Agora você pode ter um almanaque com todos os números de 2015 no futebol goiano

0 135

Em 2015, 29 equipes goianas estiveram em atividade no futebol profissional. Ao todo, elas disputaram 308 partidas, sendo 234 em torneios estaduais. A média de público da primeira divisão do estado foi de 2.937 torcedores – pouco superior à da segunda divisão, que foi de 2.223.

E como a gente sabe de tudo isso? A resposta: graças ao Almanaque do Futebol Goiano 2015.

A publicação é iniciativa do Futebol de Goyaz e suas histórias, grupo de pesquisadores que se reúne desde 2012 para levantar dados do futebol goiano. A iniciativa deu tão certo que a equipe passou a apresentar um programas aos domingos (12h) na Ràdio 730 AM, de Goiânia.

Em 2015, com os dados reunidos pela equipe, surgiu a iniciativa de lançar um guia impresso em forma de revista. Deu certo de novo: em fevereiro de 2016, as pesquisas de Gerliézer Paulo, João Paulo di Medeiros, Vinícius Tondolo e Rafael Bessa (além de outros colaboradores) viraram o almanaque.

Para falar a respeito da publicação, nós conversamos com João Paulo di Medeiros, que inclusive já colaborou com o Última Divisão. O jornalista conversou conosco a respeito da pesquisa e do produto – que, esperamos, continue sendo lançado nos próximos anos.

Confira nossa entrevista com João Paulo di Medeiros:

Última Divisão: Como que surgiu o Futebol do Goyaz? Digo, o grupo mesmo, não o almanaque…
João Paulo Di Medeiros: Surgiu da carência que tínhamos de material sobre a história do futebol goiano. Era muito escasso. Um dos quatro integrantes já fazia o catálogo de resultados. Daí nasceu a ideia de ampliar isso, colocar em um site todas as informações coletadas. Depois disso veio um programa de rádio semanal e agora outros produtos, como o almanaque.

Última Divisão: E como o grupo se ‘descobriu’, se aproximou?
João Paulo Di Medeiros: Três dos integrantes trabalhavam na mesma rádio. Um deles me conhecia da UFG e sabia que eu tinha feito um TCC (Trabalho de Conclusão de Curso nas faculdades de comunicação) abordando a história do futebol goiano. Aí rolou o convite. O projeto inicial era para um quinteto, mas a pessoa que fez o TCC comigo se mudou para São Paulo e ficamos reduzidos a um quarteto.

Última Divisão: Depois disso, como surgiu a ideia de produzir um almanaque?
João Paulo Di Medeiros: Estamos chegando perto da 100ª edição do programa semanal de rádio e temos o site. Mas estamos sempre inquietos, buscando algo novo para o Futebol de Goyaz. Queríamos partir para publicações impressas também. Então decidimos fazer uma revista anual, com o resumo de todos os dados catalogados ao longo de uma temporada. Gostamos da experiência e já estamos pensando a edição 2016. A ideia, essa mais ousada, é lançar ao longo do tempo almanaques para cada ano da história do futebol goiano. Por exemplo, um dia você terá em mãos o almanaque do futebol goiano do ano de 1973.

Última Divisão: Como é o processo de produção do almanaque? Vocês se reúnem no fim do ano pra levantar tudo, reúnem no decorrer do ano…? Tem outras pessoas fora do quarteto que colaboram?
João Paulo Di Medeiros: O processo é lançar ficha por ficha dos jogos. Falou que tem um jogo envolvendo clube goiano, nós lançamos a ficha técnica do jogo no nosso site. Ao fim do ano, o trabalho é gerar relatórios para formar as tabelas. Temos, sim, outros colaboradores – estes nos ajudam no lançamento dessas fichas -, além de um designer gráfico que realizou a criação da identidade visual do almanaque. Com alguns pitacos nossos.

Última Divisão: E como vocês lidam com o financiamento do almanaque? Com patrocinadores, público que compra… Dá para segurar a tiragem?
João Paulo Di Medeiros: Como foi a primeira edição, tivemos de arriscar. Temos algum caixa que poderia dar suporte, mas precisamos pegar crédito para garantir a impressão da tiragem (de 1.000 exemplares). Depois corremos atrás de patrocínio, que quase deu para custear a produção. A venda de exemplares vai deixar tudo redondo. A expectativa é que renda para nós e também para investir já na edição 2016.

Última Divisão: Até aqui, como o pessoal da imprensa – tanto em Goiás quanto fora – tem recebido o lançamento?
João Paulo Di Medeiros: Lançamos há pouco mais de uma semana e o que temos feito de divulgação é por amigos e redes sociais. Aqui em Goiânia, muitas TVs mostraram nosso almanaque de forma espontânea. Fora, ainda tivemos pouco feedback da imprensa em si. Mas está nos surpreendendo o número de pessoas de outros estados que estão nos procurando pedindo exemplares.

Como adquirir?

Se quer um Almanaque do Futebol Goiano 2015 para chamar de seu, há diversos caminhos.

Interessados podem entrar em contato com os autores por e-mail ([email protected]), pela fanpage do grupo no Facebook ou entrando em contato com os autores – Gerliézer, João Paulo, Vinicius e Rafael – pelo próprio Facebook.

E atenção: cada edição custa R$ 15 (já incluídas as despesas de envio), mas leitores do Última Divisão que se identificarem como tal nos pedidos ganham desconto e pagam apenas R$ 14 (já incluídas despesas de envio).

Você pode gostar também
Comentários
Carregando...