: Allsport UK/ALLSPORT/Getty Images)
Você pode gostar também
Comentários
Carregando...