[Anões Olímpicos] O fã de Pistorius que colocou a nanica Granada no mapa olímpico

0 59

Publicidade

Ainda antes de conquistar o primeiro ouro da história do seu país, Kirani James tornou sua participação em Londres-2012 marcante ao “tietar” o sul-africano Oscar Pistorius, primeiro atleta a disputar os Jogos Olímpicos e Paralímpicos de forma simultânea (embora hoje seja mais lembrado por ter assassinado a namorada).

James trocou de números para homenagear Pistorius, que um ano depois assassinou a namorada
James trocou de números para homenagear Pistorius, que um ano depois assassinou a namorada

Na semifinal dos 400m do atletismo, o granadino, com o melhor tempo, fez questão de levar uma lembrança de Pistorius, último colocado da bateria. “Preciso tirar o chapéu para ele, que está competindo conosco como um igual. Eu o admiro e respeito muito”, declarou James na época.

Na prova, o corredor caribenho confirmou o favoritismo e levou ao delírio seus conterrâneos nas ruas de Granada. Com apenas 110 mil habitantes e 344 kmde área, a nação é menor em território e pouco mais populosa que Tonga, até então o menor país em todos os critérios a conquistar uma medalha olímpica.

Desde então, James tem sido presença constante em pódios da modalidade e não será surpresa caso repita o feito no Rio. O atleta tem apenas 23 anos e um grande potencial para se firmar como uma estrela mundial nos próximos anos.

A série Anões Olímpicos conta a história dos 26 países que conquistaram apenas uma medalha na história olímpica entre 1896 e 2012. Os textos são reedições atualizadas do post O que esses caras estão fazendo nesse blog?, publicado por Diego Freire, em 2012. Para ler as outras reportagens da série, CLIQUE AQUI.

Você pode gostar também
Comentários
Carregando...