A jornada heróica que salvou a Portuguesa do rebaixamento na Série B de 2006

0 225

Não deu para a Portuguesa. Na noite desta terça-feira, a Lusa foi derrotada pelo Oeste por 3 a 0 e foi rebaixada para a Série C do Campeonato Brasileiro. O desempenho é o pior da história da equipe rubro-verde em competições nacionais ao longo de 94 anos de história – e olha que estamos falando de um time que conquistou a Série B em 2011, que foi promovido na competição em 2007 e que atingiu o auge ao ser vice-campeão brasileiro em 1996.

Mas houve uma página heróica na história da Portuguesa, em situação semelhante, e que não sai da memória de ninguém. Foi em 2006, na última rodada da Série B. Ameaçada de queda para a terceira divisão nacional, a Lusa se salvou contra todos os prognósticos.

Naquele mesmo ano, a Portuguesa foi rebaixada no Campeonato Paulista, esboçando uma temporada catastrófica. Não por coincidência, a equipe do técnico Vagner Benazzi chegou à última rodada da Série B lutando contra a queda para a Série C. O problema: o time (42 pontos) teria que vencer o já promovido de Sport fora de casa, ou torcer por tropeços de CRB (41), Paysandu (41), Guarani (41) e São Raimundo (40).

escalacao_lusa_2006Chegou então o dia 26 de novembro de 2006, data daquela rodada. Na ensolarada tarde daquele sábado, a Lusa de Benazzi entrou em campo no Recife com a missão (pra lá de complicada) de derrotar o Sport, comandado pelo técnico Givanildo de Oliveira, para escapar do rebaixamento para a terceira divisão nacional. Para piorar a tarefa, o time pernambucano – mesmo em ritmo lento – ainda saiu na frente no placar: aos 44min do primeiro tempo, Fumagalli lançou, e Marco Antônio recebeu para tocar na saída do goleiro Tiago. A bola ainda bateu na trave antes de entrar e colocar o Sport em vantagem.

lusa_preto_gol_2006A Lusa, porém, não se abateu e conseguiu o empate antes do intervalo. Nos acréscimos da primeira etapa, em jogada individual pela esquerda, Preto (foto) invadiu a área, passou pela marcação e chutou cruzado para fazer 1 a 1, vencendo o goleiro Magrão. Seria possível?

Parecia que não. Após o intervalo, aos 11min, o time da casa voltou à frente em cobrança de falta de Wellington Silva pela esquerda – o goleiro Tiago não segurou, Leonardo Silva tentou, mas foi Fumagalli quem apareceu embaixo das traves para mandar para as redes. Muita festa da torcida do Sport, que havia vaiado o time no intervalo.

Os jogadores da Portuguesa reclamaram de falta de Marco Antônio em Tiago. O árbitro Álvaro Azeredo Quelhas (MG) foi protegido por policiais, de forma que a partida recomeçasse. E quando recomeçou, tudo parecia decidido contra a Portuguesa.

A esperança só voltou aos 33min, em bela troca de bolas da Portuguesa que terminou com o gol de Rogério. Será que ainda daria para escapar da degola?

Precisava dar. Naquele momento, aos 40min do segundo tempo, o Paysandu vencia o Marília (3 a 1), o CRB vencia o Remo (2 a 1), o Guarani vencia o Vila Nova fora de casa (4 a 1) e o São Raimundo batia o Gama (2 a 0). A combinação de resultados rebaixava a briosa equipe paulista, que buscava o ataque de todas as formas.

Até que…

Até que o relógio marcou 42min47s. Alex Alves recebeu uma bola virada na direita, dominou de cabeça e invadiu a área. Rodrigo esticou a perna direita para fazer o desarme e acabou tocando o atacante da Portuguesa. Pênalti.

Coloque-se então em campo. Você teria coragem de bater? Teria o sangue frio de cobrar o pênalti que poderia salvar ou condenar sua equipe?

penalti_alex_alves_lusa

Naquela Portuguesa, o que não faltou foi candidato. O goleiro Tiago se ofereceu para a cobrança, mas foi o próprio Alex Alves que foi para a marca da cal. Aí, aos 44min09s, Alex Alves deu uma corrida curta e bateu no canto direito de Magrão, que pulou no canto esquerdo.

 Aos 50min03s, Álvaro Azeredo Quelhas encerrou o jogo e o sofrimento da Portuguesa. Vitória, 3 a 2. A torcida do Sport vaiava o time, que precisava vencer para terminar à frente do Náutico na classificação – o que acabou acontecendo de qualquer forma, já que o Timbu empatou com o Santo André por 1 a 1 em SP. Vitoriosos, os jogadores da Lusa fizeram festa e foram festejados pelos reservas, que invadiram o campo tão logo soou o apito final do juiz.

alex_alves_comemora_lusa

A vitória colocou a Portuguesa na 14ª colocação daquela Série B, com 45 pontos. Ceará (45) e CRB (44) também se salvaram. Paysandu (44), Guarani (44), São Raimundo (43) e Vila Nova (42) acabaram rebaixado para a Série C. E a Portuguesa deu início a uma arrancada histórica, coroada com os acessos no Paulista e na Série B de 2007.

No Última Divisão, fica a nossa torcida para que a passagem da Portuguesa pela Série C do Campeonato Brasileiro seja a mais breve possível. Viva a Lusa!

—–

Os placares da 38ª rodada da Série B de 2006:

Brasiliense 3 x 4 Paulista [Josiel, Warley, Alan Dellonn; Jailson (3), Rodolfo]
Atlético-MG 2 x 2 América-RN [Danilinho, Roni; Paulo Isidoro, Max]
Ituano 4 x 1 Ceará [Ricardo Lopes, Erivélton, Cris (2); Vinícius]
Paysandu 4 x 1 Marília [Rodrigo Félix, San, Hugo, Zé Augusto; João Vitor]
Santo André 1 x 1 Náutico [Hernanes; Fábio Silva]
Coritiba 4 x 2 Avaí [Marcelo Batatais, Alê (contra), Hugo (2); Ademir Sopa, Alê]
CRB 2 x 1 Remo [Val Baiano, Eninho; Zé Soares]
Vila Nova 1 x 5 Guarani [Marques; Alex Afonso (2), Danilo Cruz, Deyvid, Túlio]
São Raimundo 2 x 0 Gama [Luís Henrique, Vidinha]
Sport 2 x 3 Portuguesa [Marco Antônio, Fumagalli; Preto, Rogério, Alex Alves]

A classificação final da Série B de 2006 (via Campeões do Futebol):

classificacao_serieb_2006

Reviva os melhores momentos daquele Sport 2 x 3 Portuguesa no vídeo abaixo:

 

Você pode gostar também
Comentários
Carregando...