Cheguei aos 29 anos no futebol. O que fazer após deixar os gramados?

Mário Luiz Miranda (Divulgação)
0 132

No Última Divisão, via de regra, nós não gostamos de releases – aqueles comunicados que as assessorias de imprensa distribuem com informações de atletas ou treinadores que as contratam. Quase sempre, o conteúdo do texto se resume a um festival de convoca torcida ou prega cautela, carregando consigo pouca informação. Por isso, quando chega algo diferente aos nossos e-mails, vale a pena ser compartilhado com quem nos lê.

Leia mais:
>> Querida, publiquei um release! (ou “Como o Red Bull Brasil quer dominar o país”)

Nesta terça-feira (17), a assessoria de imprensa do Sport Clube Atibaia divulgou informações a respeito do volante Thierry. Não sobre seu desempenho na Série A3 do Campeonato Paulista, mas fora dele – aos 29 anos, Thierry está se formando em educação física.

foto_1425889261“Quando voltei da Suíça e assinei com o Atibaia em 2012, comecei meu projeto de ter um diploma superior em Educação Física e entrei na UNIP. Como na época estávamos jogando a Segunda Divisão, as partidas eram apenas aos finais de semana, e isso ajudava. Eu ia e voltava todos os dias e sigo firme até hoje nessa rotina. Tudo para conseguir realizar esse sonho”, disse o atleta.

Ao longo dos quatro anos de curso, Thierry conquistou nos gramados o acesso da Segunda Divisão (2014). Em 2015, justamente no último semestre do curso, precisou começar a atuar também no meio da semana, já que os jogos da quarta divisão paulista são apenas nos finais de semana. A mudança, porém, não alterou a programação do meio-campista.

“Em um mundo totalmente diferente (pós-carreira), sem planejamento, sem nada, é justamente onde muitas vezes o jogador se perde. Hoje já sou professor, posso dar aula, ser um preparador físico e em breve estarei formado. É um esforço grande, mas que valerá para o resto da vida”, afirmou Thierry, que conta com o apoio do clube – afinal, se não contasse, não haveria release oficial para divulgar a história.

“Não é para qualquer um ter pique para acabar os treinos e viajar todos os dias para São Paulo para estudar. Nesse aspecto só temos que elogiar o esforço do Thierry, pois além de exemplo para os demais ele também sabe que colherá em breve os frutos dessa dedicação”, disse o vice-presidente do Atibaia, Leonardo Silvério. Curiosamente, o dirigente também tem 29 anos.

ImageProxymiranda
Mario Luiz Miranda (Divulgação)

Nos últimos quatro anos, Thierry encarou diariamente os 67 km que separam Atibaia e São Paulo para realizar o curso e, segundo ele, livrar-se da “imagem negativa dos jogadores de futebol quando o assunto é intelecto”. O coordenador pedagógico auxiliar do curso de Educação Física da UNIP (Campus Norte), Mário Luiz Miranda, elogia a dedicação do quase ex-aluno.

“O aluno Thierry Zamblauskas compreendeu que o processo acadêmico é bastante dinâmico e exige dedicação e estruturação para acompanhar as demandas do curso. O atleta necessita assumir um compromisso paralelo a sua vida profissional, e adequar espaço e tempo para ir ao encontro às solicitações de cada disciplina”, disse Miranda, que foi além.

“O esporte é excelente ferramenta de preparação social, pois exige parâmetros essenciais para sua performance, como: pontualidade, compromisso, dedicação e envolvimento. Nesse aspecto, o aluno/atleta Thierry é exemplo para a turma, pois demonstra esses quesitos correspondentes à vida universitária”, completou.

No Última Divisão, nós damos os parabéns a Thierry, e desejamos a ele sucesso na carreira como professor. E abrimos as portas para os releases com informações legais como estas que porventura cheguem até nós.

Você pode gostar também
Comentários
Carregando...