A façanha da Costa Rica, contada nos bizarros jornais locais

0 63

As imagens que chegam da Costa Rica não deixam dúvidas a respeito da euforia pela campanha da seleção local na Copa do Mundo de 2014. Pelas ruas da capital San José, dezenas de milhares de torcedores vestem a camisa dos Ticos e desfilam com bandeiras. Até mesmo o presidente Luis Guillermo Solís fez a festa.

Pudera: candidatos a saco de pancadas no Grupo D, os costarriquenhos venceram o Uruguai por 3 a 1 na estreia e derrotaram a Itália por 1 a 0 na segunda rodada. Classificada antecipadamente para as oitavas de final. Desta forma, o time da América Central já igualou sua melhor campanha em Mundiais, repetindo a vaga no mata-mata alcançada em 1990.

A felicidade costarriquenha pode ser vista de maneira bastante explícita na capa do Diario Extra, que se anuncia “o jornal mais vendido da Costa Rica”. Entre diversas publicações de vários países que nós acompanhamos (especialmente ao longo da Copa do Mundo), é difícil acreditar que alguma seleção tenha uma cobertura mais bizarra – opinião deste blogueiro.

A receita da capa do jornal é conhecida: cores berrantes, letras imensas, tragédias, mulheres seminuas e as notícias de destaque – que, durante a Copa do Mundo, são obviamente a respeito de futebol. A mistureba, ao que tudo indica, faz sucesso por lá.

Exagero? Vejamos as capas, dia a dia.

12 de junho

A abertura da Copa do Mundo, entre Brasil e Croácia, foi bastante festejada no jornal. A publicação, porém, deu dois destaques na capa: “criança de três anos foge e se afoga” e “satanistas desenham pênis em igreja”. Tá feia a coisa por lá.

13 de junho

Alguém em San José foi metralhado, pelo que lemos ali na capa. Ao lado, há também destaque para a jornalista Jalé Berahimi, destaque da coluna de fofocas Tia Zelmira. Fora isso, tem um bom “Croácia sambou” ali para contar a vitória do Brasil por 3 a 1.

14 de junho

No dia em que a Costa Rica estreou na Copa do Mundo vencendo o Uruguai de virada, a capa que acordou os costarriquenhos pedia apoio à equipe. Fora isso, ainda ficamos sabendo que um mecânico matou sua mulher e ainda tivemos mais uma modelo da Tia Zelmira na capa.

16 de junho

Aparentemente, o jornal não circulou no domingo, mas os jornalistas locais trabalharam normalmente para colocá-lo nas bancas na segunda-feira. A capa não poderia ser outra que não a vitória dos Ticos. Porém, deixou uma nota triste para registrar a morte de Alberto Cañas, 94 anos, importante político, jornalista e escritor local.

17 de junho

A festa dos torcedores da cidade de Santos (SP) para a seleção da Costa Rica foi destaque na capa do jornal, assim como a pichação que torcedores uruguaios fizeram na embaixada costarriquenha em Montevidéu. Mas, para não fugir à regra, o Diario Extra estampou em sua capa a morte de um bebê e as peripécias da atriz pornô chilena Marlen Doll – aquela, sabe?

19 de junho

Em Natal (RN), um torcedor costarriquenho de 56 anos foi preso por exploração sexual de menores – ele pagou a um travesti de 16 anos por sexo oral. Sim, nem tudo é piada…

20 de junho

De volta à programação normal, o Diario Extra colocou na capa mais uma modelo da Tia Zelmira e mais uma tragédia – desta vez, uma mulher esfaqueada porque queria ver novela. O destaque esportivo ficou pelo jogo contra a Itália, que seria naquela sexta-feira (20) e que podia selar a vaga dos Ticos nas oitavas de final.

21 de junho

“E se a gente juntar o futebol e a tragédia na capa para destacar a vitória sobre a Itália?”, pensou alguém lá no jornal. Pimba! “Seleção mata gigantes”, mancheta o Diario Extra, com uma foto da multidão nas ruas. Ah, e pintou também mais uma modelo da Tia Zelmira ali em cima, em uma capa toda especial.

23 de junho

O empate entre Estados Unidos e Portugal (2 a 2) ficou em segundo plano no jornal. O motivo: alguém esqueceu o filho no carro para beber. Ali no cantinho, dá para ver também que o jornal já previa o sucesso da seleção na Copa do Mundo – em 7 de janeiro, o astrólogo Abel Salazar anunciou que havia chances de sucesso.

24 de junho

No dia em que a Costa Rica encerrará sua brilhante participação na primeira fase diante da Inglaterra, a capa do jornal estampa o desafio de encarar um terceiro campeão mundial. Além disso, conta a história dos Silva, família do Distrito Federal que carrega o gene da polidactilia, causador do crescimento de mais de cinco dedos em mãos e pés. Na área nobre da manchete, porém, somos informados de que um homem foi morto por assaltantes que queriam levar o tênis que ele comprou de presente para sua esposa.

Atualização

O Osmar cantou a pedra, e fomos lá ver o que o jornal estampou em sua capa em 25 de junho, após o empate por 0 a 0 com a Inglaterra. Afinal, decida você o que é mais importante: o cachorro de polícia que distribuiu mordidas, os péssimos hábitos dos motoristas de ônibus de lá ou a liderança no “grupo da morte”?

Você pode gostar também
Comentários
Carregando...