Dez lendas do futebol inglês

Gheorge Best, uma homem a frente de seu tempo
0 1.866

Ninguém valoriza os ex-jogadores como os ingleses. Os ídolos das equipes se tornam legends, verdadeiras lendas de uma agremiação. São motivos para estátuas, livros, canções e todo tipo de homenagem. Última Divisão destaca aqui alguns atletas que marcaram época no esporte bretão inglês. Homens que permanecem para sempre na história de seus clubes.

Nat Lofthouse, o leão de Viena

1. Nat Lofthouse (Bolton Wanderers)

Um dos maiores artilheiros do futebol britânico nos anos 50. Dedicou toda sua vida ao Bolton Wanderers, clube pelo qual foi faturou a Copa da Inglaterra e a Supercopa Inglesa em 1958. Foram 255 gols em 452 jogos pelos Trotters. Nat Lofthouse (1925-2001) recebeu o apelido de Leão de Viena por ter marcado dois gols na seleção austríaca num amistoso pelo English Team. Após encerrar a carreira, foi técnico e presidente do Bolton.

2. John Trollope (Swindon Town)

Ele nunca foi famoso. Nunca recebeu reconhecimento internacional ou atuou pela seleção de seu país. Mesmo assim, John Trollope (1943-) possui uma marca história. É o jogador que mais vezes atuou por uma mesma equipe inglesa. O zagueiro bigodudo disputou vinte temporadas pelo Swindon Town, um modesto time que frequenta as segundas e terceiras divisões inglesas. Foram 770 partidas na agremiação. Após encerrar a carreira, tornou-se técnico do clube.

3. Jimmy Greaves (Tottenham Hotspur)

Foram 220 gols em 321 jogos. Jimmy Greaves (1940-)  é o maior artilheiro da história do Tottenham Hotspur. Apesar de ter iniciado a carreira no Chelsea, Greaves se consagrou em White Hart Lane. Fez parte do melhor elenco da história do clube londrino que faturou a Recopa Europeia em 1963. Aos 72 anos, o ex-atacante continua ganhando diversas homenagens.

Billy Bremner jogou ao lado de Jack Charlton no Leeds

4.  Billy Bremner (Leeds United)

The Captain of the Crue. O escocês Billy Bremner (1942-1997) é um dos principais nomes dos anos dourados do Leeds United. No início dos anos 70, o técnico Don Revie montou um dos esquadrões mais temidos do futebol inglês. Bremner era seu homem de confiança e eterno capitão do time. Ganhou estátua em Elland Road e diversas músicas da torcida do Leeds. Disputou a Copa de 1974 pela Escócia, tendo jogado no empate em 0 a 0 com o Brasil.

5. Charlie George (Arsenal)

Charlie George (1950-) era daqueles atacantes chatos de serem marcados. Alto, corpulento e habilidoso, foi um dos melhores jogadores a passarem pelos Gunners na década de 70. Foi um dos principais destaques do Arsenal na conquista do campeonato inglês de 1970 e da Copa da Inglaterra no mesmo ano. Jogou em vários outros clubes, tanto ingleses como estrangeiros. Mas é lembrado pelas cinco temporadas que defendeu o Arsenal.

6. Stan Mortensen (Blackpool)

Meia-atacante habilidoso, um dos melhores do país nos anos 1950. Antes de entrar no futebol, Stan Mortensen (1921-1991) lutou na Segunda Guerra Mundial pela Força Aérea Real inglesa. Após o fim do conflito, tornou-se jogador profissional. Continua sendo o único atleta a marcar três gols numa final da Copa da Inglaterra. Isso aconteceu em 1953, quando o Blackpool venceu o Bolton Wanderers por 3 a 2. Uma conquista e tanto para os Tangerines. Mortensen continua sendo um dos maiores nomes da história dos clube ao lado de sir Stanley Matthews. Após sair do Blackpool, ficou rodando por diversos times menores sem o mesmo sucesso.

Osgood foi reserva da seleção inglesa na Copa de 1970

7. Peter Osgood (Chelsea)

Artilheiro talentoso, Peter Osgood (1947-2006) era capaz de marcar gols em momentos decisivos. Para a torcida do Blues, ele era Ossie. Considerado o rei de Stanford Brigde, Osgood atuou durante dez anos consecutivos pela equipe. Um dos seus maiores feitos foi ter marcado o gol do título da Copa da Inglaterra na temporada 1969-70. Metido a galã e com intensa vida noturna, o centroavante teve poucas chances na seleção inglesa.

8. Gordon Banks (Leicester City)

Um dos maiores arqueiros de todos os tempos. Nunca atuou por grandes times. Mas marcou época no Leicester City, uma equipe média do futebol inglês. Foram oito temporadas defendendo os Foxes. No clube, o arqueiro foi um dos líderes da conquista do título da Copa da Liga Inglesa em 1968. Gordon Banks (1937-) foi o goleiro titular do English Team por duas Copas do Mundo, tendo seu melhor momento em 1970 quando defendeu uma cabeçada indefensável de Pelé. Dois anos depois, o arqueiro sofreu um acidente de carro que praticamente o impossibilitou de continuar a carreira. Chegou a jogar nos Estados Unidos pelo Fort Lauderdale Strikers. Mas seus melhores momentos como goleiro foram vividos na Grã-Bretanha.

Moore é idolatrado pela torcida dos Hammers

9. Bobby Moore (West Ham)

Herói nacional da Inglaterra, capitão do país na Copa do Mundo de 1966. Considerado o melhor zagueiro do futebol de todos os tempos, sir Bobby Moore (1941-1993) era um defensor que roubava a bola sem violência. Não dava moleza para os adversários com enorme lealdade. Foram tantos anos e tantos jogos em Upton Park com a camisa dos Hammers que West Ham e Bobby Moore eram quase sinônimos. Faturou a Copa da Inglaterra de 64 e a Recopa Europeia no ano seguinte pelo clube. O respeito dos ingleses por Moore é tanto que seu túmulo continua recebendo semanalmente flores, camisetas, cachecóis e todos os tipos de souvenirs do West Ham.

Gheorge Best: um homem a frente de seu tempo

10. Gheorge Best (Manchester United)

“Metade do que ganhei gastei com mulheres, bebidas e carros. A outra metade eu joguei fora”. Essa frase dita pelo próprio Gheorge Best (1946-2005) sintetiza a vida deste jogador extraordinário dentro e fora dos gramados. O ponta-direita norte-irlandês marcou época na Grã-Bretanha. Dono de uma habilidade fora do comum, Best era do tipo de atleta que jogava sempre com a cabeça erguida. Seus passes e opiniões firmes ficaram eternizadas na história. Foram onze anos e seis títulos no Manchester United, inclusive a Liga dos Campeões na temporada 67-68. Morreu com apenas 59 anos, vítima do alcoolismo. Um ditado inglês sintetiza toda sua trajetória: “Maradona good. Pelé better. Gheorge Best”.

Você pode gostar também
Comentários
Carregando...