Daniel Grando: o carrasco e a redenção heroica que nunca chegou

0 531

No final de 2011, pouca gente se atentou a um atacante contratado para reforçar o Noroeste na disputa da Série A-2 do Campeonato Paulista do ano seguinte. Anos antes, em duelo pela Série A-1, o mesmo atacante – então jogando pelo Corinthians – foi justamente o carrasco da equipe de Bauru, marcando o gol da vitória alvinegra por 2 a 1 no Estádio do Pacaembu e surgindo como revelação da equipe comandada por Emerson Leão. Seu nome: Daniel Grando.

Nascido em Pato Branco (PR) em 28 de novembro de 1985, Daniel Grando cresceu na zona rural de Coronel Vivida (PR), onde deu seus primeiros chutes na bola. Depois de disputar os Jogos Abertos do Paraná por outra cidade, Itapejara d’Oeste, chamou a atenção de olheiros e acertou com o União São João, de Araras. Dali, foi para as categorias de base do Corinthians no final de 2002.

A estreia como profissional alvinegro se deu apenas no Campeonato Brasileiro de 2006, aos 20 anos. Porém, seu grande momento aconteceu mesmo no Campeonato Paulista de 2007, em duelo em São Paulo contra o Noroeste no dia 18 de março. Naquele confronto, pela 14ª rodada da primeira fase, o camisa 28 saiu do banco de reservas vaiado para ter grande atuação, coroada com o gol de cabeça em cobrança de falta aos 48 minutos do segundo tempo – justamente o gol que deu a vitória ao Corinthians por 2 a 1.

Guindado ao papel de “talismã” do time, Grando ganhou os holofotes e passou a dar entrevistas – chegou a ser chamado de “o mais novo ídolo do Corinthians”. Nas rodadas finais da primeira fase do Campeonato Paulista, voltou a sair do banco de reservas em busca de novos gols. Não conseguiu, e o Corinthians de Emerson Leão ainda ficou de fora das semifinais – acabou a primeira fase em nono lugar, enquanto os quatro primeiros avançaram. O Noroeste foi sétimo.

“Rebaixado” para o Corinthians B no segundo semestre, e sem contar com o apoio de um empresário, Daniel Grando começou então a rodar por diversos clubes do país. Emprestado, atuou por CSA-AL (2008), Oeste-SP (2009) e Francana (2009); com o fim de seu contrato com o Corinthians, que ia justamente até o fim de 2009, passou a negociar livremente seus direitos, e atuou por CRAC-GO (2010) e Francana-SP (2010), Mamoré-MG (2011) e Primavera-SP (2011, lembra?).

Em dezembro de 2011, Daniel Grando acertou com o Noroeste para a disputa da Série A-2 do ano seguinte. Apesar de chegar com alguma badalação, passou a primeira fase da competição sem balançar as redes. Classificado no sétimo lugar da primeira fase, o time de Bauru entrou na briga pelo acesso – mas nem o “mais novo ídolo do Corinthians” evitou que o time ficasse no último lugar de seu grupo na segunda fase e perdesse a chance de subir.

Desde então, não há registros de Daniel Grando em campo. E a redenção em sua primeira “vítima” ficou pelo caminho.

Fotos e informações: RSSSF, GloboEsporte.com (via VibeFlog), Folha On Line, ZeroZero.pt, Futebol Interior, Blog do Gomes, AG Esporte, Wikipedia, Mamoré (site oficial), Noroeste (site oficial) e Federação Paulista de Futebol (site oficial).

Você pode gostar também
Comentários
Carregando...