Conheça 10 destaques da Série D (e que podem estar no seu time)

0 134

A Série D do Campeonato Brasileiro terminou neste domingo com o título do Botafogo-PB, o primeiro título nacional de um clube paraibano. Derrotado pelo Juventude em Porto Alegre (2 a 1), o Belo fez 2 a 0 na volta em João Pessoa e garantiu a taça. A Série C de 2014, como se sabe, já estava garantida aos dois (bem como a Salgueiro e Tupi) desde a passagem pelas quartas de final.

Apesar do título paraibano, foram muitos os times em ação na Série D (40, para ser exato) e muitos os destaques da competição. Mesmo entre os times que não subiram, ou que nem sequer brilharam, foi possível apontar jogadores que valeram mais atenção.

Para dar um pequeno balanço do que foi a quarta divisão nacional em 2013, este blog apontou dez jogadores que se destacaram no torneio. Entre novatos e veteranos, defensores e atacantes, foram dez atletas que poderiam reforçar equipes de divisões superiores – como aconteceu com vários deles, por sinal. Você concorda com a lista?

Campeão, Botafogo-PB teve goleiro Remerson e meia Lenílson como destaques da campanha (Crédito: Site oficial)

Confira a lista:

G. Fábio Lima (Tiradentes-CE):
O Tiradentes foi eliminado nas quartas de final da competição, mas com uma média digna de time campeão: 6 gols sofridos em 12 jogos (0,5 gol/partida). O homem forte da equipe na posição era Fábio Lima, 29 anos, que foi emprestado pelo Fortaleza e que já voltou ao Pici após a disputa da quarta divisão nacional.

G. Remerson (Botafogo-PB):
Jovem (24), Remerson chegou ao Botafogo no começo de 2013, após passagens discretas por clubes paulista. Campeão paraibano em 2013, titular absoluto, comandou a defesa que levou 15 gols em 16 jogos até garantir o título da Série D diante do Juventude (derrota por 2 a 1 em Porto Alegre e vitória por 2 a 0 em João Pessoa). Mesmo sendo um dos destaques do elenco, ainda precisa de uma zaga forte à sua frente para evitar problemas.

Egon Henrique: destaque do modesto Ypiranga, foi para o Avaí jogar a Série B (Crédito: Site oficial)

Z. Egon Henrique (Ypiranga-PE):
O Ypiranga nem sequer passou pela primeira fase da Série D, caindo com o quarto lugar do Grupo A3. Com quatro derrotas em oito jogos e 11 gols sofridos, alguém poderia se destacar na defesa da equipe pernambucana? Sim, o zagueiro Egon Henrique, 24 anos. Titular do time comandado por Eric Gaúcho, o defensor se destacou pela técnica e pela tranquilidade. Chegou a ser especulado pelo Palmeiras, mas acabou fechando com o Avaí.

Z. Dirceu (Londrina):
O Londrina foi eliminado pelo Juventude nas oitavas de final, mas Dirceu deixou uma imagem positiva na zaga do clube paranaense. Volante de formação, o defensor ajudou a construir um setor sólido, que levou nove gols em oito jogos na primeira fase. Com um currículo extenso, acabou retornando ao irregular Coritiba para a sequência do Campeonato Brasileiro, sendo emprestado para o América-MG na disputa da Série B.

V. Leandro Melo (Metropolitano):
Volante de características combativas, Leandro Melo trocou o Metropolitano pelo Juventude após o confronto entre as duas equipes pelas quartas de final – o jogador tinha um pré-contrato assinado para se transferir no fim do ano, mas foi liberado antes pelos catarinenses. No currículo, o experiente meio-campista (27 anos) tem passagens também por Próspera-SC, Oeste de Itápolis, Camboriú-SC, São Bento de Sorocaba, Brasil de Farroupilha, Marcílio Dias e Guarani de Palhoça. Mesmo transferido, o jogador não atuou na reta final da Série D.

Germano: aos 32, ganhou espaço no Coritiba após boa temporada no Londrina (Crédito: Site oficial)

V. Germano (Londrina):
Sim, é aquele Germano, ex-Santos e Sport. Mesmo já tendo passado o auge da carreira, o meio-campista de 32 anos encontrou um porto seguro no Estádio do Café, sendo um dos principais nomes do Londrina no Campeonato Paranaense e na Série D de 2013. Após sua segunda passagem pelo time alviceleste, despertou o interesse do Coritiba, que o contratou por empréstimo para a reta final do Campeonato Brasileiro.

M. Lenílson (Botafogo-PB):
Com passagens marcantes por Atlético-MG e São Paulo, entre outros clubes, o meia mostrou faro de gol. Aos 32 anos e com lenha para queimar, desbancou os companheiros da equipe paraibana e se isolou na artilharia do elenco, marcando cinco gols – números melhores que os dos experientes atacantes Fausto (ex-Linense e Goiás, quatro gols) e Warley (ex-São Paulo, Palmeiras e Udinese, dois gols).

M. Ribinha (Tiradentes-CE):
O meia foi o artilheiro da equipe no Campeonato Cearense, marca 12 gols. Na Série D, não repetiu o bom desempenho e balançou as redes apenas três vezes. A performance, no entanto, foi mais do que suficiente para valer a ele o “acesso” à Série C: antes mesmo do fim da primeira fase da terceira divisão nacional, Ribinha já estava no Sampaio Corrêa.

Zulu, o Henry da Roça, confirmou a fama de artilheiro no Juventude (Crédito: Site oficial)

AT. Ademílson (Tupi-MG):
Não é de hoje que o veterano Ademílson é destaque do Tupi. Revelado no futebol capixaba, passou por Botafogo (2002) e Fluminense (2003), além de ter atuado no México e na Bélgica. Com duas passagens pelo time de Juiz de Fora (2007 a 2010 e desde 2011), o atacante foi o artilheiro da Série D de 2013, marcando 12 gols. No entanto, ficará marcado em 2013 pelo gol que não fez – no caso, no polêmico jogo contra a Aparecidense pelas quartas de final, em chute seu que foi defendido pelo massagista Romildo Fonseca da Silva.

AT. Zulu (Juventude-RS):
É aquele mesmo, que já passou por Grêmio, Criciúma, Atlético-PR, ABC e um sem-número de clubes. Zulu já foi chamado de “Henry da roça”, e mesmo sem a técnica do ex-jogador do Arsenal (atualmente no New York Red Bulls), o atacante gaúcho mostra que tem faro de gol: no caminho para o acesso do Juventude para a Série C, Zulu balançou as redes oito vezes.

E aí? Faltou alguém na relação?

Você pode gostar também
Comentários
Carregando...