Cerveja, Lobatón, Aguinaga, Chaves: tudo isso esteve na Pré-Libertadores

0 108

A hegemonia brasileira na Copa Libertadores, consolidada nos últimos anos, gerou uma certa arrogância por parte dos fãs de futebol. Muitos acreditam que só importam os times brasileiros e, no máximo, os argentinos. Essa falta de interesse faz com que poucas informações sobre times peruanos e equatorianos, por exemplo, cheguem até nós.

Mas como Atlético-PR e Botafogo vão duelar contra Sporting Cristal-PER e Deportivo Quito-EQU pela pré-Libertadores de 2014, o Última Divisão fez questão de afastar qualquer arrogância para lançar olhar sobre a história e a atualidade dos dois times. Confira abaixo algumas curiosidades e fatos sobre dos dois times:

:: SPORTING CRISTAL

Experimenta!
Experimenta!

Cristal é uma equipe cervejeira…

O Atlético-PR não pode comemorar por enfrentar um time de bêbados. Mas é verdade que um dos apelidos do Sporting é “Los Cervezeros”. Explico: o time foi criado com funcionários da cervejaria Backus y Johnston, na década de 50. E é bom deixar claro: a cerveja Crystal do Brasil não tem nada a ver com a Cristal do Peru. Só é semelhante na (baixa) qualidade, como avalia o site Brejas.com.br.

…que já teve Didi como treinador-jogador…

A passagem de um dos melhores jogadores brasileiros da história não foi no final de carreira, como seria de se esperar. Pouco depois de participar do bimundial da Seleção Brasileira, ele foi para o Peru porque pretendia ser treinador-jogador, algo que o Sporting Cristal permitiu.

Depois de se aposentar, ele ainda voltou para ser apenas treinador. Foi bem e por assumiu a seleção peruana, com mais um sucesso na carreira – conseguiu um 7º lugar, a melhor posição da equipe na história.

…guarda uma semelhança triste com o Atlético-PR…

Todos sabem que o Atlético-PR foi vice-campeão da Libertadores de 2005. Mas o que poucos lembram é que o Sporting Cristal também já foi tão longe quanto os brasileiros, pois alcançou a final da competição em 1997. E assim como o Atlético-PR perdeu para o São Paulo, o algoz dos peruanos foi um time brasileiro, o Cruzeiro.

…tem um Lobatón na equipe…

O Sporting Cristal tem um Lobatón, mas não é AQUELE que jogou no Atlético-PR no ano 2000. Aquele se chama Abel, já se aposentou e hoje tem uma empresa de eventos que traz bandas estrangeiras de salsa do tipo “timba love” para cantar em casas de show em Lima. Já seu irmão mais novo, Carlos, ainda joga como meia do Sporting Cristal e, aos 33 anos, é um dos veteranos do elenco peruano.

PS – Na época de Atlético, Lobatón era recebido pela torcida com o seguinte cântico: “Ô mister Loba, Loba, uh…”, inspirado na música Boombastic, do Shaggy. Genial, não?

Julinho é o primeiro da direita para a esquerda. Mas o importante é a bizarrice da foto, tirada após o título nacional de 1994
Julinho é o primeiro da direita para a esquerda. Mas o importante é a bizarrice da foto, tirada após o título nacional de 1994

…e um ídolo brasileiro em sua história.

Nascido na Bahia, Julinho se naturalizou peruano após virar ídolo no Sporting Cristal. Ele se aposentou e, no começo deste ano, foi homenageado com um jogo amistoso. Porém, o Emelec-EQU estragou a festa do brasileiro e venceu o jogo por 2 a 1.

:: DEPORTIVO QUITO

O time equatoriano é bastante argentino
O time equatoriano é bastante argentino

Deportivo é um time com a Argentina no DNA…

Fundado inicialmente com o nome de “Sociedad Deportiva Argentina”, o Deportivo Quito carregou na história a ligação com o país. Muitos ídolos do time são argentinos e já foram lançadas camisas comemorativas semelhantes à seleção do país.

…que lançou o eterno ídolo equatoriano Álex Aguinaga…

Ao pensar na seleção do Equador, é quase impossível não lembrar de Álex Aguinaga. Com uma carreira longa, ele sempre esteve entre os principais destaques do país. E aprendeu tudo no Deportivo Quito, time que o revelou em 1984. Mas o Botafogo pode ficar tranquilo, pois ele finalmente se aposentou em 2005, pela LDU, principal rival do Deportivo Quito, o que gerou a ira dos torcedores.

…contou com jogador que comemorou um gol à la Chaves…

Um jogador do Deportivo Quito fez uma das melhores comemorações de gol da história: o argentino Matías Alustiza já tinha usado um gorro do personagem Chaves após balançar as redes (como na foto principal deste texto). Mas ele foi mais longe: em jogo contra a Universidad do Chile, Matías simulou o “piripaque” do Chaves. Um companheiro de time ainda simulou jogar água nele logo depois, para que a festa continuasse. Matías Alustiza agora é conhecido como “El Chavo”e está no Puebla, do México, mais próximo ainda do Chaves. Veja a comemoração a partir dos 4min40s:

…viu suas estrelas Carini e Nieto saírem por falta de pagamento…

Em um passado distante, Fabián Carini (ex-Atlético-MG) já foi apontado como um dos melhores goleiros do mundo. Foi uma promessa frustrada, mas pelo menos conseguiu ser, ao lado do atacante Federico Nieto (ex-Atlético-PR), uma peça importante para o Deportivo Quito em 2013, quando o time ficou em terceiro lugar no Equatorianão. Por falta de pagamento, os dois deixaram o Deportivo desfigurado para enfrentar o Botafogo, diminuindo as chances de seguir na Libertadores.

…e mesmo com dívidas e greve, fez história.

Em 2013, o Deportivo Quito viveu situações opostas dentro e fora de campo. Em uma continuação da sua grave crise dos últimos anos, o time acumulou quase dez meses de atraso no pagamento e teve que lidar com uma greve de jogadores. Porém, durante esse mesmo período, os atletas jogaram despreocupados, sem fazer concentrações e com pouca pressão. A estratégia forçada deu certo e resultou na classificação da equipe para a Libertadores de 2014.

Você pode gostar também
Comentários
Carregando...