Como um time amador se prepara para a temporada?: Novidades no banco e velhos ídolos em novas funções

0 76

Este texto faz parte da série Como um time amador se prepara para a temporada?, que aborda o planejamento do Urano para os campeonatos no Paraná. Para ler as outras reportagens da série, CLIQUE AQUI.

Na temporada 2015, o Urano terá uma novidade no comando técnico, este parte fundamental na montagem da equipe. É Serginho Jordão, antigo auxiliar, que assume o lugar antes ocupado por Jorge Martinez. O novo comandante é bastante jovem, tem apenas 36 anos, e é a aposta do clube numa renovação de seu jogo.

“Participei como treinador de amadores fora da liga. Pela Varzeana, estive no Olympique e no comando da Seleção da New Holland no Sesiano [campeonato entre indústrias]. Fomos para final do Estadual”, apresentou-se o novo treinador, que está estudando para seguir na carreira cursando Educação Física e fazendo diversos cursos relacionados.

Na comissão técnica, Serginho Jordão terá a companhia de dois ídolos do Urano, pertencentes á geração das glórias, que acabaram de pendurar as chuteiras: o ex-atacante Laurinho e o ex-lateral direito Salário. “O Laurinho é meu auxiliar direto e o Salário ajudará como diretor. Eles têm as cores do Urano e estão nos ajudando muito”, afirmou Jordão.

IMG_1181.JPG

Vitrine azul

Nos últimos anos, o Urano foi uma vitrine importante para técnicos chegarem ou retornarem ao profissionalismo. Na sequência de títulos, o comandante era Ary Marques, que então havia sido demitido das categorias de base do Paraná Clube. “Quando o Ary veio, era uma pessoa que ninguém mais ouvia falar. Como é amigo nosso, convidamos e ele aceitou trabalhar com amador, coisa que nunca tinha feito. Teve sucesso e alavancou a carreira, com vários times querendo”, contou o hoje presidente do Urano, Antônio Gonzaga. Após a passagem pelo Azulão, Marques foi campeão no Mato Grosso e recentemente treinou o J. Malucelli no Campeonato Paranaense.

O sucessor dele, após a ida para o Mato Grosso, foi Luciano Simm, que estava naquele momento pendurando as chuteiras como zagueiro do clube. Após o Urano, Simm foi trabalhar como observador técnico do Paraná. “Ele estava jogando aqui por seis anos e disse que ia parar. Eu o convidei e ele aceitou. Foi um bom trabalho e hoje trabalha com equipes de base. Fico feliz por ser mais um que o Urano lançou”, disse Gonzaga.

O sucesso de alguns de antecessores acaba sendo um incentivo para o novato Serginho Jordão. “O futebol amador é um caminho para treinadores e também atletas ingressarem no profissionalismo. É o caso de vários que passaram por aqui, como o Ary, o Luciano e também o Pequi, que jogou pelo Novo Mundo ano passado e esteve no Foz no Paranaense. A gente se inspira”, concluiu o técnico.

Clique AQUI (link disponível no sábado, 14) para ler a parte 4 (final) desta história. Para voltar a parte 1, clique AQUI.

Você pode gostar também
Comentários
Carregando...