Aos 27, Zé Love já é um andarilho da bola. Você sabe por quantos times ele jogou?

0 435

Aposto que você errou para menos.

Com a chegada ao Goiás para a disputa do Campeonato Brasileiro 2015, o atacante Zé Eduardo, o popular Zé Love, chegou ao seu V I G É S I M O (!!!) time em 11 anos de carreira.

Para efeito de comparação, Túlio Maravilha somou incríveis 33 times na carreira, sendo alguns por um ou poucos jogos. Contudo, aos mesmos 11 anos de carreira que hoje tem Zé Love, Túlio tinha apenas oito times no currículo.

Assim como Túlio, Zé Love estreou muito jovem entre os profissionais. Na época, o ruivo atuava pelo Palmeiras e debutou aos 30 minutos do segundo tempo da derrota por 3-1 para o Cruzeiro, substituindo Marcinho Guerreiro. Naquele 7 de setembro de 2004, Zé Eduardo tinha pouco mais de 16 anos e 10 meses e não fez gol.

Desde então, Zé Eduardo mudou de camisa muitas vezes e tornou-se reconhecidamente Zé Love, apelido inspirado em Vágner Love, ídolo palmeirense naquele ano de estreia. Só não sabemos se o apelido era uma referência ao sucesso dele com as mulheres, tal como Vágner, ou não.

No ano seguinte, meses depois de seu primeiro jogo, Zé Eduardo foi convocado para compor uma tal seleção paulista sub-18 que disputaria um torneio internacional no Irã – ao lado de David Braz e Moradei. Do oriente, voltou campeão e foi logo emprestado para a Portuguesa Santista, onde disputou o Paulistão Série A-1, a maior parte como reserva.

Ainda em 2005, viu seu contrato com o Palmeiras terminar e acabou assinando com o Atlético-PR, onde foi contratado para defender a base. No Paraná, uma história curiosa: foi contratado no fim de setembro, jogou só alguns jogos entre os juniores (onde marcou dois gols) e foi negociado com o Cruzeiro no fim de novembro, atendendo uma cláusula de contrato que obrigava o clube a liberar o atleta caso recebesse oferta de R$ 300 mil.

Em Minas Gerais, quase não jogou. Aliás, atuou apenas pelas categorias de base e foi logo emprestado, primeiro para o Ipatinga-MG [carece de fontes – se souber mais sobre a passagem dele pelo Ipatinga, deixe um comentário no final do post] e depois para o Villa Nova-MG, onde compôs o elenco campeão da Taça Minas Gerais 2006. No vídeo abaixo, Zé marcou um gol pelo Villa contra o Tupi, na última rodada da primeira fase, em um chute da entrada da área.

De Nova Lima, mudou-se para Recife, já que havia sido novamente emprestado pelo Cruzeiro, desta vez ao Sport. No início de 2007, sua contratação foi obviamente ofuscada pela chegada de outro atacante, o “orelhinha” Washington. Mesmo sem atuar com frequência, fez parte do elenco que conquistou o Campeonato Pernambucano daquele ano com grande campanha. Tanto que aparece na foto do título:

2007 Sport
Apelidado de “colorau” pela torcida, Zé aparece no centro da foto, praticamente à frente de Durval, que viria a ser seu companheiro no Santos
ze-gremio
Pelo Grêmio B, atuou sob o comando de Julinho Camargo, que será seu técnico no Goiás

No entanto, o Sport não quis ficar com ele e o dispensou em maio de 2007, logo após o término do Estadual – ele chegou a ser barrado por seguranças em área reservada da Ilha do Retiro. Voltou então ao Cruzeiro, mas logo (em setembro) descolou uma transferência em definitivo para o Grêmio, onde defendeu a equipe B que disputava a Copa Paulo Amoretty. Com a titularidade, boas atuações e gols, ajudou o time a chegar até a semifinal, quando perdeu apenas para o campeão Caxias.

Em janeiro de 2008, chegou a ser selecionado para fazer a pré-temporada com o elenco principal do Grêmio no interior gaúcho, mas logo foi emprestado para a Ferroviária-SP, onde disputou o Paulista Série A-2. Na verdade, chegou a ser confirmado no Brasil de Pelotas-RS, mas acabou indo mesmo para o interior de São Paulo. Lá, atuou algumas partidas, mas nunca firmou-se como titular. Voltou ao Grêmio e ficou mais alguns meses, mas não foi aproveitado.

ze+ney-fortaleza
Calma, a imagem está desfocada mesmo.

No semestre seguinte, já desvinculado do Grêmio, desembarcou em Fortaleza para disputar a Série B do Campeonato Brasileiro pelo Tricolor de Aço. Foram poucos e intensos meses, que culminaram na salvação do time do rebaixamento para a terceira divisão – como mostra o momento de, digamos, alegria com Nei Paraíba. Finado o curto contrato, assinou com o modesto Pinheiros-SC, um clube de empresários pelo qual nunca jogou de fato, e foi imediatamente repassado, novamente por empréstimo, ao São Caetano-SP para a disputa do Campeonato Paulista de 2009.

Pelo time paulista, entrou em campo alguns jogos (14, ao todo, mas nenhum por 90 minutos), mas só marcou um gol – e mais uma vez se transferiu. Foi parar novamente em Minas Gerais, agora para defender o América-MG na Série C do Campeonato Brasileiro. Pelo Coelho, conquistou seu primeiro torneio nacional e viveu outra situação curiosa.

Depois de conseguir o acesso da Série C para a B, teve a oportunidade de, no mesmo ano, defender um time da Série B, o ABC-RN, devido a diferença no calendário dos torneios. Em Natal até foi bem, mas não conseguiu evitar o rebaixamento do time para o qual fora emprestado, e voltou para Minas com uma queda no currículo. Em outras palavras, Zé Love conseguiu a proeza de subir (da Série C para a B) e descer (da Série B para C) em um mesmo ano!

Foi depois dessa que, ENFIM, Zé Eduardo chegou ao Santos para um curto período de testes e se tornou, de fato, Zé Love. Ao lado de Neymar e cia., superou a desconfiança e conquistou seus maiores títulos em dois anos no time da Baixada Santista (2010 e 2011): dois Campeonatos Paulistas, uma Copa do Brasil e uma Copa Libertadores. Chegou à Vila como desconhecido, sem custos, e saiu para o Genoa-ITA por R$ 13 milhões.

Na Itália, lesões atrapalharam seu rendimento. Longe de casa e sem jogar por longos períodos, tentou se desvincular do time italiano, que se limitou a emprestá-lo para o conterrâneo Siena-ITA, onde também não foi bem, e Coritiba-PR, pelo qual disputou a temporada 2014 completa. Do período italiano, o que repercutiu foi a suposta recusa dele a um teste no poderoso Milan.

Zé, porém, esclareceu ao ESPN.com.br o ocorrido: “Não teve nada de teste, essas coisas que falaram. O que aconteceu foi que o Milan queria que ficasse lá sem assinar, só esperando, sendo que eu era titular no Genoa. Ou seja, eu poderia, ao mesmo tempo, correr o risco de perder minha posição de titular e também ficar sem o Milan, caso eles acertassem com o Tevez ou o Balotelli”, explicou.

No período que passou pelo Coritiba-PR, ficou meses sem receber. Ainda assim, gostaria de ter ficado no Brasil, mas o contrato não foi renovado. Mais: o Genoa acabou negociando Zé Love para o Shangai Shenxin, da primeira divisão chinesa. No Oriente, passou a ser chamado de Eduardo e a jogar fora de posição. Sem se adaptar, conseguiu romper contrato e assinou com o Goiás, onde disputará a sequência do Campeonato Brasileiro 2015.

UFA!

Carreira extensa, não? Mesmo assim, Zé só tem 27 anos de idade, 11 de carreira. Se seguir os passos de outros andarilhos como Tulio Maravilha e jogar além dos 30 e tantos, é capaz que supere os 30 times. Por enquanto, soma 20 equipes de nove estados e dois países diferentes (contando aqui o “fantasma” Pinheiros-SC).

Será que dá?

 

HISTÓRICO DE CLUBES POR ANO

2004-2005 – Palmeiras-SP (base, Camp. Brasileiro)
2005 (emp) – Portuguesa Santista-SP (Camp. Paulista)
2005 – Atlético-PR (base)
2005-2007 – Cruzeiro-MG (base)
2006 (emp) – Ipatinga-MG (Camp. Mineiro)
2006 (emp) – Villa Nova-MG (Taça MG – campeão)
2007 – Sport-PE (Camp. Pernambucano – campeão)
2007-2008 – Grêmio B-RS (Copa FGF-Paulo Amoretty)
2008 (emp) – Ferroviária-SP (Paulista Série A-2)
2008 – Fortaleza-CE (Brasileiro Série B)
2009-2010 – Pinheiros-SC (apenas contratualmente)
2009 (emp) – São Caetano-SP (Camp. Paulista)
2009 – América-MG (Brasileiro Série C – campeão)
2009 (emp) – ABC-RN (Brasileiro Série B – rebaixado)
2010-2011 – Santos-SP (Camp. Paulista – bicampeão, Copa do Brasil – campeão, Copa Libertadores – campeão, Camp. Brasileiro)
2012-2013 – Genoa-ITA (Camp. Italiano, Copa da Itália)
2013 (emp) – Siena-ITA (Camp. Italiano, Copa da Itália)
2014 (emp) – Coritiba-PR (Camp. Paranaense, Copa do Brasil, Camp. Brasileiro)
2015 – Shangai Shenxin-CHN (Chinese SuperLeague)
2015 – Goiás-GO (Camp. Brasileiro, Copa Sul-Americana)
2016 – ???

DESAFIO

E aí? Lembrou-se de algum grande andarilho da bola enquanto lia a saga do Zé Love? Registre nos comentários e nos ajude a lembrar!

Você pode gostar também
Comentários
Carregando...