Clubes invictos, partidas canceladas e muitas surpresas: Um resumo da primeira fase da segunda divisão do Paraense 2020

369

Chegou ao fim nesta quinta-feira a primeira fase da 35ª edição da Segunda divisão do campeonato paraense, a Segundinha.

No início, eram 20 clubes buscando 2 vagas para a elite do estadual, agora, após 5 rodadas e 37 partidas (seriam 40, três foram canceladas), somente 8 clubes seguem vivos em busca do acesso.

Publicidade

Veja agora um resumo da primeira fase:

Segundinha Segunda Fase 2 0

  • FAVORITOS CLASSIFICADOS SEM SUSTO

São Francisco, São Raimundo e Tuna Luso se classificaram invictos em seus grupos. A dupla de Santarém segue firme rumo à elite do Parazão, de onde foram rebaixadas em 2019.  O São Francisco, melhor equipe da primeira fase, venceu todos os seus 4 jogos no grupo A3, marcou dez gols e não sofreu nenhum. Já o seu rival, o São Raimundo, que estava no grupo A4, venceu três partidas e empatou uma, marcou sete gols e sofreu dois. Já a Águia Guerreira do Souza, que em 2019 não venceu nenhum jogo na segundinha, nessa edição venceu três e empatou um, marcou seis gols e sofreu dois. Liderada pelo experiente atacante Paulo Rangel, a Tuna busca o acesso à elite do estadual, que não disputa desde 2015.

  • ESTREIA COM PÉ DIREITO I

A estreia do Caeté na competição foi a melhor possível. O clube, fundado em 2019, estreou neste ano na segundinha e não fez feio. Ficou em segundo lugar no grupo A2, atrás somente da favorita Tuna Luso. A equipe de Bragança venceu três partidas e perdeu somente uma (justamente para a Tuna).  O “Guerreiro Caeteuara” marcou sete gols e sofreu apenas três. A equipe tenta repetir o feito realizado pelo então desconhecido Itupiranga, que estreou na segundinha em 2019 e conseguiu o acesso e o título. Caso consiga realizar tal feito, será o segundo representante de Bragança na elite do estadual, algo inédito para a cidade do nordeste paraense.

  • ESTREIA COM PÉ DIREITO II

Outro novato que estreou nessa edição e conseguiu a classificação foi o Sport Real. O clube, fundado em 2020, ficou na segunda posição do grupo A3, com 7 pontos conquistados através de duas vitórias, um empate e uma derrota (para o líder São Francisco). Marcou sete gols e sofreu quatro. Em menos de um ano de vida, já entrou na busca do acesso à primeira divisão estadual.

  • EQUILÍBRIO TOTAL

Na última rodada do grupo A1, havia apenas uma partida e pouca coisa definida. Com 7 pontos e já classificado, porém sem saber a posição final, o Gavião Kyikatejê folgou na rodada e esperou o duelo local entre Parauapebas x Atlético Paraense para a definição da outra vaga. O Parauapebas venceu por 2 x 0, alcançou os rivais em pontos, mas não foi o suficiente (precisava pelo menos de três gols). A vaga ficou mesmo com Atlético Paraense e Gavião. Os três clubes terminaram a primeira fase com 7 pontos conquistados através de duas vitórias, um empate e uma derrota.

  • A DISPUTA “ENTRE GERAÇÕES” DA CAPITAL

Com o jogo entre Santa Rosa x Tiradentes cancelado e o São Raimundo já classificado (e folgando na rodada), houve apenas uma partida pela 5ª rodada no grupo A4. A disputa “entre gerações” foi entre o novato Fonte Nova (fundado em 2020) e o tradicional Sport Belém (de 53 anos de história). O jogo foi disputado na Ilha de Outeiro e quem ganhasse, ficava com a segunda vaga. Quem se deu melhor foi o Fonte nova, que ganhou por 2 a 0 e se classificou para a próxima fase invicto, com duas vitórias, dois empates e três gols de saldo.

  • CUMPRIR TABELA? NÃO QUERO

Sabe aquele cenário onde os dois clubes entram em campo já sem chance de classificação, somente para cumprir tabela? Então, era o que iria acontecer em Izabelense x Cametá, União Paraense x Pedreira, Tiradentes x Santa Rosa, partidas válidas pela 5º rodada dos grupos A1, A2 e A4 respectivamente. As seis equipes pouco pontuaram nos três primeiros jogos (União e Pedreira tiveram três derrotas) e já eliminados, tomaram a decisão de cancelar as partidas para evitar prejuízos e despesas na última rodada.

  • FAZEM FALTA

Enquanto os clubes novos estão tendo uma ascensão meteórica, alguns clubes tradicionais do futebol paraense estão em um período de decadência que parece não ter fim. Com a exceção do Parauapebas e Sport Belém, que chegaram a última rodada ainda com chances de classificação, outros clubes como Izabelense, Vênus e Cametá com campanhas pífias, vão ter que esperar mais algum tempo para voltar à elite.

  • E AGORA COMO QUE FICA?

As quartas de final foram definidas por sorteio na sede da FPF. Os jogos do mata-mata serão de ida e volta, com as equipes de melhor campanha em seus grupos decidindo em casa. Lembrando que somente os finalistas estarão na elite do futebol paraense em 2021. As partidas serão disputadas em 2, 6 e 7 de dezembro. Eis os confrontos (as equipes da esquerda fazem o segundo jogo em casa):

Screenshot 1

Após isso, os confrontos da semifinal serão definidos em sorteio, com jogos de ida e volta. Os finalistas obtêm acesso a primeira divisão em 2021. A final será em partida única.

Comentários