Cansado de vencer com o Barcelona? Existe um outro jeito de jogar Football Manager

Football Manager 2014
0 753

Quem jogou Elifoot 2 deve se lembrar de como era terrivelmente difícil sair da 4ª divisão e conseguir um espaço entre os grandes clubes do jogo, com seus orçamentos nababescos e jogadores sarrafeiros nível 50. O sucesso na carreira só vinha após muitas derrotas, fracassos nas jornadas e chicotadas psicológicas.

O Football Manager, ao permitir que o jogador escolha qualquer time para treinar, perdeu um pouco desse fator desafio. Por isso, uma galera fanática por simuladores inventou o conceito de Lower League Manager (LLM), uma série de regras para tornar o FM o mais realístico possível.

Em linhas gerais, o que o LLM sugere é começar o jogo com um time da última divisão ou até mesmo desempregado, e não usar trapaças ou atalhos para vencer. E nesse último caso, isso implica em diversos aspectos:

  • Usar táticas e esquemas de treinamento que não foram criadas do zero por você;
  • Pegar dicas de jogadores para comprar que não sejam com os dados disponíveis no jogo (ou seja, olheiros);
  • Uso de editores para mostrar informações que o jogo normalmente não fornece;
  • Sair do jogo sem salvar;
  • Se aproveitar de bugs ou falhas óbvias para se dar bem.

A regra mais controversa do LLM é a que versa sobre a utilização da busca por jogadores. Há um grande debate se isso se configura como trapaça ou algo fora da realidade dos técnicos. Por isso, a recomendação é que se adquira jogadores nos seguintes casos:

  • Por meio de olheiros;
  • Mídia interna do jogo (jogadores do mês, destaques, artilheiros do campeonato, etc.)
  • Quando um jogador de um time adversário se destacar em uma partida, você pode pedir para o olheiro sondá-lo;
  • Recomendações de seus jogadores ou da comissão técnica;
  • E, em casos de extrema necessidade, usar o modo busca apenas para encontrar jogadores listados para transferência ou empréstimo.

Só que, como os próprios divulgadores do LLM preconizam, as regras não são estritas e elas não podem jamais prejudicar o fator diversão. O LLM tem mais a ver com conceito do que com algum tipo de desafio ou com qualquer ideia de “jeito certo de jogar”.

Por isso, a ideia não é deixar o jogo difícil ao ponto da decepção. Seria como jogar um simulador de corrida só com a imagem em 1ª pessoa do piloto, sem um monte de informações flutuando na tela. É uma forma extrema de se encarar o jogo, mas não necessariamente divertida.

Para mais informações, visite o site lowerleaguemanager.com (em inglês).

Você pode gostar também
Comentários
Carregando...