A lenda dos indianos descalços na Copa de 50

0 391

Publicidade

A Copa do Mundo de 1950 foi marcada por alguns fatos que entraram para a história, como a vitória do Uruguai sobre o Brasil na última rodada do quadrangular final ou o 1 a 0 dos EUA sobre a Inglaterra no Estádio Independência. E um dos fatos históricos de 1950 diz respeito à Índia, que esteve perto de disputar o Mundial, mas que abriu mão da vaga porque seus jogadores atuavam descalços e não queriam ser obrigados a usar chuteiras. É uma bela história, mas que conta com um problema simples: é um mito.

É bem verdade, antes de mais nada, que a Índia passou pelas eliminatórias asiáticas para o torneio. O time disputaria a vaga contra Burma (atual Mianmar), Filipinas e Indonésia em um mata-mata simples. Na primeira rodada, Burma desistiu, colocando os indianos automaticamente na decisão da vaga. O problema (ou não, dependendo o ponto de vista) é que filipinos e indonésios também desistiram da disputa, colocando então a Índia como o representante asiático da Copa de 1950.

Até aí, tudo muito bem. Porém, mesmo com a vaga em mãos, os indianos de fato abriram mão da participação no Mundial de 1950. Motivo real? Pura falta de conhecimento. Ainda em sua quarta edição, a Copa do Mundo era evento pouco disseminado em parte do mundo – e particularmente na Índia, onde o esporte nacional era (e ainda é) o críquete.

“Não tínhamos ideia do que era a Copa do Mundo na época”, conta Sailendra ‘Sailen’ Manna, jogador da seleção local nas décadas de 40 e 50, em entrevista à versão indiana da revista Sports Illustrated. “Se tivéssemos sido melhor informados, tomaríamos nós mesmos a iniciativa. Para nós, as Olimpíadas eram tudo. Não havia nada maior”, acrescentou.

De fato, ao que tudo indica, a seleção da Índia não tinha problemas para atuar descalça. Na Olimpíada de 1948, disputada em Londres, a equipe chegou a participar do torneio de futebol – porém, acabou eliminada na primeira fase, após perder por 2 a 1 para a França com um gol sofrido aos 44 minutos do segundo tempo. Na partida, 10 dos 11 indianos atuaram descalços – apenas Balaram Parab utilizava chuteiras. Quatro anos depois, descalça, disputou também a modalidade na Olimpíada de Helsinque, e foi novamente eliminada – desta vez, com uma arrasadora derrota por 10 a 1 para a Iugoslávia.

Isso quer dizer que os indianos realmente jogavam descalços na época? Sim e não. De fato, os indianos chegaram a disputar torneios oficiais sem que seus jogadores usassem chuteiras. Exemplo: em 1911, o Mohun Bagan conquistou a IFA Shield com um time descalço.

baganbare_1

No entanto, em 1947, o time voltou a conquistar o torneio. Desta vez, aos que tudo indica, com 11 jogadores calçando chuteiras.

mohannonbare_1

De quebra, em 1951, o time foi vice-campeão da Durand Cup, perdendo o título para o Hyderabad City Police. Agora, com todos os jogadores devidamente calçados.

mannada6-cmohunbaganofficialsite
O Mohun Bagan de 1951: Sailen Manna (capitão), Talimeron Ao, Ratan Sen, P. Baruah, Arun Dasgupta, Abdul Sattar, Rabi Das, Runu Guhathakurta, Babu, Robi Dey e Chanchal Banerje. Todos calçados.

À primeira vista, não se pode dizer com segurança que a seleção da Índia ainda jogasse descalça nas eliminatórias para a Copa de 1950 – ainda que seja bastante provável que sim. Porém, é certo que não foi este o motivo que impediu a equipe de participar de sua primeira Copa do Mundo há exatos 60 anos.

Voltemos a falar do Mundial. Em 22 de maio de 1950, o sorteio das chaves colocou a Índia no Grupo C do torneio, ao lado de Itália, Suécia e Paraguai. No dia seguinte, o presidente da All India Football Federation, Moin-ul-Haq, chegou a Calcutá para se reunir com outros dirigentes da entidade. Mas após o encontro, a AIFF anunciou que os indianos não participariam da Copa, alegando dificuldades financeiras e pouco tempo de preparação para seus jogadores até as partidas, marcadas para junho.

A organização do torneio ainda tentou oferecer voos de ida e volta à delegação indiana até o Brasil, mas a oferta foi recusada. “Um cuidadoso estudo revela que, apesar das justificativas financeiras dadas, houve um certo descaso da AIFF na compreensão da importância de participar da Copa do Mundo, apesar da quitação de despesas por parte do comitê organizador”, conta Kaushik Bandyopadhyay, editor-assistente da revista científica Soccer and Society, também em entrevista aos indianos da Sports Illustrated.

Desde então, o que se viu foi uma seleção indiana sem outra chance de voltar à Copa do Mundo. Nas eliminatórias para 1954, a Fifa não aceitou a participação dos indianos, e a Ásia contou com apenas três concorrentes: Coreia do Sul (classificada), Japão e Taiwan (que desistiu de tentar a classificação). Entre 1958 e 1982, o time nem sequer se prontificou a tentar uma vaga; desde então, tem sido presa fácil nas eliminatórias.

E ao que tudo indica, os indianos seguem distantes de uma chance na Copa do Mundo – e a volta do torneio ao Brasil não indica ares favoráveis em uma direção mais positiva. “O futebol indiano estaria em um estágio diferente se tivéssemos feito aquela viagem”, analisa Sailen Manna à Sports Illustrated.

Fotos e informações: Yahoo! India – blog Fit to Post, Sepia Mutiny, Mohun Bagan, Wikipedia e RSSSF

Você pode gostar também
Comentários
Carregando...