Botafogo-SP: 17 anos depois do topo, o primeiro passo para deixar o porão

0 207

Em 13 de dezembro de 1998, Botafogo-SP e Gama disputaram jogos simultâneos que serviram para coroar o acesso de ambos à Série A do Campeonato Brasileiro de 1999. Você se lembra disso? Pois esqueça: passados 17 anos, os dois times mediram forças no porão do futebol, para que um deles – e apenas um deles – pudesse continuar sonhando com o acesso à Série D do Brasileirão.

No jogo deste domingo, o Botafogo-SP recebeu o Gama no Estádio Santa Cruz, em Ribeirão Preto, pela décima rodada do Grupo A6 da quarta divisão nacional. Bem distante do cenário de festa do fim da década de 90, o que os torcedores das duas equipes acompanhavam era a disputa pela sobrevida na última das divisões do Campeonato Brasileiro. A vitória classificaria qualquer um dos lados.

Antes da rodada, o CRAC (GO) liderava a chave, com 15 pontos em nove jogos. Botafogo e Gama vinham logo atrás, com 12 pontos cada um, embora o time paulista levasse vantagem no saldo de gols (6 a 3). Os candangos foram a Ribeirão Preto precisando da vitória, por qualquer que fosse o placar – no primeiro confronto entre as duas equipes, pela primeira rodada, um insosso 0 a 0 no DF, frente a 3115 torcedores.

grampola_gama0x0botafogo-sp_seried_120715Por isso, a semana que antecedeu ao duelo de 13 de setembro ganhou novos ares dos dois lados. “Não tem nada perdido. Já mostramos que podemos vencer fora de casa e é isso que a equipe vai fazer”, afirmou o veterano Baiano (aquele mesmo), meio-campista e capitão do Gama, em declarações ao site Esporte Candango após o empate por 0 a 0 (foto) com o CRAC na nona rodada.

“O jogo começa 0 a 0 e esse resultado já nos dá a classificação. Temos a vantagem, mas, em casa, temos que vencer. Só não podemos descuidar, pois temos o regulamento conosco e precisamos ser inteligentes para usar essa vantagem”, afirmou o goleiro Neneca, do Botafogo-SP, ao jornal A Cidade.

Mas quando chegou o domingo, a previsão de Neneca levou a melhor sobre a perspectiva de Baiano. Em campo, os dois times fizeram um jogo bastante disputado, com bastante pressão do Gama. No segundo tempo, as duas equipes perderam um jogador cada – Francis, do Botafogo-SP, e Dudu, do Gama, foram expulsos. No fim, um empate por 0 a 0 que eliminou a equipe candanga e classificou os donos da casa.

“Sabíamos que ia ser difícil. O grupo deu o seu melhor e está de parabéns pela conquista da vaga. Agora é focar na próxima fase e se preparar bem. Quero também agradecer ao apoio da torcida que sempre esteve presente e hoje demostrou, mais uma vez, o carinho pelo time”, disse o técnico Marcelo Veiga após o confronto.

Pixuleco (Crédito: A Cidade)

Mas não foi apenas em campo que o confronto ganhou destaque. Fora dele, com venda de cerveja liberada pela prefeitura, 17.759 botafoguenses foram ao Estádio Santa Cruz apoiar o time de Ribeirão Preto. As arquibancadas reuniram desde familiares dos jogadores até o Pixuleco – sim, o boneco inflável do ex-presidente Lula também esteve presente. Tudo em um jogo que marcou o reencontro de dois times que comemoravam juntos o acesso à Série A do Brasileirão em 1998.

Domingo, 13 de dezembro de 1998

Em 1998, Botafogo-SP e Gama integravam o quadrangular final da Série B do Campeonato Brasileiro ao lado de Desportiva (ES) e Londrina (PR). Naquela fase, a última das três do torneio, a disputa por duas vagas na elite brasileira demonstrava bastante paridade: em três rodadas (de seis), capixabas e candangos somavam cinco pontos cada, contra quatro dos paulistas e um dos paranaenses.

Botafogo-SP 1x2 Gama - Série B 1998Na terceira rodada do quadrangular, assim como em 13 de setembro de 2015, o Gama foi a Ribeirão Preto. Naquela vez, venceu por 2 a 1. Por isso, quando Gama e Botafogo-SP mediram forças no DF pela quarta rodada, os dois times precisavam de pontos para não se complicarem na busca pela primeira divisão.

Ao todo, 17.443 torcedores foram ao Estádio Bezerrão para acompanhar a partida. No fim, o placar de 1 a 1 – Rodrigo fez para os donos da casa, e Júnior marcou o dos visitantes – foi comemorado. No dia seguinte, no Estádio do Café, o Londrina venceu a Desportiva por 2 a 1 e chegou a quatro pontos, embolando a briga pelo acesso.

Na quinta rodada, dois empates: Desportiva 2 x 2 Gama, Londrina 0 x 0 Botafogo. Assim, a definição dos dois times promovidos ficou para a última das seis rodadas da chave. O Gama acabou campeão ao vencer o Londrina (3 a 0, frente a 50 mil torcedores no Estádio Mané Garrincha), enquanto o Botafogo-SP foi vice e também subiu por derrotar a Desportiva (5 a 1).

Os anos que se seguiram, porém, foram de golpes duros para os dois times. Rebaixado no STJD em 1999, o Gama entrou na Justiça comum para reverter a decisão – que inicialmente salvaria da queda o Botafogo. Por conta do imbróglio, a CBF foi obrigada a realizar a Copa João Havelange em 2000. O formato foi abandonado no ano seguinte, e Gama acabou rebaixado em 2002. Acabou oscilando entre a segunda e a terceira divisões nos anos seguintes, até cair definitivamente da Série C em 2010. Antes de 2015, sua única participação na Série D foi em 2011, com um modesto 29º lugar.

O Botafogo-SP, por sua vez, também se viu ladeira abaixo depois daquele acesso. Caiu da Série A em 2001 (no ano em que foi vice-campeão paulista), da Série B em 2002 e da Série C em 2003. Na Série D, esteve em 2010 e 2013, mas sempre com um papel discreto – na melhor participação, em 2013, ficou com a 27ª colocação.

Para este ano, porém, os dois times vieram mais credenciados. O Gama conquistou o Campeonato Brasiliense, título que não vinha desde 2003, e fez uma pré-temporada no México para participar da quarta divisão. O Botafogo-SP, por sua vez, foi vice-campeão da Copa São Paulo de futebol júnior e caiu nas quartas de final do Campeonato Paulista, em duelo equilibrado vencido pelo Palmeiras por 1 a 0.

A preparação, no entanto, não foi suficiente para que o Gama voltasse à Série C. O sonho permanece vivo com o Botafogo. Agora, nas oitavas de final, o time tem pela frente o CRAC (GO) – mais um passo para quem desceu ao porão do futebol brasileiro e tenta voltar ao lugar onde estava em 13 de dezembro de 1998.

Créditos e informações: A Cidade, RSSSF, TuddoEsporte Cangango e Histórias do Gamão.

Você pode gostar também
Comentários
Carregando...