Decisões da Série D têm surto de covid-19, jogões e gol do “pai surpresa”

Foto: Ronaldo Oliveira
88

As quartas de final da Série D, que valem 4 vagas na Série C de 2021, começaram a rolar. Os jogos de ida tiveram jogos emocionantes e também muitas curiosidades, como gols bizarros, surto de covid-19, confusão com torcida e até a história de um “pai surpresa”. Confira no resumão.

Floresta 2 x 0 América-RN

O jogo: O Floresta controlou a partida o tempo todo, mesmo quando foi pressionado. Fez o primeiro gol cedo e recuou. Mesmo quando não teve a posse de bola, o time cearense foi superior, pois marcou muito bem, não correu riscos e acertou contra-ataques. 

O América-RN foi um time lento, previsível e sem coragem. Paulinho Kobayashi fez escolhas questionáveis, como deixar Rondinelly no banco até os 15 minutos finais da partida. Agora o técnico precisa mexer bastante no time, principalmente na atitude, pra buscar a recuperação em casa.

Curiosidades: Deysinho tem apenas 1,66m, mas fez gol de cabeça pro Floresta. E não foi a primeira vez que isso aconteceu. O Globo Esporte do Ceará já tinha chamado atenção para o bom posicionamento do meia-atacante, que fez outros 2 gols de cabeça no começo da Série D. E vale destacar ainda o mérito do cruzamento perfeito de Fábio Alves, um dos melhores laterais da competição.

O autor do outro gol do Floresta, Flávio Torres, também viveu uma história curiosa. Pouco antes do jogo começar, ele descobriu que virou pai. A esposa deixou no vestiário uma foto do teste de gravidez e também uma roupa de bebê. Depois ele completou a boa notícia com o gol importante e a vitória. 

Mirassol 2 x 1 Aparecidense

O jogo: Esse foi um dos jogos mais emocionantes. Já era esperado um duelo bem aberto, pois são os 2 melhores ataques da Série D. O que surpreendeu é que a Aparecidense saiu na frente.

O Mirassol reagiu e virou no 2º tempo, inclusive por causa das boas substituições de Eduardo Baptista. Mas o time goiano também teve chances e mostrou ter condições de buscar o acesso no jogo de volta.

Curiosidade: Cada time teve um gol bizarro pra comemorar.

Marcílio Dias 1 x 1 Altos

O jogo: Esse foi outro jogaço na Série D. A postura do Altos é exemplar para qualquer time brasileiro: dentro ou fora de casa, sempre é ofensivo, com marcação avançada, agressiva e com muitos jogadores no ataque. O time mostrou um cansaço evidente, pelo excesso de viagens e jogos. Com um elenco enxuto, disputou uma pré-Copa do Nordeste no meio da semana. Mesmo assim arrancou um empate contra o Marcílio, com gol no final do 2º tempo.

Claro que o Marcílio também merece elogios e até criou chances para vencer o jogo. Então o confronto está aberto. Espero outro jogaço no Piauí.

Curiosidades: Se os times jogaram tão bem no ataque, por que não saíram mais gols? As atuações dos goleiros Belliato e Marcelo explicam tudo. O primeiro é um dos melhores da posição na Série D. O outro também já se destacou e vinha de uma lesão, um pequeno ferimento na perna, mas mostrou estar com ritmo.

Outra curiosidade da partida foi triste. Antes do jogo, houve um conflito entre policiais e torcedores. Aparentemente a intenção era evitar a aglomeração, porque a torcida queria receber os jogadores. Mas isso foi feito com brutalidade. O clube até divulgou uma nota oficial para repudiar o ocorrido. 

Fast Clube 0 x 1 Novorizontino

O jogo: O Fast quase abriu o placar no começo do jogo, com Régis, que foi improvisado como meia do time. Parecia dar certo. Mas o futebol é cruel. Logo depois da chance desperdiçada, saiu o gol do Novorizontino, com uma bela finalização de Guilherme Queiroz.

Com a vantagem, o time paulista recuou. O Fast continuou criando e perdendo chances, mesmo indo com tudo pro ataque. O Novorizontino melhorou no 2º tempo e saiu com uma ótima vantagem. Mas precisa jogar melhor em casa, porque o time do Fast não é moleza.

Curiosidade: O Fast teve 7 desfalques por causa de um surto de covid-19 no time. Cinco jogadores provavelmente seriam titulares. E mesmo com esse time misto, conseguiu dar muito trabalho pro Novorizontino. Foi bonito de ver.

Comentários