A importância dos 100 anos do Monte Azul

(Imagem: Atlético Monte Azul/Divulgação)
0 262

Se não fosse o futebol, você dificilmente conheceria a cidade de Monte Azul Paulista (SP).

Fundado em 1896 e com pouco mais de 19 mil habitantes (segundo dados de 2019 do IBGE), o município na região de Ribeirão Preto costuma ser detentor de uma marca curiosa: eventualmente, é a menor cidade do estado de São Paulo com time em atividade entre todas divisões do Campeonato Paulista.

Nos torneios de 2020, Monte Azul Paulista é a menor cidade nas Séries A-1, A-2 e A-3, e a segunda menor das quatro divisões – com pouco mais de 18 mil moradores, Águas de Lindoia terá o Brasilis Futebol Clube na Segunda Divisão. Para efeito de comparação, a cidade do Atlético Monte Azul tem mais ou menos o mesmo tamanho de localidades como Buri, Miracatu, Guareí, Colina, Jacupiranga e Elias Fausto.

Se você conhece todos os nomes citados aí, isso é muito legal. Mas se não conhece, reforça a tese que coloca o clube como um “embaixador” da cidade, como é o Atlético Monte Azul no caso de Monte Azul Paulista. O time coloca a cidade no mapa.

Leia também:

Nesta temporada, a Série A-2 foi paralisada por causa do novo coronavírus após a 12ª rodada – em 11 de março, o Monte Azul visitou o São Bernardo e perdeu por 1 a 0. A equipe alviazul, que já liderou o certame, é a quarta colocado com 19 pontos, mas segue forte na briga para disputar a próxima Série A-1 – na qual esteve apenas em 2010, justamente após ser campeão da Sèrie A-2.

Por isso, nós batemos um papo com Ferrugem, lateral direito que chegou à cidade e ao Azulão em 2019. Natural do Rio de Janeiro e com passagens por clubes como Estrela do Norte (ES), Real Noroeste (ES), Americano (RJ) e Inter de Limeira, o jogador fala sobre a paralisação da Série A-2 e a relação do time com a cidade.

Confira:

UD – Com 19 mil habitantes, Monte Azul Paulista é a menor cidade com um time profissional nas três primeiras divisões do Campeonato Paulista em 2020. Como você avalia a relação com a torcida de um clube que vive uma relação tão particular nesse sentindo?

Ferrugem – Avalio como a melhor possivel. Mesmo sendo muito longe alguns jogos, (os torcedores) sempre estão lá gritando e nos apoiando, mesmo que em poucas pessoas. E dentro de casa, faz valer o mando – tanto que ainda não perdemos dentro de casa.

UD – O Monte Azul vem de uma cidade pequena e vive uma temporada especial, de centenário do clube. Como você descreve o ano do clube até aqui?

Ferrugem – Fico feliz em ter participado do acesso no ano passado (o time foi vice-campeão na Série A-3 de 2019) e estar no grupo neste ano, brigando lá em cima, em busca do acesso para a Série A-1. Sabemos que o ano está sendo satisfatório, os resultado até aqui estão sendo positivos, mas temos que buscar algo mais , como foi ano passado – quem sabe o acesso.

Ferrugem conquistou o acesso na Série A-3 de 2019 com o Monte Azul (Imagem: Divulgação)

UD – A Série A-2 foi paralisada em decorrência do novo coronavírus. Como isso afetou sua rotina pessoal? Onde você tem passado os últimos dias e semanas, como tem se ocupado…?

Ferrugem – Afetou o mundo inteiro, a rotina de todas as pessoas – agora é ficar em casa e orar para isso acabar logo. Tenho ficado no Rio de Janeiro e treinando todos os dias em casa, pois o clube passou uma planilha de treinos para fazer nesse período.

UD – O Monte Azul vem de boa campanha na Série A2, mas vive a incerteza neste momento justamente em função da pandemia. Como profissional, como você vive essa situação?

Ferrugem – Não só o Monte Azul, e sim, todos os clubes. Ninguém sabe o que vai acontecer: questão de salários, contratos, se vai continuar o campeonato, como vai ser daqui para frente. Ninguém sabe. Estamos orando para que tudo volte à normalidade.

UD – No ano do centenário do Monte Azul, como você avalia a importância do clube para a cidade?

Ferrugem – É o clube da cidade. Todo mundo é apaixonado pelo Azulão. Tu anda pela rua, vêm as pessoas te elogiar ou até mesmo cobrar. É o ano do centenário. Vejo que, sem o Azulão, muita gente iria sofrer sem o futebol. O clube mexe com a cidade em todos os sentidos que envolvem o futebol. E eu agradeço muito à cidade pelo acolhimento e ao clube que me deu emprego. Gracas a Deus, as coisas estão indo no caminho certo.

Para situar a importância do Atlético Monte Azul para a cidade de Monte Azul Paulista, o clube tem até uma página no site da própria Prefeitura. A gente inclusive enviou perguntas a respeito do time ao prefeito Marcelo Otaviano (PHS), mas não obteve retorno do gabinete até a publicação.