Aquele FC: a seleção dos medalhões em campo na Série D de 2015

0 110

Passar dos 30 anos no futebol costuma ser um sinal: é hora de apertar os cintos para se preparar para o fim da carreira. Para alguns jogadores, o fim da carreira vem em grandes clubes, no Brasil ou no exterior. Para outros, em clubes do Oriente Médio ou de países periféricos no mercado internacional. Para uma grande parcela, em clubes pequenos, que disputam divisões de acesso por aqui mesmo.

Por isso, a Série D do Campeonato Brasileiro costuma ser um terreno fértil para os veteranos. É comum ver jogadores que defenderam grandes equipes atuando na quarta divisão nacional. Nos currículos, eles trazem jogos pela seleção brasileira, títulos internacionais e conquistas nacionais – experiência mais do que desejada para clubes com orçamento mais apertado.

Em 2015, o Última Divisão analisou os elencos de todos os times da Série D em busca de medalhões. O objetivo: escalar uma seleção de “aqueles”, jogadores que outrora estrelaram o noticiário esportivo nacional e que, agora, ensaiam os últimos passos da carreira. E eles estão lá, de Norte a Sul do Brasil, em busca do canto do cisne.

Sem surpresa, foram vários os nomes. E para chegar à formação ideal, a ideia foi colocar jogadores de 11 times diferentes em cada uma das 11 posições. Em algumas posições, tivemos diversas opções; para outras, elas foram mais escassas. Mesmo assim, chegamos a uma escalação que, em 2007, talvez desse trabalho na Série A do Campeonato Brasileiro.

Assim, a Seleção d’Aqueles da Série D de 2015 vai a campo com:

Saulo (Crédito: Grande Área.com.br)
Saulo (Crédito: Grande Área.com.br)

Goleiro: Saulo (São Caetano)
Caso você não se lembre, é aquele mesmo que atuou pelo Santos entre 2004 e 2006. Vendido à Udinese, voltou ao Brasil para defender o Ituano em 2010. Desde 2014, está no São Caetano.

Lateral direito: Baiano (Gama)
Aos 37 anos, segue na ativa. Foi titular da seleção brasileira na Olimpíada de 2000, em Sydney (Austrália). Desde então, passou por Las Palmas (Espanha), Atlético-MG, Palmeiras, Boca Juniors e Santos, entre outros clubes. Trocou o Brasiliense pelo Gama no início de 2015.

Zagueiro central: Alex Bruno (Inter de Lages)
Campeão mundial pelo São Paulo em 2005, o zagueiro passou também por clubes como Botafogo e Atlético-MG. Era nome certo para o Operário-MT para a disputa da Série D, mas acabou contratado pelo Inter de Lages – que conta também com o meia Athos e com o atacante Thiago Silvy.

Thiago Silvy (esq) e Alex Bruno (centro) (Crédito: Greik Pacheco/Inter de Lages)
Thiago Silvy (esq) e Alex Bruno (centro) (Crédito: Greik Pacheco/Inter de Lages)

Quarto zagueiro: Renato Silva (Metropolitano)
Outro defensor ex-São Paulo que embarcou na quarta divisão nacional por um clube catarinense. Aos 32 anos, acumula passagens por times como Goiás, Flamengo, Fluminense, Botafogo, Vasco da Gama e Santa Cruz, além de seleções de base.

Lateral esquerdo: Kim (Resende)
O lateral Kim foi revelado pelo Botafogo e passou com relativo destaque pelo Paraná Clube em 2010. Está no Resende desde 2011, com uma breve passagem pelo futebol português neste intervalo.

Rafael Fefo (Crédito: Blog Scratch Corintiano)
(Crédito: Blog Scratch Corintiano)

Primeiro volante: Rafael Fefo (Volta Redonda)
Revelado pelas categorias de base do Corinthians, teve pouco espaço no clube durante a gestão da MSI. Nos anos seguintes, a vida cigana o levou a diversas equipes do interior paulista, como Marília (2008), Guarani (2009) e Red Bull Brasil (2011). Em 2015, é um dos reforços do Volta Redonda.

Segundo volante: Bida (Jacuipense-BA)
Destacou-se pelo Vitória em 2006, e foi contratado pelo Santos por empréstimo em 2008. Não vingou, e passou a rodar por diversos clubes: Atlético-GO, Ponte Preta, Vila Nova… Em 2015, já na casa dos 30 anos, apareceu na Série D.

Meia: Eduardo Ramos (Remo)
O goiano se profissionalizou pelo Grêmio em 2006, acumulando passagens por diversos clubes nos anos seguintes – destaque para Corinthians, Goiás, Sport, Náutico e Vitória. No fim de 2013, trocou o Paysandu pelo arquirrival Remo, onde vestiu a polêmica camisa 33.

Walter Minhoca (Crédito: GloboEsporte.com)
Walter Minhoca (Crédito: GloboEsporte.com)

Meia: Walter Minhoca (Villa Nova)
Revelado pelo Cruzeiro, explodiu de fato para o futebol nacional em 2006, quando jogava pelo Ipatinga. Foi para o Flamengo, voltou ao Cruzeiro e sumiu de novo. Nos últimos anos, esteve nos elencos de Botafogo-SP, Guarani, São Caetano, Brasiliense e ABC, entre outros, sem se firmar.

Atacante: Adriano Louzada (Rio Branco-AC)
Esteve no Palmeiras no início do século XXI, além de Cruzeiro e Portuguesa. Chegou a se firmar no Porto (Portugal), antes de voltar ao Brasil para defender Sport, Santo André e Grêmio Barueri. Desde 2014, está no Rio Branco-AC.

(Crédito: Soccer World)
(Crédito: Soccer World)

Centroavante: Acosta (Santos-AP)
Aquele mesmo, que surpreendeu no Náutico em 2007 e reforçou o Corinthians em 2008. Desde 2013, atua pelo Santos-AP, com uma breve passagem pela União Barbarense em 2014. Tem 38 anos.

Técnico: Marcelo Veiga (Botafogo-SP)
Já foi comparado a Alex Ferguson, técnico do Manchester United por mais de duas décadas, graças a seu longevo trabalho no Bragantino – entre várias passagens, chegou a permanecer cinco anos seguidos (2007 a 2012) na equipe. Nos últimos anos, esteve ainda em Portuguesa e Guarani.

Banco de reservas
Nos critérios de seleção de nosso time, vários nomes conhecidos acabaram preteridos. Caso dos goleiros Fernando Henrique (ex-Fluminense, atualmente no Remo) e Juninho (ex-Atlético-MG e agora no Red Bull Brasil), do meia Joilson (ex-Botafogo, em 2015 no Metropolitano) e do atacante Nonato (aquele do Goiás, ex-Bahia e Goiás, contratado pelo Treze para a Série D). Mas ficam à disposição para eventuais trocas no time titular.

E aí? Deixamos passar alguém?

Você pode gostar também
Comentários
Carregando...