[Anões Olímpicos] Eritreia, independente e brilhando por conta própria

desenhado por Dionisio Codama Sao Paulo, Brasil http://aimore.net/index.htm http://aimore.org
0 148
Zersenay Tadesse celebra com a bandeira de seu país, antiga parte da Etiópia
Zersenay Tadesse celebra com a bandeira de seu país, antiga parte da Etiópia

Se Djibuti, que é vizinho, teve a sorte de pegar a tradição etíope “emprestada” para conseguir uma medalha olímpica no atletismo, nada mais natural que a Eritreia (parte da Etiópia até 1993) também se sobressaísse na modalidade.

Terra natal da escritora ítalo-brasileira Marina Colasanti, a região passou por diversas mãos durante sua história até conquistar a soberania. Apesar das guerras que o território presenciou, Asmara, a capital do país, é considerada uma das cidades arquitetonicamente mais charmosas da África e vem se consolidando como destino turístico.

A única medalha olímpica do esporte eritreu veio em Atenas-2004, na segunda participação do país nos Jogos, quando 21 conquistou o bronze nos 10.000m. Quatro anos depois, ele venceu o Campeonato Mundial de Meia Maratona de Estrada, disputado no Rio de Janeiro.

Aqui você pode assistir a recepção de Tadese no país natal após algum grande feito, não especificado no vídeo.

A série Anões Olímpicos conta a história dos 26 países que conquistaram apenas uma medalha na história olímpica entre 1896 e 2012. Os textos são reedições atualizadas do post O que esses caras estão fazendo nesse blog?, publicado por Diego Freire, em 2012. Para ler as outras reportagens da série, CLIQUE AQUI.

Você pode gostar também
Comentários
Carregando...